MPF em Goiás recomenda que órgãos federais não promovam atos sobre impeachment

A Procuradoria da República no estado de Goiás expediu uma recomendação a todos os quase quarenta órgãos federais sediados naquele estado, determinando que nenhum ato político-partidário sobre o processo de impeachment da presidente Dilma seja realizado nas sedes. A recomendação diz ainda que não devem ser usados bens ou mesmo recursos desses órgãos públicos em atos dessa natureza.

A recomendação tem por objetivo garantir a moralidade na administração pública, impedindo que bens e serviços pertencentes à coletividade sejam usados para defender interesses partidários de grupos políticos específicos. De acordo com os Procuradores que assinam a recomendação, a realização de atos sobre o processo de impeachment em órgãos públicos (ou usando bens e serviços públicos) é uma prática ilícita pois “exteriorizam ações incompatíveis com a Administração Pública”.

Com a sucessão de eventos políticos que temos visto no Palácio do Planalto, promovidos e custeados com recursos públicos, tendo como único objetivo dar apoio a Dilma, acho a iniciativa do MPF em Goiás ótima e digna de aplausos. Todas as Procuradorias da República espalhadas pelo país deveriam fazer o mesmo, afinal os recursos públicos que custeiam órgãos e serviços devem ser usados em prol da sociedade, não dos interesses partidários de quem ocupa o governo.

Revisado por Maíra Pires @mairamadorno

Um comentário para “MPF em Goiás recomenda que órgãos federais não promovam atos sobre impeachment

  1. Brasileiro de Aço

    Infelizmente essa determinação vem depois da ex presidente Dilma ter admitido terroristas ameaçando o povo e fazendo proselitismo político dentro do Planalto. O fato é que ou o povo derruba esse governo agora ou o governo do PT vai ferrar esse país de um jeito que dificilmente o Brasil sairá da merda novamente. Sugiro a vocês a começarem uma campanha conclamando o povo a ir para Brasília no Dia 17 de abril. Agora o Congresso e o STF têm que sentir a verdadeira força do povo brasileiro.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *