Conheça Celeuta Batista Alves, uma mulher invisível ao STF

Reportagem de uma regional do SBT ( http://v9vitoriosa.com.br/ ) mostra como vive uma cidadã honesta que os direitos humanos fingem não existir.

Com 64 anos, Celeuta Batista Alves come ração de cachorro, caramujos e teve de esperar dez anos para ser descoberta por repórteres no mato em meio a animais, defecando em latinhas. O mais espantoso é que ela foi  professora de matemática e física nas redes municipal e estadual, frequentou aulas na Universidade Federal de Uberlândia (procurem seu nome aqui), participou de eventos pela UFU  e se formou na Universidade Católica de Uberlândia (confiram neste link!) .

Segundo Celeuta, ela só está nessa situação porque vive no Brasil e não é bandida. Quem duvida que se Celeuta estivesse numa cadeia por ter feito mal a um inocente ela não teria a atenção dos direitos humanos e uma vida melhor graças ao STF? O que levou uma mulher dessas a viver em condições tão degradantes de vida enquanto o país discute conforto a presidiários? Será que faltou a Celeuta cometer um crime grave, inafiançável, que a deixasse por muitos anos na cadeia para ter uma vida menos humilhante?

 

Revisado por Maíra Pires @mairamacpires

Loading...

Um comentário para “Conheça Celeuta Batista Alves, uma mulher invisível ao STF

  1. eunice

    Esse exemplo é um no meio de muitos. O STF (Safados, Trapaceiros e FDP) esta mais preocupado em garantir uma boa vida pros “injustissadus çossiais” da v******* Maria do Ossario do que pata os brasileiros que realmente precisam.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *