Raquel Dodge assume a PGR prometendo harmonia entre os poderes e defesa de direitos humanos

Escolhida pelo Presidente Michel Temer após apresentação de uma lista tríplice definida em eleição entre membros do Ministério Público, Raquel Dodge tomou posse hoje do cargo de Procuradora-Geral da República.  Numa época em que todos os últimos presidentes se envolveram em esquemas de corrupção, o método de escolha do titular da PGR ficou evidenciado como algo que precisa ser reformado o quanto antes.

Celebrada pela classe politica, especialmente pelos defensores de Michel Temer, a nova PGR fez um discurso em que a imprensa destacou o trecho que tratou da harmonia entre os poderes. Em ao menos três momentos ela tratou deste tema. Sabendo ser observada por toda a sociedade, Raquel destacou alguns temas caros ao Brasil que se levantou contra o PT, como são as questões dos impostos, baixa qualidade dos serviços e insegurança pública (vejam trecho separado abaixo).

De nossa parte, ressaltamos que equilíbrio entre os poderes não é um valor universalmente positivo. Se todos os poderes estiverem tomados por bandidos, a harmonia entre eles será uma operação contra o povo. Quando há várias facções criminosas, uma guerra com muitas baixas entre eles deve ser comemorada por quem está de fora – e tanto melhor se isso não gerar baixas de inocentes. Enquanto o poder público estiver repleto de bandidos, cabe às instituições combatê-los, especialmente pelo uso que fazem de suas atribuições para evitarem punições.

Torcemos para que a alegria de tantos corruptos com a chegada de Raquel Dodge seja precipitada e equivocada.

TRECHOS DESTACADOS POR NÓS:

Pauta ampla:

O Ministério Público instituído pela constituição de 1988 tem, portanto, a obrigação de exercer, com igual ênfase, a função criminal e a de defesa de direitos humanos. Deve priorizar a atuação de seus membros na medida adequada a resolver problemas graves, que inibem o bom desenvolvimento humano, como as elevadas taxas de homicídio; a violência urbana e rural, as falhas na qualidade da escola — e sabemos que a educação de qualidade emancipa a pessoa e rompe o círculo da pobreza –, e a ausência de serviços básicos de saúde onde são necessários. Os desafios são muitos.

Pé no freio em relação às investigações e prisões preventivas?

O País passa por um momento de depuração. Os órgãos do sistema de administração de justiça têm no respeito e harmonia entre as instituições a pedra angular que equilibra a relação necessária para se fazer justiça em cada caso concreto. Temos de cuidar da dignidade da pessoa humana. A Constituição não a estabelece apenas como ideal, mas exige concretude em relação a cada indivíduo, pautada pela observância da lei e dos direitos individuais.

Minorias e liberdade religiosa:

Fomos moldados por diversas línguas e culturas e convivemos bem com as diferenças. Esta herança multirracial caracteriza o Brasil e revela nossa humanidade. O Ministério Público zela pelo respeito a estas características, pelos direitos de índios e minorias, pela liberdade de religião e de credo.

O discurso de posse de Raquel Dodge pode ser lido neste link: http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/discurso-de-posse-de-raquel-dodge/

Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *