Mentiram (e muito) para mim

Mentiram e muito para mimNeste ano de 2014, está acontecendo uma onda de lançamentos de livros interessantes. Acabou de sair Mentiram (e muito) para mim, de Flavio Quintela. É um inventário das principais mentiras influentes que nos são apresentadas continuamente como se fossem as mais evidentes e indiscutíveis verdades.

O livro é pequeno, 168 páginas. A análise que ele faz sobre o quadro partidário brasileiro entre o impeachment de Collor e os preparativos para a eleição de 2014 é primorosa. Também achei muito relevante a afirmação de que, na América escravagista, menos de cinco por cento dos brancos foram proprietários de escravos, e mais de vinte por cento dos negros livres possuíam pelo menos um escravo. Pena que ele não explicite qual a fonte dessa informação.

Um detalhe agradável é que ele usa a ortografia de antes da última reforma. Também preciso adotar essa prática.

Ao final do livro, há uma bibliografia recomendada muito boa. Gostei especialmente das indicações de “Eles Mudaram a Imprensa”, de Alzira Alves de Abreu (2003) e de “The naked communist”, de Cleon W. Skousen e Arnold Friberg (2011).

O prefácio é de Paulo Eduardo Martins e a orelha do livro, de Rodrigo Constantino. Esses textos podem ser lidos aqui, no blog do autor.

Aqui vai a lista de capítulos:

I. Começam a mentir desde muito cedo para nós: a mais-valia
II. A mentira mais voraz: a de que a própria verdade não existe
III. Mentiram de novo: a festa da democracia brasileira
IV. Mentindo sobre ideologia: não existe mais direita ou esquerda
V. Mentirinha: o PSDB é um partido de direita
VI. Amplas mentiras: a maldade da Direita
VII. Mentindo sobre Hitler: o nazismo é de extrema direita
VIII. Mentira de lobo mau: nem toda esquerda quer o comunismo
IX. Cínicos mentirosos: o comunismo ainda não existiu na Terra
X. A mentira do bonzinho: o esquerdista se preocupa com os pobres e oprimidos
XI. Mentira que ninguém mais agüenta: bandido é vítima da sociedade
XII. Nem o diabo acredita nesta mentira: sou um cristão socialista
XIII. A mentira mais contada de todas: o golpe militar de 1964
XIV. Auto-engano ou mentira proposital: a mídia é direitista
XV. Algo que exala mentira: o sistema educacional brasileiro
XVI. Mentira em letras góticas sobre pele de carneiro: diploma
XVII. Mentiras que atravessam gerações: dívida histórica
XVIII. Mentira tripla: o bolsa-família foi criado pelo PT, é bom e tira as pessoas da miséria
XIX. Mentira boba? Nem tanto: Deus é brasileiro
XX. Verdades

Como disse Edmund Burke, “Para que o mal triunfe basta que os bons fiquem de braços cruzados.”

7 comentários para “Mentiram (e muito) para mim

  1. juliano cesar de oliveira

    Oi adorei.. muito obrigado, amei a maneira que vc usou para descrever essa resenha…me fez se interessar pelo livro….mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei… se trata de um livro arrebatador…ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos…..e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história…..acesse o link da livraria cultura e digite reverso…a capa do livro é linda, Lea traz o universo de fundo..
    http://www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?
    http://www.buqui.com.br/ebook/reverso-604408.html

    Responder
  2. Francisco

    O livro é bom, mas ao lê-lo fiquei com a impressão de já ter visto muito daquele conteúdo (pois ele usa muito o Olavo de Carvalho e o R. Constantino como referências.) Mesmo assim valeu a pena ler. Principalmente os capítulos VII e XII.

    Responder
  3. Antonio Augusto

    Imperdível. Esse livro deveria ser distribuido nas escolas de todo o país, seria um bom atídoto pra doutrinação marxista paulo freiriana

    Responder
    • Enzo

      As pessoas que criticam- no sentido pejorativo- o marxismo ou é porque nunca leram (ignorantes) ou são muito corruptos, pois basta saber que Marx desvelou toda a sujeira da exploração do proletariado e era contrário as mentiras ideológicas dos dominadores. Agora porque corruptos salafrários se utilizam do discurso marxista para praticarem injustiças aí quem está errado é Marx. Favor leiam antes!

      Responder
      • Leandro

        A velha desculpa de deturparam o Marx né Enzo,antes de vc bastante gente disse isso e muitos assassinos se valeram disso, inclusive o Nalseaundo Fidel Castro. Essa mentalidade de era industrial é que tem ser superada. Só para te informar Enzo vivemos na era do conhecimento. Hoje um operario Indiano vive melhor que um rei do seculo XVII.

        Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *