A divisão política no Brasil

Estamos vendo acontecer agora mesmo a radicalização petista contra todos que não estão a favor do partido. A cisão no país está explícita. Aos simpatizantes do PT, interessa dizer que o país está dividido num sentido em que deixe a entender haver uma equivalência de forças entre os que são a favor do PT, Dilma e Lula, e todos os que são contra os muitos crimes do PT. Isso não é verdade.

Só há três categorias de profissionais em que há um quase equilíbrio de forças entre quem defende os bandidos e quem quer os bandidos presos: entre os jornalistas, entre artistas que captam recursos públicos e entre professores de universidades públicas.

O PT se sustenta no poder apesar de ter perdido força popular, ter acabado o dinheiro público para comprar aliados e perder força no congresso porque esses três grupos citados são muito influentes. Quem buscar resposta para a simples questão sobre punir criminosos politicos ou não nas colunas de jornais encontrará uma amostra de opiniões totalmente distinta da que colheria nas ruas, em conversas com amigos, familiares ou desconhecidos normais.

Se isto não se normalizar, não ficar razoável, se jornalistas, artistas e intelectuais de esquerda continuarem com a defesa dos crimes do PT no nível vergonhoso que o fazem hoje, ao ponto de ofenderem todos os que são contra o PT, uma hora a maioria da população também verá nessas pessoas não apenas cúmplices, mas criminosos da mesma estirpe.

É um jogo em que essa gente ganha de qualquer forma. Ganham por, falsificando a verdade, ajudarem seus ídolos e também por, diante da revolta que criam contra si, poderem vitimizar-se, conseguindo assim mais apoio à causa disfarçada de preocupação com radicalização política.

Para terem um perfeito exemplo de toda a canalhice citada por aqui, acompanhem as colunas de Bernardo Mello Franco.

Revisado por Maíra Adorno @mairamadorno

 

Um comentário para “A divisão política no Brasil

  1. Mauro

    Quando essa mulher finalmente cair, é preciso voltar às ruas para apoiar as investigações e mostrar de forma inequívoca que a meia dúzia de pelegos que ainda defende o governo é uma minoria ínfima. Ou podem ter certeza que a corja de vermelho vai fazer de tudo para (nas palavras do líder) “incendiar o país”.

    São especialistas em se fazer de vítimas, mesmo depois de 14 anos no poder.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *