Charges de Natal para quem passou por tempos difíceis

Prestes a encerrar, 2016 representa para o Brasil uma grande mudança. Os 14 anos de PT no poder aumentaram a corrupção e a injustiça, fizeram a vida urbana virar um inferno atormentado por drogas e criminalidade, além de tornarem o espírito de nossas leis ainda menos representativos daquilo que a maioria pensa. Apesar de tudo isso, o PT só foi realmente chutado do poder público oficial por conta da tragédia econômica.

E vêm das restrições financeiras os piores sentimentos dos brasileiros em relação a este ano. A economia não deveria ser a grande causa de correções de rumos de uma nação desgraçada como a nossa, nem definidora da vida, mas é justamente desta parte que vemos agora neste pós-PT a maior chance de correção de rumos.

Não há época melhor para renovação da fé em dias melhores do que o Natal. Para tantos que acreditam ter passado pela beira do fim do mundo, é bom colocarmos as coisas em seu tamanho real.

Foi pensando nisso que recuperei algumas charges publicadas pela YANK: THE ARMY WEEKLY, uma revista produzida por e para soldados americanos que batalhavam na Segunda Guerra Mundial. O Natal de 1945 foi a época em que a revista se despedia, a guerra havia chegado ao fim naquele ano. Era o primeiro Natal pacífico para o mundo. Embora estivesse claro para todos a sensação de que o pior havia passado, que um grande mal fora vencido, era também um tempo de incerteza e insegurança, especialmente econômicas. A Europa devastada, a restrição de crédito, os enormes déficits, o “custo da guerra” e os milhões mal alimentados faziam crer que, superados os inimigos demoníacos do Eixo, o mundo sucumbiria pela falta de dinheiro.

Neste clima, a YANK re-publicou algumas charges natalinas dos três Natais anteriores enviadas por combatentes do exército dos EUA.

Não se iguala um mundo saído da pior das guerras a um país devastado por bandidos e quebrado financeiramente. Feita a ressalva, convido aos amigos do Reaçonaria a apreciarem estas charges natalinas que destacam a alegria, o sentimento de dever a cumprir e a esperança em meio à desordem. Temos muito a fazer e o Brasil passará por esta gente.

Feliz Natal.

 

Revisado por Maíra Pires @mairamadorno

Um comentário para “Charges de Natal para quem passou por tempos difíceis

  1. Pedro Rocha

    Se estava ruim para a Europa Ocidental, na Europa Oriental foi pior, pois trocaram o ditador nacional-socialista de bigodinho pelo internacional-socialista bigodudo, mais cruel e eficiente no quesito “genocídio”, matando mais ucranianos por dia no Holodomor do que qualquer outro tirano em qualquer outro contexto. Mas o que importava mesmo era salvar a França para criarem a “Liga das Nações 2.0”. Estando bom para os ganhadores, os eslavos, palestinos e chineses que se danassem…

    Se a 1ª Guerra Mundial foi a “última guerra romântica”, como alguns incautos dizem (até parece…), a 2ª Guerra Mundial não teve lado certo, pois foi um embate de ideias malignas internacionalistas (sistema financeiro internacional, globalismo e marxismo) contra ideias nacionalistas malignas (nacional-socialismo, fascismo, teocracia japonesa e mesmo islamismo, com Rashid Ali).

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *