ELEIÇÕES 2014

@reaconaria

Share

Ministro indicado por Lula determina suspensão de vídeo de Malafaia contra Dilma

No O Globo:

Ministro determina imediata suspensão de vídeo de Silas Malafaia contra Dilma

Destaco alguns trechos:

Segundo a representação “o Sr. Silas Malafaia, no vídeo, sugere que a Presidente da República, Sra. Dilma Vana Rousseff, estaria a apoiar ações de grupos armados terroristas voltados ao assassinato de cristãos.” Os advogados de Dilma afirmam ainda que, “fazendo alusão à candidata Representante, o vídeo exibe uma montagem que contém cenas cruéis e degradantes, o que teria sido reconhecido pelo próprio Sr. Silas Malafaia” e sustentam também a finalidade eleitoral do conteúdo veiculado. O vídeo se refere a fala por Dilma, na véspera da assembleia geral da ONU, no último dia 24, em que condenou o ataque dos EUA ao Estado Islâmico, na Síria.

Ao conceder a liminar, o ministro concorda que há conotação eleitoral no caso, uma vez que o vídeo veicula discurso da candidata Dilma e explora sua imagem. “O País está a praticamente 48 horas das eleições, e esse tipo de veiculação na rede mundial de computadores tem nítido viés de propaganda eleitoral”, justificou o ministro na decisão. Segundo Herman, houve “excesso por parte do Sr. Silas Malafaia, uma vez que não se tem conhecimento algum de que a candidata Dilma Rousseff apoie qualquer grupo terrorista”.

(…)

O ministro Herman Benjamim sustentou ainda que há grande distância entre o uso informativo, para fins eleitorais, de falas e discursos de pessoas – o que é legítimo, e a distorção ou a infidelidade proposital às palavras e ao pensamento de que se ataca, o que considera ilegítimo e ilegal.

(…)

Em algumas buscas, encontrei essas notícias:

MINISTRO HERMAN BENJAMIN LIBERA SITE PETISTA MUDA MAIS

Ministro do TSE suspende trecho da propaganda de Marina no rádio

CRM-GO é multado por usar estrutura contra Dilma

Na página da wikipedia do Ministro:

Indicado pelo ex-presidente da república Luís Inácio Lula da Silva para ministro do eg. Superior Tribunal de Justiça, em virtude de aposentadoria do ministro Edson Vidigal. Após sabatina no Senado Federal, seu nome foi aprovado pelo plenário daquela casa com 51 votos favoráveis, 2 contrários e uma abstenção.2 Foi empossado em 6 de setembro de 2006.3

 O vídeo foi retirado do Youtube:

ss (2014-10-04 at 01.11.08)

Ibope e Datafolha, 30/09: Dilma estável, Marina cai e Aécio se aproxima

Ontem foram divulgadas duas pesquisas nacionais, uma do Datafolha e outra do Ibope. Os números indicam uma disputa cada vez mais próxima entre quem vai para o segundo turno, se Marina Silva ou Aécio, enquanto Dilma Rousseff está estabilizada na casa dos 40% – longe, portanto, da vitória no primeiro turno. A tendência de Aécio Neves segue de subida desde a queda brusca quando Marina chegou a assumir a liderança e ele agora repete os melhores índices que já atingiu. Já Marina tinha em abril 27% quando pararam de usar seu nome em simulações e, após a morte de Eduardo Campos, teve um grande crescimento, chegando a passar Dilma, mas agora só faz cair e está próxima dos números apresentados logo após a morte de Eduardo Campos

Seguem os números de intenção de votos em azul e em vermelho a rejeição:

Datafolha 30/09
Dilma 40%, 31%
Marina 25%, 25%
Aécio 20%, 23%

2o turno:
Dilma 49% x 41% Marina
Dilma 50% x 41% Aécio

Ibope 30/09
Dilma 39%,31%
Marina 25%, 20%
Aécio 19%, 19%

2o turno:
Dilma 42% x 38% Marina
Dilma 45% x 35% Aécio

Vejam o gráficos de variação de voto do Datafolha:

Datafolha_1

Vejam o gráfico de variação de votos do Ibope:

Ibope_1

 

Ainda que Marina e Aécio mantenham esses índices até o dia da eleição, a estrutura e força do PSDB é muito maior do que do PSB em todo o país, o que deve nos levar a acompanhar uma disputa voto-a-voto para saber quem irá ao segundo turno. Marina está totalmente pressionada e suas recentes aparições na TV, demonstrando fragilidade (além de estar sob ataque tem aparecido sempre com a voz rouca ou fraca) não colaboram em nada para esta reta final. Já Aécio apresenta melhoras significativas em estados em que candidatos tucanos lideram a corrida estadual, como Paraná e São Paulo.

O tom desses dias finais de campanha parece ser o de Marina Silva correndo contra o tempo para atacar com veemência Dilma Rousseff (“Marina diz que Dilma come pela boca do marketeiro“) enquanto o PT continua a mirar seus canhões apenas para Marina (“Dilma aumenta o tom e acusa Marina de desvio de caráter“). Já a campanha de Aécio nestes últimos dias tem usado a internet para divulgar seu plano de governo.

Pesquisas estaduais do Datafolha, 27/09

Pezão consolida-se na liderança no Rio de Janeiro, Beto Richa e Alckmin caminham para vitória no primeiro turno, Fernando Pimentel mantém 11 pontos à frente de Pimenta da Veiga, Tarso Genro recupera espaço no Rio Grande do Sul e Paulo Câmara caminha para vitória no primeiro turno em Pernambuco. Esses são os números da última rodada de pesquisas estaduais do Datafolha, que seguem abaixo(em azul a intenção de votos e, em vermelho, a rejeição para os cargos majoritários):

Governo do RJ
Pezão(PMDB) 31%, 16%
Garotinho(PR) 23%, 49%
Crivella(PRB) 17%, 14%
Lindberg(PT) 12%, 20%

Senado pelo RJ
Romário (PSB) 48%
César Maia(DEM) 23%
Eduardo Serra(PCB) 4%

Governo de SP
Alckmin(PSDB) 51%, 20%
Skaf(PMDB) 22%, 25%
Padilha(PT) 9%, 36%

Senado por SP
Serra(PSDB) 37%
Suplicy(PT) 30%
Kassab(PSD) 10%

Governo de MG
Pimentel(PT) 36%, 12%
Pimenta da Veiga(PSDB) 25%, 17%
Tarcísio(PSB) 3%, 15%
Eduardo Ferreira(PSDC) 2%, 13%

Senado por MG
Anastasia(PSDB) 41%
Josué Alencar(PMDB) 21%

Governo de PE
Paulo Câmara(PSB) 43%,14%
Armando(PTB) 34%, 20%

Senado por PE
João Paulo(PT) 37%
Fernando Bezerra(PSB) 29%

Governo do DF
Rollemberg(PSB) 35%,11%
Agnelo Queiroz(PT) 22%, 48%
Frejat(PR) 19%, 26%

Senado pelo DF
Reguffe(PDT) 42%
Magela(PT) 20%
Gim Argello(PTB) 10%

Governo do RS
Ana Amélia(PP) 31%, 17%
Tarso Genro(PT) 31%, 24%
José Ivo Sartori(PMDB) 17%, 9%

Senado pelo RS
Olívio Dutra(PT) 31%
Lasier Martins(PDT) 29%
Pedro Simon(PMDB) 13%

Governo do PR
Beto Richa(PSDB) 45%, 20%
Requião(PMDB) 30%, 26%
Gleisi(PT) 10%, 19%

Pesquisa nacional Datafolha: 27/09

Após muitas semanas de ataques do PT e do PSDB, Marina começa a cair de forma significativa. Quem ganha seus votos é Dilma Rousseff, não Aécio, e com isto o PT cria a expectativa de vencer no 1o turno. Esse é o dado mais relevante da pesquisa Datafolha divulgada ontem pela Folha.
Seguem os números de intenção de voto, rejeição e as simulações de segundo turno:
Dilma 40%, 31%
Marina 27%, 23%
Aécio 18%, 20%

Segundo turno:
Dilma 47% x 43% Marina
Dilma 50% x 39% Aécio

Vejam os gráficos da variação do primeiro turno apresentados pelo G1:

Gráfico_1oturno Grafico_Rejeição
df

Pesquisas estaduais do Ibope: 24/09

Foram divulgados hoje mais números das eleições estaduais pelo Ibope. Os resultados são muito ruins para o PT pois indicam viés de derrota em três unidades da federação hoje sob comando do PT: Distrito Federal, Rio Grande do Sul e Bahia. Em compensação, um petista está crescendo na disputa pelo governo do Ceará, hoje nas mãos da família Gomes. Vejam então os números tendo em azul a intenção de voto e em vermelho, quando disponível, a rejeição:

Governador da BA 
Paulo Souto(DEM) 43%, 26%
Rui Costa(PT) 27%, 23%
Lídice da Mata(PSB) 7%, 22%

Senado pela BA
Geddel Vieira Lima(PMDB) 36%
Otto Alencar(PSD) 27%
Eliana Calmon(PSB) 4%

Governo do CE
Eunício(PMDB) 43%, 19%
Camilo(PT) 38%, 23%

Governador do RS
Ana Amélia(PP) 37%, 13%
Tarso Genro(PT) 30%, 21%
José Ivo Sartori(PMDB) 15%, 6%

Senador pelo RS 
Lasier Martins(PDT) 31%
Olívio Dutra(PT) 26%
Pedro Simon(PMDB) 13%

Governador do DF
Rodrigo Rollemberg(PSB) 31%, 5%
Jofran Frejat(PR) 21%, 16%
Agnelo Queiroz(PT) 19%, 44%

Governador de SC
Raimundo Colombo(PSD) 52%,
Paulo Bauer(PSDB) 16%,
Cláudio Vignatti(PT) 6%,

Senador por  SC 
Dário Berger(PMDB) 24%
Paulo Bornhausen(PSB) 22%
Milton Mendes(PT) 7%

Pesquisas estaduais do Ibope: 23/09 e 17/09

Os números mais recentes do Ibope trazem a esperada virada dos candidatos do PSB em Pernambuco; a continuidade do crescimento de Pezão no RJ – hoje ele já lidera a corrida no estado; a vitória de Pimentel em primeiro turno em Minas Gerais; Raimundo Colombo vencendo em primeiro turno em Santa Catarina; Beto Richa vencendo em primeiro turno no Paraná e Geraldo Alckmin também em primeiro turno em São Paulo. Seguem o resumo dos dados para governador (em azul as intenções de votos e em vermelho a rejeição) e para o Senado:

Governo de SP – Ibope 23/09
Geraldo Alckmin(PSDB) 49%, 16%
Paulo Skaf(PMDB) 17%, 13%
Alexandre Padilha(PT) 8%, 23%

Senado por SP – Ibope 23/09
José Serra(PSDB) 34%
Eduardo Suplicy(PT) 25%
Gilberto Kassab(PSD) 5%

Governo do RJ – Ibope 23/09
Luiz Fernando Pezão(PMDB) 29%, 16%
Anthony Garotinho(PR) 26%, 39%
Marcelo Crivella(PRB) 17%, 12%
Lindberg Farias(PT) 8%, 18%

Senado RJ – Ibope 23/09
Romário(PSB) 44%
César Maia(DEM) 21%

Governo de MG – Ibope, 23/09
Fernando Pimentel(PT) 44%, 12%
Pimenta da Veiga(PSDB) 25%, 13%

Senado MG – Ibope 23/09
Antonio Anastasia(PSDB) 47%
Josué Alencar(PMDB) 20%

Governo de PE – Ibope 23/09
Paulo Câmara(PSB) 39%, 14%
Armando Monteiro(PTB) 35%, 19%

Senado por PE – Ibope 23/09
João Paulo(PT) 34%
Fernando Bezerra(PSB) 28%

Governo de SC – Ibope 17/09
Raimundo Colombo(PSD) 49%, 13%
Paulo Bauer(PSDB) 17%, 10%

Senado por SC – Ibope 17/09
Paulo Bornhausen(PSB) 25%
Dário Berger(PMDB) 22%

Governo do PR – Ibope, 19/09
Beto Richa(PSDB) 47%, 15%
Roberto Requião(PMDB) 30%, 23%
Gleisi Hoffman(PT) 12%, 24%

Senado pelo PR – Ibope, 19/09
Álvaro Dias(PSDB) 64%
Ricardo Gomyde(PCdoB) 6%

Ibope, 23/09 – Consolida-se o segundo turno entre Dilma e Marina

Os novos resultados do Ibope, apresentados ontem no Jornal Nacional mostram certa estabilidade nos números: somente tivemos variações dentro da margem de erro, tanto de Dilma(+2)quanto de Marina(-1). Aécio, que precisa crescer, está parado em 19%. Vejam os números da pesquisa (em azul as intenções de voto, em vermelho a rejeição), as 3 simulações de segundo turno e os números do Ibope quebrados por 4 estados-chave:

NACIONAL
Dilma 38%, 31%
Marina 29%, 17%
Aécio 19%, 19%

2o Turno

Marina 41% x 41% Dilma
Dilma 46% x 35% Aécio
Marina 44% x 31% Aécio

São Paulo – 22,4% do eleitorado brasileiro
Dilma 25%
Marina 32%
Aécio 19%

Minas Gerais – 10,7% do eleitorado brasileiro
Dilma 32%
Marina 20%
Aécio 31%

Rio de Janeiro – 8,5% do eleitorado brasileiro
Dilma 34%
Marina 32%
Aécio 13%

Pernambuco – 4,5% do eleitorado brasileiro
Dilma 39%
Marina 39%
Aécio 4%

Vejam abaixo os gráficos do G1 mostrando a evolução da intenção de votos e de rejeição dos candidatos

 

1oTurno_Ibope_2209

SegundoTurno_Ibope_2209

Rejeicao_Ibope_2209

Pesquisa IBOPE, 16/09: Dilma cai e Aécio sobe

O Jornal Nacional acabou de divulgar nova rodada de pesquisa Ibope. Ao contrário da última, encomendada pela CNI, desta vez o instituto não segurou o resultado por dois dias. Eis os números, como sempre trazendo em azul a intenção de votos e em vermelho a rejeição:

Dilma 36%, 32%
Marina 30%, 14%
Aécio 19%, 19%

E esses foram os resultados da simulação de segundo turno:

Marina Silva 43% x 40% Dilma Rousseff
Dilma Rousseff 44% x 37% Aécio Neves
Marina Silva 48% x 30% Aécio Neves

O grande destaque é a queda de Dilma em todos os cenários, justamente após os ataques grosseiros à candidata Marina Silva. Comparando com a última pesquisa pelo mesmo instituto, Dilma caiu 3 pontos, Marina caiu 1 e Aécio subiu 4. Dilma também caiu nas simulações de segundo turno: 2 pontos contra Marina e 4 pontos contra Aécio. Já Aécio cresceu nas duas simulações de segundo turno: mais 4 pontos na simulação contra Dilma e mais 3 pontos na simulação contra Marina. Marina permaneceu estável na simulação contra Dilma e caiu 3 pontos na simulação contra Aécio.

Os números são ruins para Dilma mesmo tendo como base os últimos números do Datafolha, divulgados no dia 10. Eis os números:

Dilma  36%, 33%
Marina 33%, 18%
Aécio 15%, 23%

As simulações de segundo turno traziam:

Marina Silva 47% x 43% Dilma Rousseff
Marina Silva 54% x 30% Aécio Neves
Dilma Roussef 49% vs 38% Aécio Neves

Ainda é difícil avaliar o que pode ter causado essas variações. A queda de Dilma e o crescimento de Aécio podem dar a entender que os efeitos dos ataques petistas a Marina não surtiram o efeito esperado e, ainda mais, serviram para revitalizar a candidatura tucana que enfrenta muita dificuldades.

As eleições legislativas – Câmara Federal

A perspectiva de segundo turno envolvendo Marina Silva e Dilma Rousseff reforça a importância das eleições legislativas. Se por um lado mais 4 anos de PT no poder fortaleceriam ainda mais o predomínio da esquerda petista no poder, as incertezas do que seria ideologicamente um governo Marina Silva também assusta a quem se preocupa com o balanço do poder no Brasil, nossos valores, nosso futuro e até mesmo nosso estado democrático.

Num país atrasado em termos institucionais, com predomínio de visões estatistas na economia e certa lassidão quanto à criminalidade e desrespeito às leis, é praticamente impossível votar em concorrentes a cargos executivos que reúnam todas as qualidades que gostaríamos, ficando a escolha geralmente tomada por eliminação dos piores sucessivamente. Já o voto para o “segundo poder”, o Legislativo, não precisa sofrer dessas mesmas amarras. Como não temos o voto distrital, pode-se escolher qualquer candidato de seu estado e não deve ser difícil encontrar algum que possa representá-lo na maioria das questões que forem postas em votação no Congresso.

A Câmara Federal com bons nomes e firmes ideais será fundamental. Olhando agora, a impressão que se tem é que a sua próxima composição não possuirá mais os blocos imensos ou partidos com 20% da Câmara, como já foram em eleições passadas o PT, o PMDB e, antes, o PSDB e o PFL. Tudo indica que o PT sofrerá uma perda expressiva de sua bancada por São Paulo (onde investem em Andrés Sanchez, ex-presidente do Corinthians, como puxador de votos) mas tem chances de crescer ainda mais por Minas Gerais; o PSDB deve lutar para fazer o mesmo número de deputados por São Paulo e crescer nos eleitos pelo Paraná. É de se esperar que o PSB cresça após a entrada de Marina Silva enquanto o PV, partido dela em 2010 deve perder cadeiras; o DEM deve continuar a minguar, o PSD enfrentará sua primeira eleição nacional lutando para manter o seu tamanho e o PSC deve ter um bom crescimento. Veja abaixo como foi o resultado dos principais partidos da última eleição por estados e quais são as perspectivas de cada um tendo por base os desempenhos estaduais:

PT

* Total de eleitos em 2010: 88.  Estados mais importantes: 16 por SP, 10 pela BA, 8 pelo RS e por MG, 5 pelo RJ e pelo PR;

* Em 2014: Está bem fraco em São Paulo, perdeu força no Rio Grande do Sul e na Bahia, estados em que elegeu o governador no primeiro turno em 2010. Pode aumentar a bancada por Minas onde o predomínio tucano está em risco. No Rio e no Paraná o partido não parece ter chances de disputar sequer o segundo turno e deve lutar para manter o número de eleitos pra deputado federal;

PSDB

* Total de eleitos em 2010: 53. Estados mais importanes: 13 por SP, 8 por MG, 3 pelo Paraná, Pará, Goiás e Maranhão;

* Em 2014: Tudo indica que mais uma vez levará São Paulo no primeiro turno, tem boas chances de manter os governos do Paraná, Pará e de Minas mas, neste último caso, a disputa deve ir ao segundo turno. O crescimento de forças alternativas como o PSC podem tirar-lhe votos importantes no Paraná e em São Paulo. O fraco desempenho da candidatura presidencial também deve influenciar negativamente.

PSB

* Total de eleitos em 2010: 34. Estados mais importantes: 7 por SP, 5 por PE, 4 pelo CE, 3 pelo RS e pelo RJ;

* Em 2014: A entrada de Marina Silva deve refletir em melhoras no resultado do partido, fazendo uma bancada mais espalhada pelo país. Em São Paulo o partido está fortalecido com o posto de vice na chapa de Geraldo Alckmin. Perdeu força no Ceará com a saída da família Gomes mas pode crescer ainda mais em Pernambuco, mesmo se a eleição estadual não for decidida para o partido no primeiro turno.

PMDB

* Total de eleitos em 2010: 79. Estados mais importantes: 8 pelo RJ, 7 por MG, 6 pelo CE e pelo PR, 5 por SC e PB;

* Em 2014:  Não deve conseguir o governo do Rio de Janeiro em primeiro turno como em 2010 e não tem candidato forte em Minas Gerais. Em compensação, pode melhorar o desempenho em SP, estado em que elegeu apenas um deputado em 2010 (Paulo Skaf é hoje a maior força contra os tucanos). É um partido marcado por ter forças distintas em vários estados e, como em 2010, deve ter uma bancada bastante espalhada por todas os colégios eleitorais, especialmente pela perspectiva de aumentar o número de governos estaduais.

PSC

* Total de eleitos em 2010: 17. Estados mais importantes: 4 pelo PR, 2 por BA, SP e RJ.

* Em 2014: O grande puxador no Paraná, Ratinho Júnior, não disputa a Câmara Federal mas estadual. Marco Feliciano, que teve 211 mil votos em 2010, deve ampliar sua votação, restando a dúvida do quanto. A candidatura nacional do Pastor Everaldo poderia incrementar a votação na legenda mas foi praticamente engolida pela entrada de Marina Silva na disputa. Pelo Brasil, o partido conta com celebridades que devem fazer a bancada crescer.

Aqui no Reaçonaria apresentamos alguns candidatos através de nossas entrevistas. Outras mais virão para ajudar nossos eleitores a conhecer candidatos que podem representá-los dignamente. Se tiverem mais candidatos a deputado a indicar para que entrevistemos, deixem comentário abaixo.

Página 2 de 71234567