Lula é o primeiro ex-presidente acusado de chefiar uma quadrilha. O acordão PT-PMDB-PSDB será exposto?

A denúncia de Rodrigo Janot demorou, mas chegou. Não havia como a Procuradoria-Geral da República deixar de denunciar Lula e demais petistas pelo comando da cadeia criminosa do Petrolão. Lula se tornou o primeiro ex-Presidente brasileiro denunciado por chefiar uma quadrilha responsável por desvio de recursos públicos.

A denúncia ocorre quase um ano após o dia do Powerpoint da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba. A apresentação conduzida por Deltan Dallagnol praticamente forçou Rodrigo Janot a envolver Lula na investigação – até então, Lula não era objeto dos inquéritos na PGR. Contamos essa história no post “O efeito do Powerpoint de Dallagnol“. Relembrem o cronograma:

  • 17/03/2014 – Tem início a Operação Lava Jato
  • 29/07/2016 – Lula vira réu no STF por tentar obstruir a operação;
  • 14/09/2016 – Força-tarefa da Lava Jato inclui Lula em denúncia por favorecimento ilegal: foi o dia da apresentação em PowerPoint de Deltan Dallagnol
  • 20/09/2016 – Sérgio Moro aceita integralmente a denúncia apresentada pela força-tarefa da Lava Jato;
  • 28/09/2016 – Finalmente Rodrigo Janot envolve Lula entre os investigados no inquérito conduzido contra as pessoas que têm foro privilegiado;
  • 06/10/2016 – Teori Zavascki aceita a inclusão de Lula na investigação. A esta altura das investigações, o ministro estava praticamente incluindo Lula no banco dos réus também ali no Supremo Tribunal Federal

É muito provável que a Procuradoria-Geral da República tenha divulgado a denúncia hoje como forma de amenizar as críticas a Rodrigo Janot, decorrentes das novas gravações da JBS. A apresentação da denúncia também evita críticas de partidarização da instituição e ajuda o trabalho da nova Procuradora-Geral, Raquel Dodge: se a denúncia fosse apresentada por ela, poderia ser dito que Janot não o fazia por favorecer o PT e que ela só o fez para prejudicar o PT.

O próximo passo da denúncia é sua aceitação ou não pela Segunda Turma do STF, onde está o trio de ministros que tem operado fortemente contra a Lava Jato: Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Lewandowski. O Brasil inteiro suspeita que exista um acordão sendo operado e que envolveria a salvação de Lula em troca da salvação de Temer e Aécio. Como disseram Sérgio Machado e Romero Jucá “É um acordo, botar o Michel, num grande acordo nacional. Com o Supremo, com tudo”.

O julgamento da aceitação ou não dessa denúncia deverá ser acompanhada muito de perto. É mais um duro golpe contra a imagem pública de Lula e deve facilitar o trabalho de condenação do ex-presidente em outros processos e outras instâncias – Lula já foi condenado por Sérgio Moro e agora será julgado em segunda instância pelo TRF-4.

Diante de tantas denúncias e instabilidade política nos dias recentes, é pouco provável que a nova denúncia tenha algum efeito na popularidade de Lula. Mais do que os efeitos eleitorais, ela servirá mesmo  para notarmos os movimentos de instituições e algumas notáveis figuras da República.

 

LEIAM MAIS:

Janot acaba de denunciar Lula, Dilma e mais seis petistas por organização criminosa

Novas revelações da JBS não inocentam Michel Temer nem invalidam as provas

Executivos da JBS ocultaram crimes em delação e podem perder os benefícios

ANÁLISE: União de PT, PSDB e PMDB vista no julgamento do TSE mostrou o caminho do sucesso para os bandidos

 

Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *