Chega de pobrismo

A esquerda brasileira, mais uma vez repetindo uma tática da esquerda americana, resolveu amedrontar potenciais doadores para movimentos liberais criando teorias conspiratórias sobre “quem está por trás da nova direita”. E sabe de quem é a culpa? Da própria direita.

A reação imediata de muita gente é “ei, eu não recebo dinheiro!” e é exatamente o que eles querem. De um lado, mandar alfafa ideológica para os retardados que realmente acreditam nesse tipo de chorume, de outro passar uma mensagem bem clara aos ricos e empresários: nem pensem em dar dinheiro para movimentos liberais, continuem dando para nós, ou vamos jogar o nome de vocês na lama.

A única maneira de enfrentar isso, a única, é criar um ambiente em que a doação privada seja bem vinda e popular, que ricos e empresários façam fila para dar dinheiro para movimentos liberais. Se você pedir desculpas, se ficar choramingando e dizendo “ai gente, eu juro que sou pobre”, o que é verdade, você não só mostrará a fraqueza do movimento como vai tirar qualquer possibilidade de deixar de ser pobre. Dinheiro não aceita ofensa.

Quando um rato da esgotosfera diz “você recebe dinheiro da CIA”, a única resposta possível é “recebo mesmo, inclusive estou comprando a empresa que você trabalha e vou tirar seu emprego”. Com bandido, vagabundo, escroque, você não racionaliza, não tem conversa inteligentinha, ou você ignora ou parte para o ataque. Deixem de ser trouxas!

Sem dinheiro, a direita que já é pequena, mínima, vai ser erradicada do planeta. Se não aprenderem de uma vez por todas a tirar dinheiro de quem tem dinheiro para financiar movimentos, ONGs, institutos, think tanks, seminários, cursos, jornais, blogs, vocês não tem uma única chance nessa briga, não dão nem para o começo.

Lênin disse que a burguesia briga para vender a corda que ele vai usar para enforcá-la. Churchill disse que o apaziguador é aquele que alimenta o crocodilo na esperança de ser devorado por último. A esquerda mundial tem acesso a fontes de receita inimagináveis para nós e continua gritando que nós é que temos dinheiro. E como reagimos? “É, somos pobres mesmo, mimimi”. Ah, tenham dó!

Eu nunca recebi um único centavo de ninguém por ser “de direita”, “conservador” ou “liberal”, mas esse dinheiro seria muito bem vindo, recebido com festa, música e champanhe. Para conseguir dinheiro para qualquer coisa, comece aprendendo a falar a língua de quem tem dinheiro, conviva com eles, seja amigo deles, e mostre a eles o perigo de dar dinheiro para a esquerda e de não dar para nós.

Chega de pobrismo. Cadê o liberal ostentação? Onde estão nossos Donald Trump ou Steve Forbes? Até isso a esquerda produziu, colocando nas capas de revista Eike Batista, o “empresário do PT” que ostentava um riqueza amealhada nas franjas do estado.

Se você acha que o liberalismo gera mais dinheiro para toda a sociedade, que tal não ter preconceito contra dinheiro? É fácil culpar os ricos que não dão dinheiro para nós (ou seja, todos), mas o que estamos fazendo para que eles sintam vontade ou necessidade de financiar movimentos liberais? Eles são maus doadores ou nós somos maus levantadores de recursos?

Nunca diga a um rato que não recebemos dinheiro ou dê a impressão que receber dinheiro seria algo ruim. Ria da cara deles, diga que estamos nadando no dinheiro, e na paralela ajude a mostrar aos ricos do país os perigos que estão correndo ao alimentar o crocodilo.

great_gatsby-1280x750

Loading...

6 comentários para “Chega de pobrismo

  1. Everton

    Muito bom!

    Tem que ser assim mesmo, assumir que recebe – se for o caso de quem recebe mesmo dinheiro – e tacar um foda-se nos esquerdopatas!

    Ficam com esse mimimimi terrível que não leva a nada e, nisso, são acusados de tudo e difamados de todas as formas.

    Responder
  2. Alexandre Sampaio Cardozo de Almeida

    São Paulo, 26 de junho de 2.015

    Prezado Sr. Borges,

    Permita-me expressar minha admiração pelo Sr. Pois é um dos poucos que fazem oposição de fato e aberta aos canalhas vermelhos, falando a língua que a população entende, não utilizando eufemismos e “fru-frus”.

    O Sr. está coberto de razão ao afirmar com todas as letras que com essa gentalha, só na base do ataque. Chegamos ao ponto em que nos encontramos , pois já ignoramos demais esses esquerdopatas sem vergonha!

    Para resgatarmos o que restou desse país, teremos que tomar na porrada. Não temos representação política. Poucos são os membros da imprensa que de fato não são simpatizantes do atual “status quo”, ou que não são “esquerdopatas, mas…”

    Basta! Muitos dizem que o PT e asseclas estão nas cordas, que é uma questão de tempo para o fim da quadrilha e outras bobagens do gênero. Mas enquanto Vana Roussef, Lula et caterva não estiverem presos, respondendo processos criminais e o PT e outras porcarias de esquerda não tiverem seus registros cassados, não acreditarei nessas bobagens.

    Temos um exemplo claríssimo: Após a derrubada do muro de Berlin, em 1.989, muitos pregaram o fim do comunismo. Esqueceram de avisar, Cuba, Coréia do Norte, China e a própria Rússia disso. A esquerdopatia é um fenômeno semelhante ao vampirismo: Para se eliminar a pessoa contaminada é necessário, decepar sua cabeça, encher sua boca de alho, enfiar uma estaca em seu peito, não esquecendo de afogar a criatura em água corrente antes, e para finalizar, expor o cadáver a luz do sol para transformá-lo em cinzas!

    Responder
  3. Tiago José Galvão Moreira

    Tem uma expressão que se popularizou na internet americana, que é “SHUT UP AND TAKE MY MONEY!”, que é dita quando se apresenta um produto tão bom ou tão desejado, que você nem precisa de propaganda para ser convencido a comprá-lo. “Cala a boca e tome logo o meu dinheiro!”. A gente tem que arrumar uma maneira de causar essa reação nas pessoas.

    Responder
  4. dudu

    O velho papo de canalha esquerdista: “Só EU posso aceitar esse dinheiro, pois ele será usado para ACABAR COM A INJUSTIÇA SOCIAL”. Coisa de psicopata canalha.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *