Tá chegando a hora?

A prisão de Lula parece cada dia mais próxima. Antes de isso acontecer, é preciso lembrar que Lula já é réu em quatro inquéritos.

O mais antigo deles é o de obstrução de Justiça, baseado na delação de Delcídio do Amaral. A denúncia foi aceita no dia 29 de julho mas, por envolver figuras com foro privilegiado, deve ser um processo bem lento até o julgamento e condenação.

A segunda acusação mais antiga foi aceita por Sérgio Moro no dia 20 de setembro e trata Lula como beneficiário de prêmios de empreiteiras do Petrolão, notadamente o Tríplex do Guarujá.

A terceira acusação mais antiga é do inquérito principal da Lava Jato, aceita por Teori Zavascki apenas no dia 6 de outubro. Esta denúncia envolve um grande número de políticos com foro e, por isso, foi desmembrada  em núcleos: do PT, do PP, do PMDB do Senado (Renan) e do PMDB da Câmara (Cunha). Como também passa pelo STF, podemos esperar bastante lentidão.

A quarta acusação é a mais recente, consequência da Operação Janus, desdobramento do primeiro processo investigativo contra Lula, o de Tráfico Internacional de Influência. Lula virou réu no dia 13 de outubro.

Como visto, a condenação mais próxima de chegar é a que virá pelas mãos de Sérgio Moro, no caso do tríplex. Acontece que, assim que for condenado, os advogados de Lula devem apelar da decisão, levando-a para julgamento de um colegiado. Somente quando  condenado por essa segunda instância Lula poderá começar a “puxar cana”. Isto dificilmente ocorrerá antes do fim de 2017.

Há, porém, outras alternativas para a tão aguardada prisão de Lula. Uma delas é a Justiça entender que Lula pode fugir do país, evitando assim responder ao processo e punição. Neste caso, pode ordenar a prisão preventiva.

Outra hipótese é a dos investigadores perceberem que Lula continua se movimentando para obstruir as investigações, queimar provas, ameaçar peças-chave e influenciar autoridades. Neste caso, o mais comum é um pedido de prisão temporária, que tem prazo definido de cinco dias, podendo ser renovado o prazo ou transformada a prisão em preventiva. Como exemplo, vale lembrar que Marcelo Odebrecht já tem uma condenação por Moro mas é mantido preso por prisão preventiva há um ano e meio – Odebrecht já apelou da decisão de Moro e o caso ainda vai ser “novamente julgado”.

Bastante comum têm sido as prisões que combinam as duas alternativas citadas. Paulo Bernardo, ex-ministro de Lula e Dilma, foi um que não apenas continuou se movimentando para apagar provas, utilizando-se inclusive da residência oficial do Senado a que tem direito sua esposa Gleisi Hoffman, como também evadindo grandes volumes de recursos. Foi por conta desse conjunto de ações que o juiz Paulo Bueno de Azevedo pediu sua  prisão preventiva.

E quanto a Lula?

lulapresoamanha

Será que Lula está atuando para se evadir do país? Ontem soubemos que o filho de Lula já se mudou para o Uruguai.

Será que Lula está atuando para obstruir as investigações? Lula já apelou à ONU contra Sérgio Moro e a Justiça brasileira. Tem usado movimentos sociais para sugerir que, em caso de prisão, pode incendiar o país. Tem usado a imprensa para atacar a Lava Jato (aqui  e aqui).

Será que Lula está evadindo divisas, ocultando os bens que adquiriu como beneficiário da Organização Criminosa que atuava no país? Nos últimos dias, Emílio Odebrecht confirmou que o codinome “amigo” era usado para se referir a Lula nas planilhas de propina da Odebrecht. A conta de Lula em propinas da Odebrecht, segundo essas planilhas, é de R$ 23 milhões. Leiam aqui.

Enquanto aguardamos para descobrir se será pedida uma prisão preventiva ou temporária de Lula, continuamos a atualizar nosso “Bingo Lula Preso”, que é a forma mais resumida de controlar o andamento das acusações que já foram aceitas e as que ainda estão para chegar lá. Vejam abaixo em duas versões, uma resumida e outra mais detalhada, com as datas de cada movimentação da cartela.lulapreso_20102016_dt lulapreso_20102016

Revisado por Maíra Pires @mairamadorno

Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *