PSDB, linha auxiliar do PT?

Como a maioria das pessoas que acompanha política há um bom tempo e condena as práticas petistas, não foi fácil acostumar-me com a imagem de Aécio Neves como político de oposição. O histórico dele em relação ao petismo sempre foi, no limite, dúbio, e na média, próximo. Ainda assim, é inegável que Aécio foi um candidato que se saiu muito bem nos debates demonstrando bom “tempo” de respostas e criando bons bordões, como aquele usado para chamar o PSOL de “linha auxiliar do PT”. O apelido pegou.

Porém agora é hora de falar tanto a Aécio quanto ao resto dos cardeais do PSDB que a covardia do passado, que se pensava inteligência, não pode ser repetida. Leiam estas duas reportagens em “O Antagonista”:

Mônica Bergamo e o conchavo PT – PSDB

Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo, diz que Dilma Rousseff, encorajada por setores empresariais e financeiros, cogita a possibilidade de propor um pacto político ao PSDB, a fim de evitar o agravamento da crise econômica.
O assunto foi discutido com dirigentes do PT, e Geraldo Alckmin, José Serra e Fernando Henrique Cardoso são vistos como interlocutores de um diálogo emergencial.
A rigor, o PSDB já está no comando da economia, com Joaquim Levy. E, claro, não adianta nada. A única maneira de evitar o agravamento da crise econômica é cassar o mandato de Dilma Rousseff. Espera-se que seus “interlocutores” no PSDB saibam disso

Aécio, você errou

Não dá para entender a atitude de Aécio Neves: ele contratou o advogado Kakay — aquele Kakay, amigão do peito de José Dirceu –, para saber se o seu nome estava na lista de Rodrigo Janot. Não estava, como já sabemos.

Pois bem, o que faz o Kakay agora como legítimo Kakay que é? Fornece manchetes aparentemente a favor de Aécio, dizendo que o doleiro Alberto Youssef, por quem Kakay foi demitido, viu-se “pressionado” pelos procuradores a falar do tucano nos seus depoimentos e coisa e tal. Traduzindo: Kakay fortalece a associação (e indexação) do nome de Aécio à Operação Lava Jato, o que é ruim para a imagem de tucano, e aproveita para tentar desmoralizar o pessoal bacana lá de Curitiba. o que é ótimo para José Dirceu e o PT.

Aécio, você errou.

Isso me lembra uma entrevista de Ciro Gomes, à época muito próximo de Aécio Neves, falando de alguns entendimentos ocorridos durante a crise do Mensalão:

CiroGomes_PSDB

Leiam o que Ciro Gomes disse sobre o trabalho feito para desarmar o impeachment:

Fizemos uma lista daqueles nomes importantes da República e escalamos quem falaria com cada um. Bastos e [Antonio] Palocci ficaram escalados para conversar com o Fernando Henrique e com o Serra, e eu, com Geraldo Alckmin, Aécio Neves, Fernando Gabeira [PV-RJ], José Carlos Aleluia [DEM-BA] – esta era a estratégia de diplomacia. E como infantaria, nós estimulamos um movimento para ocupar as ruas. O trabalho da diplomacia era dizer: “Daqui para trás: nós estamos vendo um componente golpista nisto, o presidente da República não será alcançado e nós não vamos tolerar isso”. Acabamos fazendo a manifestação na rua, só para mostrar que não estávamos blefando. O Aécio entendeu. Passou não só a concordar, mas a agir para desarmar a bomba. Muitas vezes ele mandou um avião para me buscar em Brasília às 9h da manhã, mandava o avião para pegar fulano, ciclano e beltrano da CPI e íamos para o hangar lá em Belo Horizonte. Lá brigávamos muito, mas chegávamos a acordos avalizados pelo Aécio. Ele nos ajudou a salvar o mandato do Lula. Invoco o testemunho de Gustavo Fruet [PSDB-PR] e Eduardo Paes [na época, PSDB-RJ]. O Aécio nos ajudou a desmontar a indústria da infâmia movida a partir do PSDB de São Paulo.

Todas as apostas para levar a um impeachment de Dilma por vias processuais estão sobre a esperança de que haja alguma comprovação de que suas campanhas de 2010 ou 2014 foram financiadas com dinheiro do Petrolão… Pois bem, para quem não se lembra, na crise do Mensalão tivemos uma confissão ao vivo para todo o Brasil de que a campanha vitoriosa de Lula teve o pagamento ilegal de US$10 milhões no exterior, o que à luz da nossa lei seria bastante para cassar o mandato. Foi contra isso que agiram os cardeais tucanos, com especial destaque a Aécio Neves, como testemunha Ciro Gomes.

Em 2005 e 2006 o PSDB acreditava que o PT murcharia naturalmente e perderia as eleições seguintes de goleada. Demonstraram assim viver sob uma hierarquia de valores que coloca a lei vigente em segundo plano, um detalhe a ser usado e aplicado conforme a conveniência do momento.

O PSOL nunca foi tão ousado como linha auxiliar do PT. É para retomar este título que os tucanos estão agindo agora?

Revisado por Maíra Adorno @mairamadorno

Loading...

14 comentários para “PSDB, linha auxiliar do PT?

  1. Paulo Robson Ferreira

    PT é absolutamente único. Sem paralelos. Não é partido e não tem nenhum conteúdo ideológico. É uma organização de marketing barato com fins exclusivamente lucrativos. O PSDB, quer se queira ou não, nos deu o melhor governo desde o regime militar, apesar de todos os equívocos cometidos. Toda desconstrução feita contra ele pelo PT só prosperou em razão do baixíssimo senso crítico da nossa população. Quem viveu 50 anos de inflação permanente sabe a dimensão da importância da estabilização do real. O PT em doze anos de governo não fez um projeto sequer auto sustentável. Não há termo de comparação, quem estabelece tal paralelo ou é muito cínico ou sofre de completa obtusidade mental.

    Responder
    • Guilherme

      Discordo.

      O FHC teve um primeiro mandato de fato, notável, mas PSDB e PT devem e muito ao Itamar Franco. Incrível como todos esquecem ele, e o mesmo foi o grande responsável pela estabilidade econômica deste país. E o primeiro mandato do Lula foi excelente. Depois o PT que deu com uma mão, puxou violentamente com a outra.

      Responder
  2. Joana

    E é por essas e outras que eu to colocando minhas fichas no NOVO, finalmente um partido libertário de verdade no Brasil.
    De uma olhada nas propostas deles e veja se você concorda, meu irmão me apresentou às ideias do partido, e eu to apostando neles. A minha maior pena é que eles projetam uma presidência so em 2030.
    CHEGA DE ESQUERDA NESSE PAÍS, por um estado mais enxuto e eficiente, por um povo que prospera junto a base de trabalho e suor, por leis que funcionem e politicos que trabalhem para o povo e não contra o povo.

    Responder
  3. Mateus

    Ano passado quando falei que o Aécio não era de direita, liberal ou muito menos o “salvador da pátria”, quase apanhei de muita gente que se dizia conservadora ou de direita
    Aécio sempre foi um tucano de feitos medianos, homem sem ideologia ou conteúdo.
    Virou senador e governador graças ao sobrenome forte
    A vida inteira escapou da infame pergunta “vc é de direita ou de esquerda ?”
    Viu que existia uma grande parte do eleitorado que era conservadora/liberal e da noite pro dia virou liberal – mais por conveniência eleitoral do vontade ou caráter
    Não voto mais nele ou em tucanos; cansei de votar no “menos pior”.

    Responder
  4. Pedro Henrique

    Na verdade o PSDB sempre e usado pela Petezada ,com muita calunia , mentiras e falsos dosies, para transferencia de sua malandragem. E da certo porque o PSDB e feito de respeito ,etica,educacao e moral.

    Responder
  5. Carvalho

    Já que a Monica Bergamo iniciou esse papo meio viagem, que tal vcs fazerem uma análise de um Governo de coalisão PMDB e PSDB? Com a Dilma fora, o Temer assume e o PSDB entra pra ajudar.

    Seria MUITO melhor que o que nos espera nas mãos de PT e companhia…

    Responder
  6. Carvalho

    O PSDB não é nosso sonho de consumo, é verdade, só que PT, PSOL e associados são piores. Acho meio inacreditável uma associação dessas, onde o PSDB só tem a perder.

    O PT está como aquelas pessoas que estão se afogando e não sabem nadar. Se o PSDB entrar para ajudar, o PT afunda o PSDB antes de ir pro fundo também.

    Responder
  7. Alexandre Sampaio Cardozo de Almeida

    São Paulo, 6 de março de 2.015

    Não estou nem um pouco surpreso. Defendo essa tese desde 2.001, quando THC ainda era presidente da república. Sempre fui considerado um “reacionário que baba e late” para quem dizia isso. Agora, passados 14 anos, as pessoas aos poucos, estão aprendendo da pior forma possível de que o PSDB é pior que o PT. Pior, pois todos sabemos do viés autoritário, antidemocrático, a corrupção avassaladora e a incompetência ímpar dos petistas. Votam neles os trouxas e os cúmplices. Quanto o PSDB, todos imaginavam ser a parte “boa” do antigo PMDB, a parte ética, competente, sensata, a parte que não se vendia por cargos e nem tomava cidades e estados por seus feudos particulares. A ilusão acabou. Dilma dificilmente será impedida de governar. Não por causa do PT, nem do PMDB, mas sim, pela cumplicidade tucana.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *