Guarulhos: onde a Marcha das Vadias se mete na educação de crianças

Uma batalha campal marcou a audiência pública que discutiu a inserção da Ideologia de Gênero na educação fundamental em Guarulhos. O evento foi tomado por hordas de militantes sem qualquer ligação com a educação de crianças e jovens.

Realizada na noite de quarta-feira, 20, na Câmara Municipal de Guarulhos, a audiência serviu para provar que a educação fundamental – voltada a crianças e adolescentes – é um dos grandes alvos das militâncias organizadas.

A Ideologia de Gênero é a nova arma dos movimentos que querem destruir a família. Ela propõe que as diferenças entre homens e mulheres são apenas invenções culturais e não há nenhuma diferença biológica ou natural entre os sexos.

Para se ter uma ideia do nível de interesse dos militantes pela educação fundamental, basta destacar que a audiência pública de Guarulhos atraiu os representante dos seguintes “movimentos”:

Marcha da Maconha

Marcha das Vadias

Marcha Mundial de Mulheres

Movimento Passe Livre

Coletivo Fora da Ordem

Coletivo Quilombo Raça e Classe

Sim, até mesmo as autoproclamadas Vadias apareceram lá para dar seus pitacos sobre a educação de crianças e adolescentes. Parece surreal, mas é apenas o Brasil.

É claro, as autodenominadas Vadias estavam lá pra dar seu apoio à Ideologia de Gênero, vaiar os palestrantes e ofender quem ousasse discordar delas.

Óbvio que o a visão de pessoas com este perfil é valiosíssima para a construção do plano de educação votado às crianças de adolescentes de Guarulhos:

Ah, sim, um detalhe: Guarulhos é governada pelo petista Sebastião de Almeida.

Sebatião de Almeida, o petista que desgoverna Guarulhos, e Dilma, que destrói o Brasil

Sebatião de Almeida, o petista que desgoverna Guarulhos, e Dilma Roussef, a petista que destrói o Brasil. O petismo comanda ambos há mais de uma década

Os militantes estavam lá para respaldar aquilo que já é uma vontade consolidada da gestão petista: levar a doutrinação ideológica para as salas de aula. Para tal, militantes e Prefeitura recorrem aos clichês da “luta pela tolerância” e “respeito ao diferente”.

Guarulhos é um retrato do que ocorre agora mesmo nas demais cidades do Brasil. Os municípios têm até 24 de junho para aprovar seus Planos Municipais de Educação com a realização de audiências públicas nas próximas semanas.

Para ter validade legal, o PME precisa ser aprovado pelas Câmaras Municipais.  É aí que entram as militâncias organizadas cujo trabalho é pressionar os vereadores e hostilizar qualquer um que se oponha à inserção da Ideologia de Gênero nas escolas.

Batalha campal

Convidado a prestigiar o evento, o bispo diocesano de Guarulhos, Dom Edmilson Amador Caetano, foi impedido de falar pelos militantes presentes na audiência, que despejaram um festival de ofensas e xingamentos contra ele.

O bispo nem sequer havia se posicionado sobre o tema quando começaram as hostilidades. Uma das feministas presentes gritou: “Ele é bispo e o Estado é laico. Ele não pode falar aqui!”. Os católicos presentes também foram hostilizados.

Confira os Militantes “da tolerância” em Guarulhos!

Todas as vezes nas quais alguém mencionava um princípio moral básico – sem qualquer proselitismo religioso – era acusado de estar violando a laicidade que deve imperar na Câmara Municipal de Guarulhos.

O evento foi interrompido em diversos momentos por conta da agressividade dos militantes que lá estavam, supostamente, para “defender a tolerância”.

Militantes contra o povo

Choveram ofensas contra a religião das pessoas comuns que, com muito esforço (ao contrário dos militantes profissionais, a maioria das pessoas trabalha e não têm tempo pra debates) lotaram o plenário da Câmara de Guarulhos.

Eis a interpretação da esquerda sobre Estado Laico: todos podem participar do debate público, menos as pessoas comuns dotadas de crenças religiosas. Estas devem ser apartadas do debate porque – ao contrário dos militantes profissionais – não são vinculadas a qualquer movimento, partido ou ideologia.

São apenas pessoas comuns defendendo seus valores morais. Gente sem carteirinha de partido disposta a participar do debate público manifestando seus princípios pessoais e religiosos. Para a esquerda, isso é violar o Estado Laico.

Para os militantes que tomaram a Câmara de Guarulhos na fatídica noite de 20 de maio, os religiosos deveriam ser confinados em leprosários e autorizados a sair de lá apenas pagar os impostos que sustentam, inclusive, a estrutura de doutrinação.

São os militantes –  e não os pais ou professores – que devem decidir por meio de seus especialistas amestrados o que as crianças devem aprender nas escolas.

Apesar de toda a hostilidade, o professor Felipe Nery – palestrante convidado a falar sobre o tema, o que fez de forma absolutamente civilizada – deixou seu recado:

“Por ter estudado a fundo as consequências negativas da implantação da Ideologia de Gênero em outros países, e perceber que tal ideologia cria uma sociedade relativista, me oponho a inclusão da mesma nas escolas. Não estou sozinho; a entidade que presido, Observatório Interamericano de Biopolítica, conta com a participação de 160 mil professores que não querem ser instrumentalizados”.

 

 

 

Loading...

13 comentários para “Guarulhos: onde a Marcha das Vadias se mete na educação de crianças

  1. Daniel

    Que orgulho ver pessoas defendendo a formação mais humana e menos preconceituosa de nossos filhos.
    Enquanto isso nao acontecer, mulheres continuarão sendo espancadas por seus maridos.
    ps: duvido que esse blog seja democratico e publique opiniao divergente.

    Responder
    • Veron

      Não sei você sabe, mas não apenas as escolas como os próprios pais e mães já ensinam que homens não devem bater nas mulheres. Se ALGUNS criminosos fazem isso não é por falta de aviso e educação.
      O que você está cometendo é uma falácia Ignoratio elenchi. Além de ser algo contraditório.

      Ideologia de Gênero é forçar a ideia de que homens e mulheres são completamente iguais (a Biologia já sabe faz tempo que isso não é verdade), se forçar em escala nacional tal ideologia que homens e mulheres são iguais, homens baterão mais em mulheres igual batem em homens, pois terão a ideia na cabeça de que homens e mulheres são iguais e portanto ambos devem ser espancados de forma igual.
      Ou seja, se ensinar a Ideologia de Gênero PURA E SIMPLES (e não incrementá-la com propaganda sexista de que mulheres não devem apanhar igual os homens apanham – algo oposto ao que diz a Ideologia de Gênero), a violência contra as mulheres irá aumentar e se igualar à violência contra homens. E não diminuir igual você está supondo.

      Responder
    • amaury

      opinião divergente nem sempre é opinião inteligente.
      afinal, não precisa muita inteligência para entender que quem forma a criança não é a escola e sim os pais.
      também não precisa muita inteligência para entender que ideologia de gênero não é coisa para crianças.
      da mesma forma, não é necessária muita inteligência para saber que agressões puramente sexistas não são originadas por uma educação familiar que não privilegia a tal ideologia de gênero.
      no fundo, toda essa camarilha e seus apoiadores não passam de covardes.

      Responder
  2. Alexandre Sampaio Cardozo de Almeida

    São Paulo, 22 de maio de 2.015

    Prezado Sr. Cortês,

    A tendência é da situação piorar muito! Com os sucessivos escândalos de corrupção e a incompetência cabal dos esquerdopatas em administrar, o PT já não precisa manter a máscara de partido decente e democrático que sempre se esforçou para manter, até assumir o poder. O confronto é aberto, franco e passou da hora das pessoas decentes tomarem posição à respeito de qual lado pretendam defender. Não dá mais para contar com oposição, revista Veja, ou qualquer outra porcaria que diz anti-PT, mas que na hora do vamos ver, recolhem-se acabrunhados, usando a desculpa esfarrapada que desejam preservar as instituições! Danem-se as instituições! Todas estão carcomidas, corrompidas, aparelhadas da tia que serve o cafezinho, até o presidente do STF! Ou derrubamos essa gente e começamos tudo do zero, ou esse país se tornará em uma enorme favela comunista.

    Responder
  3. Roberto

    Para se ter uma idéia de como a coisa anda em Guarulhos, basta perceber que, ali, as escolas municipais são chamadas de escolas da prefeitura. Desse jeito mesmo: como se o município não existisse. Em seu lugar existe, bem, existe a prefeitura, oras.

    Responder
  4. dudu

    Passou da hora dessas “vadias” levarem borracha na cabeça!!! E junto com elas esses pseudo-mivmentos “afro”. Se gostam tanto assim da África, mudem pra lá!!!!

    Responder
  5. Leonardo

    A esquerda é mega engraçada: criança para eles não pode ser objeto de mercado consumidor mas pode ser doutrinada para ser um futuro Boulos por exemplo

    Responder
  6. Fernanda

    Se eu tivesse um(a) filho(a) e uma vagabunda feminista chegasse nele(a) falando de ideologia de gênero e o escambau, na mesma hora eu ia atrás dessa criatura pra encher de porrada!

    Responder
  7. Douglas

    Militantes de esquerda são uma desgraça mesmo. Quanta palhaçada.

    Não sei se esses imbecis sabem, mas nas escolas já não ensinam (e faz bastante tempo) que homens e mulheres são diferentes. Na verdade o sistema educacional, já totalmente doutrinário para o socialismo, não diz nada se homens e mulheres são iguais ou diferentes.
    Mas para eles a neutralidade não é o suficiente.

    Tal Ideologia de Gênero claramente é propaganda comunista para destruição da família, mais fragmentada que já está.

    Responder
    • jonas

      E importante estarmos unidos são GENOCIDAS (Anticristo) coloca homem contra mulher.
      São Satanistas mas USAM a LEI Biblica para adquirir DEFESA poder e dinheiro, através do pobre negro por Obediencia a Biblia trabalhao por salarios humildes e estes satanistas aproveitam essas brecha pra enriquecer, odeiam o PATRIARCADO mas vivem falando da lei de TALIÂO

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *