Mentes Perigosas

Um “paraíso esquerdista” seria um lugar onde todos tem emprego garantido, saúde gratuita, educação gratuita, comida gratuita, habitação gratuita, vestes gratuitas, serviços gratuitos e somente a polícia teria armas. E, acredite ou não, essa utopia esquerdista existe mesmo…. chama-se cadeia. – Joe Arpaio

O maior tribunal do país subiu mais um degrau de insanidade ao forçar o Estado a indenizar presidiários por suas cadeias não serem spas. Subtende a decisão que é agora direito do preso todos os cuidados do Estado aos cidadãos honestos. Há um forte ativismo para que os presidiários tenham garantias com os quais a população sonha: luxos como saúde, educação, segurança e lazer gratuitos. Como não existe almoço grátis é a população desamparada quem deve pagar o atendimento aos presos, os novos clientes do Estado.

Trabalhos forçados? Só do cidadão honesto para sustentar presidiário.

Esta é uma insanidade que só tinha visto nas cortes escandinavas onde acharam de bom tom dar um Playstation 3 a um psicopata que reclamou que o Playstation 2 seria tortura. No socialismo escandinavo um assassino em massa matar centenas de pessoas no GTA V é reabilitador! Eis o nosso país-modelo. Com juízes que vivem no mundo virtual, é perigoso um advogado ser pioneiro nessa idéia.

Uma sociedade que já está culturalmente deformada pela normalização da criminalidade tem de viver com a idéia que se o bandido não lhe toma o que se ganha honestamente na ponta da arma, deve o Estado tomar dinheiro do cidadão para beneficiar bandidos. Direta ou indiretamente, todo dinheiro ganho honestamente no país é de direito do criminoso, seja através da violência criminosa, seja através da “Justiça” que compra terno em Miami.

M-M-M-M-Monster Kill

Mas não me surpreende. Quando pertencia ao meio jurídico universitário já ouvia engenheiros sociais acusarem o Estado pela gestação de criminosos como se crime não fosse escolha e sim problema técnico. Os positivistas se vêem como humanistas libertários ao defenderem que não haja pena de morte à psicopatas. O Estado não deve punir, afinal, como dizem: “só existe traficante por culpa da guerra às drogas”. As maiores delinquências jurídicas são sentenciadas com um ego de rockstar quebrando tabus.

Desde ali, não fazer distinção entre pessoas honestas e desonestas, entre assassinos profissionais e médicos, era sinal de progresso que separava o jurista das massas reacionárias que seguiam apresentadores de programas policiais. Sobrava comparações sobre como o jeitinho brasileiro era tão pecaminoso quanto incendiar dentistas e tapavam o nariz para os valores conservadores do povo. Faziam soar que a escolha de se tornar ladrão era tão razoável quando a escolha de se tornar advogado – talvez pela proximidade da vocação – e a quantidade de acadêmicos que se formaram com essas idéias e hoje fazem parte da força policial não é pequena, basta ouvir a cantilena de qualquer um do meio que procure uma solução para a criminalidade brasileira. O número espetacular de homicídios no Brasil é direta consequência dessa mentalidade.

Já nos forneciam como causa da anomia brasileira não a falta de enrijecimento penal mas ausência de políticas esquerdistas. Se não implantarmos o socialismo ficaremos nas mãos dos bandidos. Explicando assim não fica difícil entender qual é a da gratidão da esquerda com o Maníaco do Parque: são os bandidos que mantém o avanço do estatismo enquanto a esquerda cruza os braços nos fazendo reféns dos criminosos. Quanto mais bandidos, mais justificativa para o Estado dar coisas gratuitas*. E não há nenhum sinal de remorso, afinal se capitalismo é uma atividade criminosa então não há diferença moral entre um batedor de carteira e um pipoqueiro.

Situação de quem vive da caridade e não é desonesto para roubar. A vida de presidiário em qualquer presídio brasileiro é bem melhor.

A esquerda faz da sua missão torturar a vida dos justos, pessoas que não são perfeitas mas estão sempre melhorando. A sociedade tem de lembrar que a função natural do Estado, segundo os evangelhos, é punir o mal com espada e premiar o bem. Somente uma sociedade satânica faria o inverso. Não podemos esquecer que o bom ladrão mesmo bom morreu na cruz, essa talvez tenha sido a maneira do evangelho dizer a todos nós que bandido bom é bandido morto.

Que os magistrados voltem a ser terror para as más obras no Brasil.

*Até nisso a direita pensa na austeridade econômica, afinal a única coisa gratuita que a direita diz que o Estado deve dar ao bandido sai barato: bala.

Revisado por Maíra  Pires @mairamacpires

Um comentário para “Mentes Perigosas

  1. Sérgio

    Prezado,

    concordo com o absurdo da decisão, odeio o ativismo judicial, defendo penas mais severas e que a polícia use a força em combate e em situações de risco, bem como o cidadão que desejar se defender. Espero que você tenha se referido mais nessa situação específica, ao longo do artigo.
    De qualquer modo, uma revisão, de modo a prevenir mal-entendidos, ficaria bem.

    Mas se os Evangelhos conotam algo como “bandido bom é bandido morto”, fico aqui admirado que a China ateísta seja tão cristã justamente quando se trata de punir criminosos.
    Fico também admirado que os comunistas chineses pensem na austeridade econômica melhor que os direitistas, pois lá nem a bala é gratuita.

    Por mais que tenham sido frases de efeito, não soam bem, e uma referência à criminologia (a honesta, não a ideológica) seria suficiente para transmitir a sua opinião, que em grande parte é também a minha e da maioria dos leitores deste site.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *