Todo mundo que eu não gosto é comprado pelo Temer? Calma aí.

Recebi este texto de um amigo que prefere permanecer anônimo. Endosso totalmente. Não preciso ressaltar que minha opinião não necessariamente reflete a opinião do site.

Todo mundo que eu não gosto é comprado pelo Temer? Calma aí, cara pálida.

A política seria mais fácil, admito, se fosse como um roteiro da Disney, onde o mundo se divide entre forças do bem/mal e quem representa o bem é franzino e bonito e o mal é feio e fala grosso. A realidade é muito mais complexa e os interesses e motivações são tão fragmentados e desencontrados que nem um roteiro de Game of Thrones daria conta de descrever.

Acreditar num parlamento motivado apenas pelo bem comum é tão ingênuo quanto acreditar num parlamento movido apenas por compra de votos. Por incrível que pareça, existem mais motivos para se votar contra a denúncia do Temer do que apenas negociatas espúrias.

Ao contrário de Dilma, os parlamentares não viram as maiores manifestações de rua da história do país, nem uma única, tomando as cidades e através da aclamação popular o pedido uníssono de queda de Temer. Aqueles balões da CUT não deram conta de encher nem o vão do Masp.

Do ponto de vista econômico, Dilma foi a causa da crise, e Temer está sendo a causa da estabilização. Olha a valorização do seu dinheiro, o Real. Com Dilma no poder o dólar chegou a custar R$4,30, agora está em R$3,00. Com Dilma no poder, o custo do crédito, a taxa de juros chegou a 14% e agora já está em 9.25% com previsão de chegar a patamares ainda menores. Com Dilma, seu poder de compra caiu a patamares históricos, com Temer você sacou seu FGTS. A bolsa de valores, nosso principal termômetro de como os investidores estão confiando na capacidade de geração de riqueza do Brasil, desde o fundo do poço deixando por Dilma, já se valorizou 83%, tirando nossas empresas principais da lama.

Aliás, ainda falando sobre economia, mês passado tivemos a primeira deflação no Brasil em 11 anos.

Existe uma diferença gigante entre um processo de impeachment e um processo de investigação por crime comum como o enviado contra o Temer. Se ontem o plenário aceitasse que Temer fosse investigado, e o STF acatasse o processo, Temer ficaria afastado por 180 dias e Rodrigo Maia assumiria o cargo. Isso muda tudo. Seria uma quebra tão abrupta nesta contínua melhoria estrutural que o país vem recebendo que a bolsa de valores, no dia que vazou o tal áudio do Temer dizendo “tem que manter isso aí”, chegou a cair mais de 15%. Além disso, se o Supremo condenasse o Presidente, entraríamos na famigerada querela das eleições indiretas, impopular mas a única alternativa prevista pela constituição. Essas eleições indiretas se dariam, muito provavelmente, a menos de um ano das eleições diretas de 2018. Ou seja, assistíramos no Brasil, em quatro anos, quatro Presidentes, com toda a instabilidade que disso decorre.

Se coloque por um momento na mente do parlamentar. Ele vê a rejeição grande ao Temer mas ao mesmo tempo vê que as manifestações populares contra o presidente praticamente inexistem perto do que aconteceu com a Dilma, a economia ainda frágil mas dando sinais de melhoras sucessivas depois da pior crise que este país já enfrentou, 14 milhões de desempregados gerados pela instabilidade política e pela fuga de investidores, e um processo de investigação que afasta automaticamente o presidente independente de ser culpado ou inocente. Você acha que ele precisa APENAS de uma emenda parlamentar que vai para o bolso de entidades credenciadas num processo altamente complexo e burocrático, como santas casas, casas de amparo, creches, escolas, prefeituras, que tem um cronograma lentíssimo e pode ser totalmente rastreado pela internet?

Além do mais, votar contra a investigação não significa inocentar o presidente, que pode e será investigado pela justiça comum no primeiro dia após a entrega do seu mandato. O que os parlamentares fizeram ontem foi decidir que para fazer a transição até 2018 é melhor um ruim que conhecem, que está sendo monitorado e que está estancando a crise do que um desconhecido que pode fazer o Brasil entrar novamente em estado de choque.

Loading...

13 comentários para “Todo mundo que eu não gosto é comprado pelo Temer? Calma aí.

  1. danir

    não sei não, mas considerando a turma que votou pela continuação imediata da investigação, eu to fora. Eu sei que o Temmer não é muito diferente da dilma ou do lula, mas a pequena diferença que existe, já é uma razão para esperar pelas eleições de 2018. O que ao meu ver valeria uma manifestação monstro, seria a demonstração clara que não queremos um juiz petista do supremo presidindo o processo eleirtoral, não queremos apuração secreta, não queremos aplicação de fusos horários diversos para divulgaçção de resultados e QUEREMOS voto impresso e com formas simples e dirtetas para fazer a verificação da lisura da apuração. Isto merece uma passeata monstro maior do que as ocorridas até agora. E, pelo visto tem gente bobeando se acredita na honestidade de certas pessoas que podem influenciar nas eleições.

    Responder
  2. Pedro

    Se a cada decisão importante eu precisa-se ir as ruas me manifestar nós não precisaríamos de uma republica representativa. Não importa se o Brasil teve deflação ou não, não importa o fator econômico os fins não justificam os meios, assim como eu queria que a Dilma saísse, mas não queria que o Termer Assumisse aconteceu o mesmo caso agora com Temer e Maia. Não importa o resultado crimes devem ser julgado, que tenhamos 20 presidentes no ano. Que historinha, “Não tem parlamentar bonzinho” Descobriu a lampada né? Parabéns por chegar nessa conclusão, que ao que me pareceu foi um ataque para envergonha quem repudia os parlamentares que votaram a favor do Temer, Falhou porque a maior parte das pessoas que acompanham politica não são crianças e conseguem pensar com a própria cabeça e não ser levado por uma argumentação dessas.

    Responder
    • Marcelo CentenaroMarcelo Centenaro Posts do autor

      Eu teria cassado a chapa logo após a eleição. Hoje, não afastaria Temer, não exatamente pelas razões econômicas que estão no texto, mas por razões políticas mesmo. A meu ver, puni-lo agora é absolver os crimes IMPUNES do PT, muito mais graves.

      Sinceramente, repudio os parlamentares que votaram a favor de Temer e também os que votaram contra. Precisamos de uma limpeza profunda e completa nas instituições. Entre todas, nenhuma me preocupa tanto quanto o STF.

      Responder
    • Marcelo CentenaroMarcelo Centenaro Posts do autor

      Entenda como quiser.

      O problema não é gostar do Temer. Não conheço ninguém que goste do Temer. Qual dos crimes de Temer corresponde a 1% dos crimes IMPUNES do PT? Afastá-lo e puni-lo agora, a meu ver, é absolver o PT.

      Ele ainda será pego.

      Responder
      • wilhelm

        Absolver o Temer é absolver o PT; absolver o PT é absolver o Temer. Os crimes impunes do PT são os mesmos crimes impunes do PMDB. É tão difícil perceber isso?

        A verdade é que não existe essa conversa de “crimes do PT” e “crimes do Temer”. Se um cometeu um crime, necessariamente o outro cometeu também, posto que ambos faziam parte do mesmo governo e, até pouquíssimo tempo atrás, comemoravam com entusiasmo a belíssima união que destruiu o Brasil (http://g1.globo.com/politica/noticia/2011/07/pmdb-e-pt-comemoram-amor-15-vista.html). É um erro achar que, assim como hoje, havia alguma dicotomia de interesses ali.

        Pode anotar aí: o Temer não será pego. E, infelizmente, os maiores culpados por isso não serão só os esquerdistas que estão interessados em ver o atual presidente continuar destruindo o Lava Jato, mas sobretudo os direitistas ingênuos que confundem pragmatismo com impunidade.

        Responder
  3. Pedro Rocha

    O cara que escreveu isso usa argumentos econômicos para defender Temer, mas não entende de Economia.

    Para o mercado, Temer e Maia são indiferentes, tanto que não houve sequer uma oscilação nem antes nem depois da votação, por isso a relativa placidez econômica pela qual estamos passando. Nem mesmo a oscilação da JBS foi grande coisa, mas apenas uma jogada especulativa em parte executada pelo próprio Joesley.

    Vejam a visão do mercado sobre o ocorrido, bem diferente dos que defendem o indefensável desgoverno corrupto de Temer, continuação incontestes do desgoverno petista em menor escala: http://www.infomoney.com.br/mercados/politica/noticia/6852363/jogo-nas-sombras-pela-permanencia-michel-temer-presidencia

    Responder
  4. Jonny Hawke

    Tirar o Temer pra quê? Para o Rodrigo Maia assumir ou Lula/FHC via diretas já? Melhor deixar cozinhando em banho maria e prender ele quando sair do cargo. Mas o problema é que ele é a continuação do governo da Dilma (tudo que ele está fazendo ela iria fazer também). O que ninguém está vendo é que ele anda muito “amigo” dos militares e da Rússia, isso sim não cheira bem.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *