Thiago Cortês

@SouDescortes

Share

Jesus não é sua puta

“O falso cristo é o cristo dos padres de passeata. Há um cristo de passeata que é mais falso do que Judas. É a igreja dos padres de passeata. Eu sou cristão, mas não me venham falsificar Cristo como uísque nacional” – Nelson Rodrigues

Os padres de passeata se multiplicam como ratos. Agora também infestam as igrejas os pastores de abaixo-assinado que fazem de Cristo sua meretriz ideológica.

Leonardo Boff, Frei Betto, Ed Rene Kivitz, Ariovaldo Ramos: são muitos os “cristãos” que reduzem o Cristo ao papel de militante de esquerda incompreendido.

Para eles, Jesus era uma espécie de socialista primitivo que fazia milagres. (Spoiler: não era).

Querem encaixar Cristo – segundo a Bíblia, o filho de Deus e o próprio Deus encarnado – em uma categoria moderna (“comunista”, “esquerdista”, “socialista”) como se a natureza divina fosse passível de rotulação e facilmente conhecível pelos homens.

É absurdamente vulgar olhar para o Deus de Israel com os olhos da ideologia, os pés fincados na modernidade, e a alma corrompida pela superficialidade das “causas”, agendas e preconceitos seculares que inventamos há 10 minutos.

Deus não é socialista, conservador, católico ou protestante.

Deus é incognoscível. Sua natureza é um mistério. Logo, Ele não pode ser encaixado em categorias modernas ou que refletem determinada época, cultura ou ideologia.

O filósofo judeu Maimônides ensinava que nem sequer devemos atribuir características positivas a Deus, pois tal expediente conduz ao politeísmo e à idolatria.

Mas os padres de passeata e os pastores de abaixo-assinado não querem saber de questões teológicas profundas. Querem é instrumentalizar Cristo para sua agenda política.

Jesus no jogo de várzea

Progressistas querem que Cristo entre em campo para o Fla X Flu político de ocasião. Eles têm uma postura política progressista porque o deus deles é um militante progressista.

Os pastores de abaixo-assinado fazem de Cristo mascote de suas campanhas ideológicas nas redes sociais e infiltram conceitos marxistas como a mais-valia na teologia.

"Jesus era comunista. E ria das piadas do Duvivier".

“Jesus era comunista. E Ele até mesmo ria das piadas do Duvivier”.

Eles usam Cristo como uma prostituta que pode ser compartilhada para referendar causas seculares ideológicas que os fazem parecer politicamente corretos.

Não por acaso, Gregório Duvivier escreveu em um artigo risível que Cristo veio a Terra na forma de prostitua e não foi reconhecido. (Não vou linkar para não gerar mais buzz).

A ideologia tem esse imenso poder de reduzir todo o universo conhecido à lógica perversa do “nós contra eles”. E Duvivier convocou Cristo para jogar no seu time.

Não me ofendeu. O que me ofende é seu texto ser multiplicado por crentes inteligentinhos como Kivitz que, em seu twitter, vive acusando líderes evangélicos de usar a lógica do “nós contra eles”, mas replica e aprova um texto que parte da mesmíssima premissa.

O pastor da Igreja Batista de Água Branca – frequentada pela classe média alta – referendou a tática do ateu Duvivier que literalmente afirmou que Jesus é uma puta.

Nada contra prostitutas: elas são bem melhores do que as feministas.

Mas reduzir Cristo ao papel de militante de uma ideologia política – seja ela qual for – é como arrancar Deus das glórias dos céus e obrigá-Lo a tomar partido entre PT e PSDB, Flamengo e Fluminense, Corinthians e São Paulo, Boechat e Malafaia.

É uma forma muito simplista de pensar Deus. Espero isso de um moderninho como o Duvivier. O que me espanta é Kivitz pensar o mesmo. Mais um pastor de abaixo-assinado…

O deus de Kivitz reside em uma releitura politicamente correta da Bíblia. Nela, tudo o que contraria preconceitos seculares é eliminado. Basta higienizar a Bíblia, “politizar” Cristo, descartar o Antigo Testamento e, voilá, temos o deus de Kivtz.

Perversão da teologia

Nos anos 1960 o anjo pornográfico Nelson Rodrigues já alertava para a corrupção da teologia pela política e a ideologia. Os padres de passeata já haviam saído do esgoto.

Ele profetizou que Deus seria tratado como uma “mascote” de ideologias pelos supostos cristãos que confundem Cuba com o Reino de Deus e Jesus com Che Guevara.

"O padre de passeata traiu a Igreja, traiu Cristo, traiu Deus."

Nelson Rodrigues: “O padre de passeata traiu a Igreja, traiu Cristo, traiu Deus.”

O famigerado Dom Helder Câmara era a síntese da denúncia de Nelson. Um santinho como Kivitz que, do conforto de sua igreja e com cara de anjinho, afanava ideólogos e piscava para comunistas, mas sem nunca sujar o shortinho:

“D. Helder já esqueceu tanto a letra do Hino Nacional quanto a da Ave-Maria. Prega a luta armada, a aliança do marxismo e do cristianismo. Se ele pegasse uma carabina e fosse para o mato, ou para o terreno baldio, dando tiros em todas as direções, como um Tom Mix, estaria arriscando a pele, assumindo uma responsabilidade trágica e eu não diria nada. Mas não faz isso e se protege com a batina. Sabe que um D. Helder sem batina, não resistiria um segundo. Nem um cachorro vira-lata o seguiria”.

Em “Os Dez Mandamentos – Mais Um”, o filósofo ateu Luiz Felipe Pondé atesta que a teologia dos nossos dias é um combo de filosofias seculares e ideologias políticas:

“O mundo está repleto de descrentes que compreendem melhor a Bíblia do que os teólogos. Tanto mais que, atualmente, a teologia se tornou a ‘louca da casa’, envergonhada de sua própria fé. Transformou-se em lacaia das modas intelectuais, querendo ser aceita por marxistas, freudianos e foucaultianos”.

É por isso que padres de passeata e pastores de abaixo-assinado aderem tão facilmente às modas intelectuais: têm vergonha do cristianismo puro e simples.

 

Racismo de esquerda?

A esquerda costuma tratar como capitão-do-mato todo negro que se opõe a ela.

Já aconteceu com o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa – o carrasco dos mensaleiros – e agora com o professor Paulo Cruz, que contestou a cantora Daniela Mercury, para quem a redução da idade penal é um “extermínio dos negros” (sic).

rdigi

Para o progressista de plantão, os negros são seus aliados naturais e ele busca neles o apoio moral para suas teses. A cor da pele do interlocutor, contudo, é usada contra ele quando este se revela um opositor dos dogmas da esquerda.

É interessante notar que o progressista vive a dizer que a cor da pele não importa, mas a verdade é que a cor da pele dos outros nunca lhe passa desapercebida.

O progressista padrão é dotado de um radar que tenta identificar em poucos segundos a cor da pele, a classe social e a opção sexual do interlocutor.

A lógica binária das mentes progressistas impede que seus portadores saibam lidar com a diversidade. Negros conservadores como Thomas Sowell e homossexuais de direita como Clodovil são anomalias no mundo preto-e-branco dos progressistas.

A esquerda não permite que negros divirjam dela. E entende que a cor da pele de todo indivíduo é sua jaula ideológica. É negro? Tem que ser de esquerda!

Por isso o jovem negro Fernando Holiday foi brutalmente ofendido. A esquerda reduz o indivíduo a sua cor de pele e faz dela a sua jaula ideológica. Holiday é negro? Não pode ser de direita!

Odio_FernandoHoliday

O progressista pensa que os negros são vulneráveis e que devemos tratá-los com a gentileza discriminatória que dispensamos às crianças. E não importa o que os negros pensem a respeito: nenhuma criança sabe o que é melhor para si mesma.

É por isso que podemos testemunhar situações bizarras como o “diálogo” impetuoso entre Daniela Mercury e um negro para quem a redução da idade penal não significa o encarceramento em massa de negros.

Na tentativa de afirmar sua superioridade moral, a cantora partiu para a hipérbole política e afirmou que reduzir a idade penal é coisa de quem quer “exterminar negros e pobres”.

racismo de esquerda

Ao reduzir toda a problemática da idade penal a uma forçada associação com negros e pobres, Mercury deixa subentendido o que ela realmente pensa dos negros e pobres.

Paulo Cruz, um negro, contestou a frase absurda de Daniela Mercury, recebeu um evasivo “me respeite” e ficou falando sozinho.

Pouco depois, um perfil de fãs da cantora conclamou os “mercuryanos” a denunciar o perfil de Paulo! Qual seria o conteúdo da denúncia? “Ele é negro, mas não é de esquerda”?

Apelona

Preconceituoso prafrentex

A necessidade imperiosa de bancar o cafetão das minorias – para usar a brilhante expressão de Alexandre Borges – faz o progressista negar o fato de que negros, homossexuais e pobres não são obrigador a assumir determinada visão de mundo por causa da sua cor, opção sexual ou origem social. O progressista é um preconceituoso politicamente correto.

Isso me faz refletir: será que existe um racismo de esquerda? Politicamente correto?

ViwrwdFx1wuNej01H72BYDl72eJkfbmt4t8yenImKBVvK0kTmF0xjctABnaLJIm9

 

A tentativa da esquerda de associar a redução da idade penal aos negros esconde uma premissa…racista. Ora, existem muitos negros e pobres no Brasil, mas apenas uma minoria deles comete crimes, acreditem ou não os esquerdistas.

Aliás, não são “os negros” que vão para a cadeia; são os criminosos, sejam eles negros, brancos, asiáticos ou coloridos.

O que sei é que os supostos defensores de minorias não têm mandato para falar em nome daqueles que supostamente representam. Falam apenas em nome de sua ideologia.

Indignação Seletiva

E sei que associar a redução da idade penal à hipótese de encarceramento em massa de negros é um preconceito às avessas.

É feio ter que repetir isso para progressistas, mas vamos lá: galerinha prafrentex, os negros não são bandidos em potencial. Por favor, aceitem isso.

 

 

 

 

 

Guarulhos gasta R$ 9 milhões para espantar pombos

Vocês se recordam daquela cidade mágica onde a Marcha das Vadias se mete na educação de crianças? Pois bem, Guarulhos também gasta R$ 9,5 milhões para espantar pombos.

Sim, você leu certo.

A Prefeitura de Guarulhos (SP) – comandada pelo petista Sebastião de Almeida – através da sua Secretaria de Educação, contratou o consórcio Robotx-Monte Azul por R$ 9.438.700,00 para que o mesmo instale um “sistema anti-pombos” nas escolas municipais.

Talvez seja o método de espantar pombos mais caro do mundo.

Fujam se quiserem viver, pombos!

Fujam se quiserem viver, pombos!

O Robtx-Monte Azul venceu o pregão realizado em dezembro de 2014 pela Prefeitura de Guarulhos para contratar “empresa especializada para fornecimento de sistema repelente contra pombos com tecnologia de reator de campo eletromagnético”.

Apenas três empresas participaram do pregão: Dedetizadora Bioprag Ltda Me, Pro-Ambiente Gerenciamento e Projetos e o consórcio Robtx-Monte Azul.

Detalhe: o consórcio que venceu o pregão ganhou seu registro no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica em 29 de janeiro, um mês após a homologação do resultado do pregão. Ou seja: na data do pregão o Robotx-Monte Azul nem sequer existia.

A empresa Rodrigo da Cruz Garcia EPP, que tinha Robotx como nome fantasia, “firmou termo de compromisso e constituição de consórcio” com a Agrícola e Construtora Monte Azul Ltda em 16 de dezembro de 2014. Leia-se: um dia antes da realização do pregão.

Porém, o pregão acabou adiado e só foi realizado uma semana depois, às vésperas do Natal, com o supracitado consórcio vencendo a licitação com uma diferença de apenas R$ 1 mil em relação a segunda colocada, a Pro-Ambiente.

As informações foram obtidas em primeira mão pelo pequeno e corajoso jornal Guarulhos Web e repercutidas timidamente pela não tão corajosa imprensa do Alto Tietê.

O Guarulhos Web fez uma série de reportagens sobre o nebuloso Robotx-Monte Azul e descobriu, entre outras coisas, que o mesmo utilizava indevidamente em seu site os brasões de Prefeituras para as quais jamais prestou qualquer serviço.

Secretário defende contrato

A Secretaria de Educação de Guarulhos é comandada pelo professor Moacir de Souza. O professor Moacir tem duas grandes preocupações nesta vida: levar as questões de gênero para a educação infantil e livrar suas crianças politizadas dos pombos.

"Te dou R$ 9 milhões pra você acabar com isso"

“Pobres crianças! A Prefeitura te dará R$ 9 milhões pra você resolver isso de uma vez”

O professor Moacir de Souza defendeu o contrato firmado em audiência da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) realizada no último dia 08, na Câmara Municipal. Ele explicou que a responsabilidade do contrato é da Secretaria de Assuntos Jurídicos.

“[o sistema] está sendo instalado e está tendo o resultado que a gente esperava. O prazo para que estejam instalados em todas as unidades é de 24 meses. Esse contrato foi assinado no mês de março e tem garantia de 5 anos. O sistema fica permanentemente ligado e é muito simples. Aliás, como toda invenção ela é obvia, só que alguém tem que parar e inventar”, declarou o genial Moacir Souza.

Professor Moacir: mais questões de gênero; menos pombos

Professor Moacir: mais questões de gênero; menos pombos

Pombos têm até 2017 para encontrar um novo lar

Ou seja, a Prefeitura de Guarulhos está desembolsando quase dez milhões por uma “invenção óbvia” cuja finalidade é a de espantar pontos de alguns espaços públicos.

Além disso, o sistema só estará plenamente concluído em março de 2017. Os pombos não precisam se apressar: têm tempo de sobra para procurar novos telhados.

Ah, sim, até lá o petista Sebastião de Almeida (PT) não será mais o prefeito de Guarulhos e seu sucessor assumirá o restante da dívida (R$ 3,5 milhões) com o Robotx-Monte Azul.

"O mundo é bão, Sebastião"

“O mundo é bão, Sebastião”

Mais um dado interessante para reflexão: no ano eleitoral de 2016 os valentes combatentes de pombos receberão R$ 4 milhões dos cofres públicos de Guarulhos.

Os guarulhenses não estão convencidos da existência de tantos pombos na cidade. Mas todo mundo desconfia que existam muitos ratos.

Com informações do Guarulhos Web

 

 

 

O que realmente aconteceu em Guarulhos

Os militantes da Ideologia de Gênero tentaram agredir vereadores em uma audiência pública sobre o tema, em Guarulhos, mas a imprensa nacional diz que os vilões são os pais e mães que lá estiveram para se manifestar pacificamente contra a Ideologia de Gênero.

Os opositores da Ideologia de Gênero que estiveram na audiência em Guarulhos foram classificados pela imprensa como “fundamentalistas”, “ultraconservadores”, etc, pelo simples fato de se manifestarem contra o aparelhamento ideológico da educação fundamental.

Ao contrário de Mônica Bergamo, a especialista em fofoca da Folha, eu estive lá e verifiquei empiricamente que os verdadeiros fundamentalistas eram os militantes que tentaram agredir vereadores e impediram a fala do bispo diocesano, Dom Edmilson Amador Caetano.

Confira as confusões neste vídeo

É como se pais e mães não tivessem o direito de opinar sobre a educação de seus próprios filhos; apenas os militantes teriam esse direito sagrado. Por quê? Porque eles são militantes, ora essa! E assim a mídia trata como aceitável o aparelhamento ideológico.

Para responder a todas essas mentiras, trago abaixo o depoimento do jovem guarulhense Bruno Maria Otenio, morador daquela cidade que esteve na audiência, e que tem mais autoridade do que qualquer jornalista para relatar o que realmente ocorreu:

Bruno Otenio faz intervenção na audiência em Guarulhos

Bruno Otenio faz intervenção na audiência em Guarulhos

“No dia 20 de maio de 2015 ocorreu na Câmara Municipal de Guarulhos uma audiência pública cujo assunto em pauta seria “a inserção da Ideologia de Gênero no Plano Municipal de Educação (PME)”.

Nesta audiência seriam realizadas duas palestras sobre o tema da Ideologia de Gênero, o que infelizmente não aconteceu!

Sim, os convidados a explicarem ao povo sobre a tal Ideologia foram: Profº Felipe Nery – Presidente do Observatório Interamericano de Biopolítica e militante contrário à referida ideologia – e a Profª Silvia Moraes, da UNIFESP, favorável a inserção desta ideologia.

Pois bem, como disse, deveriam acontecer duas palestras sobre o tema, mas só aconteceu uma. Infelizmente a Profª Silvia Moraes não falou do tema gênero talvez, o que acho mais provável, porque não tivesse argumentos suficientes.

Ora, o Profº Felipe Nery fantasticamente apresentou, de forma clara e pedagógica, o que é a Ideologia de Gênero, quais eram as intenções escondidos nesta tentativa de aparelhar a educação e as consequências da sua implantação. Ele apresentou dados de cada país cuja degeneração tem sido visível devido à arbitrariedade de tal absurdo ideológico.

O professor Felipe Nery realizou palestra na famigerada audiência

O professor Felipe Nery realizou palestra na famigerada audiência

 

A Profª Silvia apenas se ateve ao famoso “discurso apelativo, emocional e provocativo”, sem dados, sem conceituações, mas imbuída de sentimentalismos e vitimismos.

Mas o foco mais intrigante desta audiência não foram as colocações de ambos palestrantes, mas a irreverente presença de militantes da Marcha das Vadias, Marcha da Maconha, Coletivo Maria Bonita, Coletivo Fora de Ordem entre outros, que sem um senso mínimo de educação pública causaram confusão e passaram vergonha!

A confusão se deu exatamente por aquilo que eu chamo de “histeria coletiva de analfabetos sociais”. Ora, a Ideologia de Gênero tem por objetivo a desconstrução dos conceitos de sexualidade (masculino e feminino), substituído pela “não-identidade”, isto é, você é ensinado a ser o que você quiser ser, sem necessidade de afirmar alguma sexualidade, pois estas não existem, são invenções culturais.

A própria biologia é colocada em cheque. Absurdo!

As consequências psicológicas também são desconsideradas. E claro a extinção da Família é evidente. Mas os militantes favoráveis a tal ideologia, de forma ignorante, se puseram a defender tal proposta levantando bandeiras feministas e dos lobbys LGBT’s.

O mais hilário é que essas conotações sexuais serão excluídas se for aprovado o ensino de gênero nas escolas, pois não há sexualidade que se possa assumir – segundo os ideólogos.

A Ignorância foi tamanha, que jovens feministas (sic) pediam a exclusão de qualquer ideologia ao tempo que também vociferavam: “retira, retira, retira essa machista, América Latina vai ser toda feminista” (sic). Ora, não queremos ideologia? Mas o que seria o feminismo? A Marcha das Vadias e o Lobby LGBT?

Pediram tanto respeito, mas no momento em que o Bispo Diocesano de Guarulhos, Dom Edmilson Amador Caetano foi se pronunciar, as militantes levantaram suas vozes, com visível ira e raiva, chamando-o de pedófilo, inquisidor, assassino de bruxas! Toda essa hostilidade fez com que o mesmo desistisse de se pronunciar.

Dom Edmilson Caetano, da Diocese de Guarulhos, teve o discurso interrompido

Dom Edmilson Caetano, da Diocese de Guarulhos, teve o discurso interrompido

(Confira aqui o discurso que Dom Edmilson foi impedido de pronunciar)

É importante frisar que o grito, a histeria, a confusão, a desordem são os principais instrumentos usados por tais grupos em qualquer instancia de manifestação e pedido de direitos. Bom este efeito desastroso tem por causa a postura irônica e cínica da Profª Silvia Moraes, que sem argumentos, apenas agitou a sua “galera”.

O que mais me surpreende é que nossas crianças são vistas como instrumentos de uma reengenharia sociocultural que tem por “defensoras” militantes que se autodenominam “vadias”.

Apesar das inúmeras demonstrações de ira da parte da “molecada militante das várias marchas ideológicas”, a verdade prevaleceu.

Os católicos demonstraram força e presença. Alguns evangélicos também se fizeram presentes, e pessoas de bem sem religião puderam finalmente ver quem, de fato, são essas pessoas que levantam uma bandeira que causará a destruição de sua própria ideologia e, pior, causará a extinção total da própria família! Lamentável, mas real. É o mundo tal como desconstruíram!

Encerro meu depoimento com a profética fala de C.S. Lewis em seu livro “Abolição do Homem”:

“A natureza humana será a ultima parte da Natureza a se render ante o homem. A batalha estará então vencida, daí por diante, seremos livres para fazer da nossa espécie aquilo que desejarmos. A batalha estará definitivamente vencida. Mas a pergunta é: quem exatamente a terá vencido?”

 

Página 8 de 11« Primeira...234567891011