ELEIÇÕES 2014

@reaconaria

Share

Bolão do Mensalão da Petrobras

Quando soube-se que a Revista VEJA divulgaria uma lista dos denunciados por Paulo Roberto Costa no esquema de pagamento de boladas para auxiliarem o governo, lançamos em nossa página no Facebook o “Bolão dos Propineiros“, onde tentaríamos adivinhar quem seriam os campeões de roubalheira neste novo escândalo da república petista.O intuito era tentar saber qual partido faria mais pontos no esquema, tendo como critérios “1 ponto por deputado, 2 pontos para senador, 3 pontos para ministro e 4 pontos para governador” e de quais seriam os estados cujos governadores estavam envolvidos no esquema.

Quanto ao segundo bolão, já está concluída a apuração: os estados são Pernambuco, do então governador Eduardo Campos, Maranhão, da governadora Roseana Sarney, e Rio de Janeiro, do então governador Sérgio Cabral.

Mas o campeonato de pontos corridos do Mensalão da Petrobras segue aberto. Após lermos a reportagem da VEJA deste final de semana, temos uma parcial da pontuação, que é a que segue:

PMDB – 16 pontos
1 deputado (Henrique Eduardo Alves)
2 senadores (Renan Calheiros, Romero Jucá)
1 ministro (Edison Lobão)
2 governadores (Sérgio Cabral e Roseana Sarney)

PT – 6 pontos
2 deputados (Vaccarezza e Pizzolatti)
1 tesoureiro.

PP – 5 pontos
1 senador (Ciro Nogueira)
1 ministro (Mario Negromonte)

PSB – 4 pontos
1 Governador (Eduardo Campos)bandido_competicao

Tivemos que adicionar o critério “tesoureiro”, dando-lhe o mesmo peso de “ministro” devido ao histórico do último tesoureiro petista a ser flagrado em delitos, Delúbio Soares. Como muitos dos envolvidos mudaram de cargos nos anos do PT no poder, adotamos como critério o máximo posto atingido. Assim, Eduardo Campos que já foi ministro do governo Lula (sabe-se lá qual era a função que exercia quando recebeu a propina) é considerado aqui apenas como governador, critério que o faz pontuar mais.

Esse campeonato toma por base o depoimento do criminoso confesso Paulo Roberto Costa, diretor da Petrobras nos governos petistas. Caso ele esteja mentindo, alteraremos este post para fazer justiça aos eventuais políticos honestos citados acima.

Eduardo Campos, Roseana Sarney, Sérgio Cabral e presidentes da Câmara e do Senado na lista da propina da Petrobras

Chegou às bancas a edição da revista VEJA que traz a lista dos políticos que recebiam propina nos esquemas da Petrobras. A denúncia faz parte da delação premiada feita por Paulo Roberto Costa, diretor da estatal que está preso e fez um acordo com a justiça. No dia 28 de agosto já estava decidido que o preso iria falar. Quando começou a falar, Lauro Jardim adiantou em sua coluna:

O homem-bomba Paulo Roberto Costa começou a falar. Sua delação premiada iniciou-se na sexta-feira, no Paraná.

O quanto esse depoimento e os outros que se seguirão podem afetar a corrida presidencial, não se sabe ainda. Mas o potencial é considerável.

Vejam então um trecho da reportagem da VEJA já disponível em sua versão online:

capa-2390-620-original

Entre eles estão os presidentes da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), além do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão (PMDB-MA). Do Senado,  Ciro Nogueira (PI), presidente nacional do PP, e Romero Jucá (PMDB-RR), o eterno líder de qualquer governo. Já no grupo de deputados figuram o petista Cândido Vaccarezza (SP) e João Pizzolatti (SC), um dos mais ativos integrantes da bancada do PP na casa. O ex-ministro das Cidades e ex-deputado Mario Negromonte, também do PP, é outro citado por Paulo Roberto como destinatário da propina. Da lista de três “governadores” citados pelo ex-diretor, todos os políticos são de estados onde a Petrobras tem grandes projetos em curso: Sérgio Cabral (PMDB), ex-governador do Rio, Roseana Sarney (PMDB), atual governadora do Maranhão, e Eduardo Campos (PSB), ex-governador de Pernambuco e ex-candidato à Presidência da República morto no mês passado em um acidente aéreo.

Pânico em diversas campanhas estaduais e nacionais. E, mais uma vez, o Brasil descobre que o PT relaciona-se com o Congresso na base da compra de votos.

Os números estaduais do Datafolha: 3/9

Abaixo uma compilação dos números divulgados ontem pelo Datafolha para as corridas estaduais. Em azul as intenções de voto para governador, em vermelho a rejeição – dados de rejeição para os senadores ainda não disponíveis. A grande mudança é a significativa melhora do candidato tucano em Minas Gerais (números muito diferentes dos apresentados pelo Ibope uma semana atrás) e o empate em Pernambuco entre Paulo Câmara, apoiado pelo grupo de Eduardo Campos e Armando Monteiro, apoiado pelo PT e Lula. No Rio Grande do Sul, Tarso Genro segue em declínio e com reais riscos de não exercer seu segundo mandato consecutivo:

São Paulo – Governo

Alckmin (PSDB) 53%, 21%
Skaf (PMDB) 22%, 22%

São Paulo – Senado

José Serra (PSDB) 35%
Eduardo Suplicy (PT) 32%

Minas Gerais – Governo

Pimentel (PT) 32%, 9%
Pimenta da Veiga (PSDB) 24%, 13%

Minas Gerais – Senado

Anastasia (PSDB) 44%
Josué Alencar (PMDB) 12%

Rio de Janeiro – Governo

Garotinho (PR) 28%, 44%
Pezão (PMDB) 23%, 17%
Crivella (PRB) 18%, 14%
Lindbergh (PT) 11%, 20%

Rio de Janeiro – Senado

Romário (PSB) 38%
César Maia (DEM) 25%

Pernambuco – Governo

Paulo Câmara (PSB) 36%, 12%
Armando Monteiro (PTB) 36%, 15%

Rio Grande do Sul – Governo

Ana Amélia (PP) 39%, 13% 
Tarso Genro (PT) 31%, 27%
José Ivo Sartori (PMDB) 10%, 8%

Rio Grande do Sul – Senado

Lasier Martins (PDT) 29%
Olívio Dutra (PT) 29%
Pedro Simon (PMDB) 15%
Simone Leite (PP) 4%

Distrito Federal – Governo

Arruda (PR) 34%, 28%
Agnelo (PT) 19%, 41%
Rollemberg (PSB) 13%, 6%

Distrito Federal – Senado

Reguffe (PDT) 34%
Magela (PT) 13%
Gim Argello (PTB) 10%
Sandra Quezado (PSDB) 1%

Pesquisas presidenciais de Datafolha e Ibope: 4/09

No final da noite de ontem foram divulgados os novos números da corrida presidencial dos dois principais institutos de pesquisa. O governo Dilma segue melhorando sua avaliação, a candidatura Dilma teve mais uma vez queda na rejeição e Marina Silva parou de crescer, enquanto Aécio Neves oscilou negativamente mais uma vez. Eis os números (em azul as intenções de voto, em vermelho a rejeição)

Datafolha:

Dilma Rousseff 35%, 32%
Marina Silva 34%, 21%
Aécio Neves 14%, 16%

Segundo turno:

Marina 48% x Dilma 41%
Marina 56% x Aécio 28%
Dilma 49% x Aécio 38%

Ibope:

Dilma Rousseff 37%, 31%
Marina Silva 33%, 12%
Aécio Neves 15%, 18%

Segundo turno:

Marina 46% x 39% Dilma
Dilma 47% x 34% Aécio

Fim da comoção?

Parece que os efeitos da comoção pela morte de Eduardo Campos e o resultado do grande destaque a Marina SIlva no noticiário começam a se diluir.  Tanto Marina Silva parou de subir quanto é perceptível que os seus índices de rejeição estão se aproximando do que ela possuía em abril, última vez que o instituto Datafolha usou seu nome em simulações. A variação da rejeição de Marina é a seguinte: 21% em abril, 11% três dias após a morte de Eduardo Campos, 15% duas semanas depois e agora 16%. Dilma nessas mesmas pesquisas manteve-se praticamente estável mas com uma queda relevante nesta última pesquisa: 33%, 34%, 35% e agora 32%. Já Aécio Neves partiu de números altos em abril, teve uma redução considerável e depois subiu, mantendo-se agora estável: 33%, 18%, 22% e 21%.

O G1 preparou um gráfico mostrando a variação da intenção de voto nas três pesquisas Datafolha após a morte de Eduardo Campos:

Corrida estável

Corrida estável

Outro dado importante a destacar é que o programa eleitoral de Dilma Rousseff parece começar a fazer efeito. A candidata melhorou seus índices no segundo turno, diminuiu sua rejeição e até mesmo ampliou a diferença para Aécio Neves em simulações de segundo turno.

Entendendo Marina – 6

(…)vai quebrando o paradigma, né?

Marina Silva justificando o uso do artigo feminino “a” para referir-se ao REDE em vez do tradicional “o” usado para partidos políticos.

marina-Rio-+-20Fonte: http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2013/02/27/leia-a-transcricao-da-entrevista-de-marina-silva-a-folha-e-ao-uol.htm

Pesquisas Ibope no RJ, SP e CE: 02/09

O Ibope divulgou ontem de noite os resultados de pesquisas estaduais realizadas em três estados. A disputa do Rio de Janeiro segue sendo a mais apertada e imprevisível, em São Paulo a distância entre Alckmin e seus adversários segue caindo lentamente e no Ceará o candidato petista aproxima-se do líder.Esses são os números. Como sempre, em azul a intenção de votos e em vermelho a rejeição ao candidato.

São Paulo – Governo

Geraldo Alckmin(PSDB) 47%, 17%
Paulo Skaf(PMDB) 23%, 12%
Alexandre Padilha(PT) 7%, 23%

São Paulo – Senado

José Serra(PSDB) 33%
Eduardo Suplicy(PT) 28%
Gilberto Kassab(PSD) 8%

Rio de Janeiro – Governo

Anthony Garotinho(PR) 27%, 34%
Pezão(PMDB) 19%, 16%
Marcelo Crivella(PRB) 17%, 12%
Lindbergh Faritas(PT) 11%, 13%

Rio de Janeiro – Senado

Romário(PSB) 40%
César Maia(DEM) 19%

Ceará – Governo

Eunício Oliveira(PMDB) 41%, 16%
Camilo Santana(PT) 31%, 20%

Ceará – Senado

Tasso Jereissati(PSDB) 54%
Mauro Filho(PROS) 20%

Paraíba – Governo

Cássio Cunha Lima(PSDB) 47%, 23%
Ricardo Coutinho(PSB) 33%, 33%
Vital do Rêgo(PMDB) 4%, 22%

Paraíba – Senado

José Maranhão (PMDB) 30%, 32%
Wilson Santiago (PTB) 19%, 18%
Lucélio Cartaxo (PT) 14%, 24%

Pesquisas estaduais apontam Marina na liderança

Ontem o Ibope divulgou o resultado de pesquisas para a presidência realizada nos estados do Rio de Janeiro e São Paulo. No primeiro e no terceiro maiores colégios eleitorais do país, Marina Silva abre uma grande vantagem em relação a Dilma Rousseff. Vejam os resultados (não foram informados os números de rejeição):

ATUALIZAÇÃO: Foram incluídos os números do Espírito Santo.

Rio de Janeiro

Marina 38%
Dilma 32%
Aécio 11%

São Paulo

Marina 39%
Dilma Rousseff 23%
Aécio Neves 17%

Espírito Santo

Marina 36%
Dilma Rousseff 26%
Aécio Neves 18%

Pará

Dilma Rousseff 46%
Marina Silva 29%
Aécio Neves 9%

Hoje sai o resultado da pesquisa nacional Ibope e até o fim de semana sai uma nova rodada do Datafolha.

Entendendo Marina – 5

Nos períodos de festas e confraternizações, em que somos plasmados pelos desejos de melhores dias, nem sempre nos damos conta de que, com os presentes que afetuosamente damos e recebemos, ali – onde sem tocar e ver, na forma de um apurado sabor, provado pelo ouvido, e não pela boca, materializado em acústica, e não palpável, como nos apetece- está a palavra. 

Marina Silva sobre o período natalino.

marina-Rio-+-20

Fonte: http://mauricioromao.blog.br/ela-tem-a-forca/#more-8550

Entendendo Marina – 4

Os projetos de desenvolvimento deveriam ser plasmados em critérios de sustentabilidade. 

Marina Silva em seu discurso de retorno ao Senado, após ser desprestigiada pelo Governo Lula no Ministério do Meio Ambiente.marina-Rio-+-20

 

Fonte: http://www.senado.gov.br/atividade/pronunciamento/detTexto.asp?t=374179

Reaçonaria Entrevista: Sérgio Storti

O nosso entrevistado de hoje foi indicado nas caixas de comentário deste site e indicado por alguns amigos. Candidato a deputado federal em São Paulo, maior colégio eleitoral do país, nesta entrevista Sérgio apresenta-se aos leitores do site, mostra quais seriam suas prioridades num mandato e como está reagindo à cada dia maior possibilidade de termos Marina Silva presidente.

Sérgio Storti pode ser contatado por sua página no Facebook: https://www.facebook.com/sergiostorti4503sp.

Acompanhem a entrevista:

Pergunta 1) Apresente-se resumidamente ao nosso público: quem é Sérgio Storti e por que o senhor é um bom candidato?

Uso o texto que ofereci ao PSDB para uso no ‘santinho’:

UM BRASILEIRO QUE QUER SEU PAÍS E SUA PAZ DE VOLTA…

Sergio Storti é jornalista, publicitário, dono de Agência de Propaganda e Jornalismo. É MESTRE em Ciências da Comunicação pela USP/ECA. Professor na ECA/USP.  Jornalista especializado em Economia, matéria que move o mundo.

2) Qual tema seria sua prioridade num eventual mandato?

Em sequência:

  1. DEFESA  DA LIBERDADE – é o nosso valor mais precioso, o único bem necessário ao ser humano.
  2. SEGURANÇA para o cidadão de bem e sua família, e os direitos consagrados no artigo 5º. da Constituição;
  3. EDUCAÇÃO é a base de qualquer progresso e desenvolvimento, seja da nação, seja dos indivíduos.
  4. JUSTIÇA, valor fundamental para qualquer Sociedade se constituir em igualdade e harmonia, com oportunidades iguais para todos.
  5. DESENVOLVIMENTO colocar novamente o Brasil no caminho do progresso com desenvolvimento social real.

Como Deputado Federal estou preparado para representar a milhares de cidadãos paulistas que se sentem acuados, e vendo o seu maior bem ameaçado, sua LIBERDADE,  por um partido que se apossou do país. Honra é o valor que aprendi na vida.

3) Sua candidatura apresenta-se como totalmente oposta aos valores do PT,  valores esses que guiam nossos rumos políticos há 12 anos. O que muda na motivação de suas propostas e lutas com a possibilidade de um Governo Marina Silva?

Para usar um clichê, estamos falando de farinhas do mesmo saco. Marina militou no PT por 25 anos, e só se aboletou para outros caminhos porque, imagino, queria ser ela a sucessora, como candidata, de Lula. Não tendo o beneplácito do Partido, tenta criar o seu próprio e o seu próprio caminho de salvação, ou melhor, de ‘salvadora’, que é como se desenhou em toda sua trajetória, na velha fantasia das esquerdas de ‘’revolução’’. O meu procedimento seria, pois, o mesmo, já que a minha defesa primordial, a nossa Liberdade, continuará sendo necessária neste plano B do petismo, sempre totalitaristas.

4) Para o senhor, qual é o maior problema da Câmara Federal? A submissão ao Executivo, a corrupção, a falta de identidade ideológica dos ocupantes, a pouca produtividade ou algum outro? Como o seu mandato ajudaria a melhorar a Câmara?

O principal problema, e que absorve todas as possibilidades levantadas acima, é a péssima qualidade dos representantes do povo que chegam à Câmara, qualidade moral inclusive. A maioria torna-se representante de si mesmo e de seus interesses, e assim age, usando de toda a lista de distorções já citada.  

5) Em seu Facebook, o senhor afirma defender as teses da social-democracia do PSDB. Quais são as teses mais importantes do partido que deveriam ser postas em prática?

Bem, sem querer citar o programa e em grandes linhas, listo primeiramente e principalmente a força do Partido que se opõe ás forças que insistem em querer fazer do Brasil mais uma aberração totalitária da História, opondo-se ao PT em especial, e a todos os PT’s em ideologia: os PCBs, PCOs, etc, totalitaristas, enfim.

Isso vem da postura social democrata do PSDB, uma linha de pensamento afinada com os tempos mais modernos e com dezenas de vitoriosas democracias no mundo livre. Pontos dessa ideologia, a defesa dos livres mercados, a propriedade privada, a liberdade de expressão e religiosa, a democracia representativa com quadros escolhidos com reais representações em seus grupos, a meritocracia, a estabilidade econômica baseada no tripé clássico, o chamado “tripé macroeconômico”, ancorado no superávit primário, metas de inflação e câmbio flutuante. É claro que há que se promover sem restrições as necessidades básicas da população, tais como segurança, educação, saúde, alimentação saudável, e infra-estrutura eficiente que sirva à logística de vida do pais e das pessoas.  

Por fim, vamos às respostas curtas. Diga em uma palavra se é a favor ou contra a lista de temas importantes que estão, estiveram ou estarão em debate no Congresso e na sociedade brasileira:

Você é A FAVOR de:

Desmilitarização da Polícia? Não
Controle Social da Mídia (Ley de Medios)? LOUCURA E DELÍRIO TOTALITARISTA
Redução da maioridade penal? SIM
Legalizar a maconha? NÃO
Diminuir as restrições para compra de armas? SIM, PARA AS PESSOAS DE BEM
Legalizar o aborto? NÃO
Volta da CPMF? NUNCA
Privatizar os Correios? NÃO, RECUPERÁ-LO COMO QUANDO FUNCIONAVA
Privatizar a Petrobras? NÃO, DAR-LHE EFICIÊNCIA E HONESTIDADE
Correção anual da tabela do I.R.? SIM
Financiamento público de campanha? NUNCA
Voto distrital? SIM
Independência do Banco Central? RELATIVA
Lei Anti-Terrorismo? SIM

SergioStorti

Página 3 de 71234567