Loading...

6 comentários para “VÍDEO IMPORTANTE: A verdade sobre a Base Nacional Comum Curricular

  1. Roberto

    Me desculpe o autor, mas a informação não procede.
    Estudei na Alemanha na década de 80 e te garanto: uma mudança de escola nunca apresentou problema curricular (ensino básico, até os 16 anos de idade).
    Os nossos “Parâmetros Curriculares Nacionais” não passam de platitudes generalistas, verdadeiras portas do inferno para aqueles que saem de um ensino fundamental sem saber o que é uma regra de 3 ou uma oração subordinada. Ou do ensino médio sem saber o que é uma equação de 2º grau ou ou ou…
    Enfim, é preciso muita boa vontade para chamá-los de “base curricular”. Tomar um único aspecto da doutrinação, repito, JÁ EM ANDAMENTO, e refugar uma discussão séria sobre o conteúdo a ser ensinado em salas de aula é a comparação que fiz sobre árvore e floresta.
    Claro que podemos continuar a pensar que a causa de nossos resultados ridículos na educação não é culpa de nossos currículos ou da omissão de professores e pais. É o que temos feito nos últimos, sei lá, 50 anos?

    Responder
    • Marcos

      Eu não sei falar bonito igual o Tio, mas resumo: Se não extirparmos a ideologia politico-militante gaysista imposta pela ONU, se não mandarmos para a lata do lixo da história o Socioconstrutivismo paulofreidiano, emilia ferrero, Piaget, e et caterva! Já era o Brasil…… Seremos em menos de 2 gerações o País mais burro e subalterno do mundo! Disponíveis e inermes, pronto para qualquer ditador mundial com discurso falso de Falso cristão ortodoxo( Putin) ou outro qualquer dominar e usurpar ainda mais das nossas riquezas até que não sobre nada !!!

      Responder
      • Roberto

        Marcos, concordo com tudo que voce disse, com uma única ressalva: não levará 2 gerações. Já vivemos no país com um dos piores ensinos do mundo e só elegemos “salvadores da pátria” desde 89.

        Responder
  2. Roberto

    Um currículo único e mínimo é o que leva países a se desenvolver.
    Este perigo apontado no vídeo é besteira: voces olham a árvore e se esquecem da floresta. O problema é o trabalhinho sujo e de formiguinha que JÁ ESTÁ SENDO FEITO PELOS DOUTRINADORES DE HOJE!
    Trabalhem para que esta doutrinação não ocorra, isso sim.

    Responder
    • Editor Posts do autor

      Não é, a base comum, centralizadora, é algo recente no mundo (EUA, Austrália). O que chamam de base comum em outros países e comparam conosco é similar ao que já temos e chamamos de Parâmetros Curriculares Nacionais, tudo dentro da Lei de Diretrizes e Bases.

      A Revolução Cultural do PT >>> http://reaconaria.org/blog/reacablog/a-revolucao-cultural-do-pt/

      Diário de uma professora subversiva >>> http://reaconaria.org/colunas/convidado/diario-de-uma-professora-subversiva/

      Responder
    • Gustavo

      O problema não é a base comum curricular, ou também chamado ” Common Core “. É verdade que a maioria dos países de primeiro mundo adotam este modelo a pelo menos 30, 40 anos. Mas, o ensino desses países sempre foi excelente. A França, Alemanha, Suíça, Estados Unidos têm este modelo há praticamente três décadas. O ensino desses países não ficou bom por causa do modelo, eles já eram bons. O motivo da mudança não foi como é alardeado, “que os melhores especialistas se reuniram” e bla bla bla. O motivo da mudança foi a interferência direta de organizações estrangeiras como a ONU. Existem vários livros de educandos franceses, alemães, suíços que falam que a educação de seus países se tornou ferramenta de manipulação. A diferença desses países para o Brasil é que a nossa educação é ruim e também ideologizada, a deles só estão ideologizada. Este sistema Common Core não tem nada haver com o bom ensino da França ou da Alemanha, o ensino destes sempre foi bom. No Brasil vai ficar um pouco mais fácil para que agentes políticos ou manipuladores doutrinem nossas crianças. Apesar que boa parte do nosso currículo e das provas do governo são de acordo com agenda dessas organizações estrangeiras como a ONU. Olhando os documentos públicos da ONU, (das décadas de 60 e 70 principalmente) eles falam explicitamente de engenharia comportamental como se bom e necessário para os alunos do futuro, vendo esses documentos, se alguém falar de teoria da conspiração estará sendo um belo de um canalha.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *