O feminismo e o aborto da civilização

Relembrem essas notícias:

RIO— Manifestantes que participam da “Marcha das Vadias” na tarde do sábado 27  de fevereiro de 2013. quebraram imagens sacras na Praia de Copacabana, onde milhares de peregrinos aguardam o início da vigília da Jornada Mundial de Juventude (JMJ). A ação partiu de um casal que estava pelado, tampando os órgãos sexuais com símbolos religiosos, como um quadro com a pintura de Jesus Cristo. Esculturas de Nossa Senhora Aparecida e Nossa Senhora de Fátima foram destruídas. Em um ponto do protesto, eles juntaram cruzes, jogaram camisinhas em cima e começaram pisar nos artigos religiosos. Um dos manifestantes chegou a botar um preservativo na cabeça de Nossa Senhora. “

Bolívia “Ativistas de um coletivo feminista, vestidas de freiras grávidas, manifestaram no dia 6 de julho de 2015,  em La Paz, contra a visita que o Papa Francisco iniciará na Bolívia nesta quarta-feira (8). Elas foram  reprimidas pela polícia. “

 Paraguai- “Estudantes protestaram  contra os casos de abuso sexual na Universidade  de Paraguai,  e a suposta omissão destes casos por parte da igreja “

Todas as imagens acima mostram manifestações feministas. Em cada uma delas a religião é desrespeitada de uma forma diferenciada, seja através da quebra de imagens ou da ironia com santos.
O feminismo tem como objetivo sempre negar o cristianismo e toda sua contribuição para a construção da civilização. Com isso ataca a família tradicional e o direito à vida.
O movimento feminista pede por respeito, mas não respeita.

A Argentina é uma país em que o movimento extremista feminista tem longa história, que pode ser lida aqui. No dia 08 de Março, Dia internacional da Mulher, a Argentina teve suas ruas manchadas por diversas marchas feministas. O coletivo feminista Rosas de Tucuman, junto com o PTS (Partido dos Trabalhadores Socialistas) organizou uma marcha convocada pelo Facebook e pelo Twitter.

O ápice da manifestação se deu na frente da Catedral de Tucumán, onde uma mulher fantasiada de Nossa Senhora abortou Jesus. O teatro foi feito com muita tinta, para simular o sangue.

No meio de gritos e risos a fé Argentina foi violada e grupos ligados a igreja pediram que este ato seja devidamente criminalizado.

Em resposta a agressão o Monsenhor Alfredo Zeca, Arcebispo de Tucuman,  se pronunciou com as seguintes palavras:

“Sobre los agravios a la persona de la Santísima Virgen María y a la Fe del pueblo tucumano.

Repudiamos con profunda tristeza los lamentables sucesos que se cometieron ayer, 8 de marzo, a la tarde, en frente de la Catedral de Tucumán que agravian profundamente la persona e imagen de la Santísima Virgen María, Madre de Dios, como también la Fe de los católicos Tucumanos.

Esto contradice, profundamente una celebración donde se quería dignificar a la mujer, tanta veces humillada, golpeada y asesinada. Los hechos agraviantes no solo son agresivos para todos los creyentes, sino también, para la dignidad de la mujer. Siendo marzo el mes de la reflexión sobre los Derechos del Niño por Nacer, convoco a la comunidad en general, parroquias,movimientos y colegios, a la marcha por la vida y la familia el 25 de marzo a las 18.00 hs, desde plaza Urquiza hasta la Catedral, para celebrar juntos la Eucaristía y realizar un acto de desagravio al Dulce Nombre de María y su Hijo, Nuestro Redentor”

San Miguel de Tucumán, 09 de marzo de 2017.

Mons. Alfredo Zecca Arzobispo de Tucumán

Este não foi o primeiro e nem será o último ataque feminista à Igreja Católica. Cabe à Igreja e todos os seus filhos repudiarem e processarem cada um deles para que o respeito religioso seja resgatado.

5 comentários para “O feminismo e o aborto da civilização

  1. Alexandre Sampaio

    São Paulo, 13 de março de 2.017

    Prezados Reaças,

    Não se preocupem. O Islã está chegando! Essas filhas da puta, ordinárias, que adoram bater no cristianismo, terão de se ver com os “ensinamentos” de Mohammed. E hão de se lembrar, quando estiverem sendo chicoteadas e tratadas como animais reprodutores pelos islâmicos, da liberdade que gozavam e o respeito que detinham, enquanto o cristianismo ainda tinha alguma relevância. Essas vagabundas ignorantes plantam as sementes de sua própria destruição. É esperar para ver.

    Responder
    • Da CiaDa Cia

      Não há a menor dúvida que o islã tem as ferramentas e disposição para acabar com esse tipo de coisa. O problema seria o que fariam com as outras mulheres também.

      Responder
  2. Marcos

    Esse tipo de coisa deveria ser esfregado na cara de toda empresa que apoiasse o movimento feminista, de toda feminista que vai ao Facebook se perguntar como alguém pode ser contra o feminismo, de todo que se diz cristão e feminista. O tempo para discussão acabou. As provas são avassaladoras e irrefutáveis. Nos acabe agora apenas difundi-las. Quem se diz feminista está compactuando com o que foi mostrado na foto e com as declarações misóginas feitas pelas mais famosas autoras feministas. Ponto final.

    Responder
  3. Pedro Rocha

    Esses monstros morais fazem isso porque o feminismo não possui argumentos lógicos, já que foi criado pelos bolcheviques como instrumento de dominação ideológica da mulher pelo Estado via enfraquecimento da família e do pátrio poder.

    Como nos exemplos elencados, não há bandeiras ideológicas levantadas, apenas ódio contra a crença e a moral católica.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *