Rápido balanço dos protestos e o que está por vir

Há uma enorme corrente de opiniões e análises sobre as consequências dos protestos, os rumos, vencedores e perdedores de tudo isso. O que está muito claro até agora é que:

– Os líderes do MPL são os grandes vencedores ao conseguirem projeção nacional. Porém, com a redução das passagens em São Paulo e em tantas outras cidades, os manifestos daqui pra frente estarão mais visivelmente fora de seu controle;

– Abominável a covardia e sem-vergonhice do pessoal do MPL em não condenar quem comete vandalismos. Como explicado nesse excelente post, está claro que esses atos estão no roteiro das intenções do grupo. Leiam também a ótima coluna de Rogério Gentile na Folha, “Depredação livre“;

– O maior derrotado politicamente em tudo isso é sem dúvidas o prefeito Fernando Haddad. Mal começou seu governo e já teve que pagar o preço de suas promessas fantasiosas em algo que, realmente, pouco poderia fazer. A sua concessão ao segurar a passagem lhe custará muito em termos governamentais. No mínimo, terá que fazer algo que o PT historicamente abomina: Reduzir o custeio da máquina governamental. Reduzir secretarias, diminuir cargos comissionados, diminuir gastos com hospedagens e viagens, acabar com boquinhas na máquina pública… Terá que fazer isso para ter um pouquinho mais de margem para investir na melhoria da cidade;

– Patética a atitude de Haddad de, em meio à multidão, ir de helicóptero ao encontro de Lula, Dilma e um marqueteiro;

– Embora a PM tenha conseguido recuperar parte da opinião pública que havia perdido após vitimar até mesmo pessoas que não estavam nos atos criminosos, é inegável que Alckmin perdeu prestígio também;

– A Imprensa insiste em falar que “uma minoria” tem estragado os protestos com atos de violência. É preciso deixar bem claro que essa “minoria” tem partido E identidade coletiva;

– MST, CUT e UNE são as entidades políticas que mais perderam com a série de protestos. Ficaram calados e inertes. Pior, percebeu-se que não é necessário ter um carro de som ou liderança pelega para juntar gente em manifestações. CUT e UNE tornam-se cada vez mais irrelevantes nos grandes centros urbanos;

– A classe política sai tão desacredita disso tudo que sobrou até mesmo para o ex-presidente Lula, que mesmo opositores bunda-moles do país crêem ser um ídolo popular quando na verdade é/foi apenas o mais popular dos políticos;

– Ridículos e desnecessários todos os protestos feitos em frente à casa de Fernando Haddad. Os erros e mentiras foram cometidos pelo político, não pelo cidadão e sua família. Esse tipo de atitude deve ser condenada por todos para não se tornar comum, trata-se de uma violência;

– O PT querer tomar as rédeas do protesto agora é das coisas mais estúpidas e temerárias. As polícias do país devem ficar em alerta e é bom que os petistas de hollerith assim como os justos manifestantes baixem os ânimos, ninguém quer ver confrontos nas ruas. O potencial disso resultar em desastre é enorme;

Satélites do PT  ( MST, CUT, UNE, UBES, UJS,PCdoB) também planejam se aproveitar da situação;

– Em meio a tudo isso, a inflação deu uma desacelerada mas deverá em breve sentir os efeitos da alta já fora de controle do dólar. Dias piores para o Governo Federal virão;

– Estão marcados grandes protestos contra a corrupção e a PEC 37 para daqui a alguns dias nos finais-de-semana. Os protestos de final-de-semana nos últimos anos foram justamente aqueles protestos que a esquerda brasileira abomina: contra a corrupção, contra os impostos, contra o Mensalão. Eram motivos de chacota por reunir poucas pessoas. Por serem historicamente pacíficos e causarem bem menos transtornos às cidades, estão claramente fora do roteiro anárquico do MPL e outros grupos revolucionários. Então, se esses de agora forem bem-sucedidos, aí veremos muita gente mudar de opinião sobre essa nova mania nacional de ir às ruas protestar.

Continuem acompanhando toda nossa série de posts sobre os protestos através do HotSite “Protestos

7 comentários para “Rápido balanço dos protestos e o que está por vir

  1. Jeremias

    ATENÇÃO !
    Abaixo a ótima análise do bloguista Aluizio Amorim sobre este evento:
    “Desde que eclodiram essas manifestações alertei para um fato que se comprovou, ou seja, o movimento foi deflagrado pelo PT, por meio do Movimento Passe Livre. Desde o começo constatei o que ficou agora comprovado, quando o MPL anunciou sua retirada dos protestos alegando – vejam aqui – que as manifestações estariam dominadas por aquilo que qualifica de “conservadores”.
    Isto aconteceu depois que o PT e seus satélites como PSOL, PSTU, PCdoB saíram da toca com suas bandeiras vermelhas e foram repelidos em meio às manifestações não só em São Paulo, como em diversos pontos do país.
    Depois que a tal Vivian do MPL, tornada celebridade pela Rede Globo, anunciou que o próximo passo seria acabar com os latifúndios rural e urbano, parece que as coisas começaram a ficar claras, pelo menos para as pessoas com razoável nível de informação. A pauta nitidamente comunista ficou evidenciada.
    Entretanto, como destaquei desde o início da anarquia o que realmente soava surrealístico era o fato de que pessoas que nunca se perfilaram em torno do esquerdismo pudessem estar de mãos dadas com eles. Seria o mesmo que pedir para subir ao cadafalso e dar o pescoço ao carrasco.
    Pois bem. A saída do grupo esquerdista do movimento tem um significado importantíssimo. Seria mais ou menos assim: tudo o que acontecer de agora em diante será debitado na conta daqueles a quem os comunistas acusam de “conservadores”.
    E a coisa funciona da seguinte forma: se todos aceitassem as bandeiras vermelhas comunistas nos protestos, o PT faturava politicamente afirmando que o povo estava do seu lado apoiando o projeto de reforma política que vem sendo coordenado pelo Lula e que não passa de um ardil diabólico para jogar a pá de cal sobre as instituições democráticas. Esse ovo da serpente que vem sendo chocado por Lula prevê a convocação de uma Assembléia Constituinte Exclusiva para votar a tal reforma política. Como aconteceu na Venezuela, Bolívia, Equador e similares. A constituinte seria, evidentemente, dominada pelo PT.
    Como a jogada não deu certo pela reação de repúdio ao PT e demais partidos e movimentos comunistas, o MPL partiu ontem para a segunda alternativa, ou seja, abandonar o movimento para fazer crer que tudo o que acontecer daqui para frente deve der debitado à conta daqueles a quem acusa de “conservadores”, “fascistas”, “neoliberais”, e coisas do gênero, ou seja, qualquer pessoa que se contrapõe ao governo petista.
    E prestem a atenção. E não será surpresa nenhuma se uma gente esquisita com o rosto coberto por máscaras continuar a promover o vandalismo, saques e arrastões nos próximos atos de protesto. Eles são os velhos conhecidos agentes de agitação e confusão do esquema comunista.
    Outro dado revelante: a grande imprensa brasileira, com exceção da revista Veja e seu site, está completamente dominada pelo PT. Tanto é que A Folha de S. Paulo e O Globo fizeram o serviço em cima do lance ao relatar nesta madrugada (conforme noticiei aqui no blog) que os esquerdistas do MPL e demais movimentos ligados ao PT, tinham caído fora das manifestações. Algo assim: agora lavamos as mãos. Não temos mais responsabilidade nenhuma sobre o que puder acontecer.
    Convenhamos, não precisa desenhar. Esta é a realidade clara do que está acontecendo.
    A ARMAÇÃO PETISTA
    Complementando a minha análise, reproduzo o que escreve no Facebook o economista e escritor Rodrigo Constantino, quando oportunamente cita texto do jornalista e escritor Olavo de Carvalho. Leiam que é muito importante:
    “Nunca subestimem a malícia comunista. Ela é capaz de manobras que ultrapassam infinitamente a imaginação do homem comum e até do “político burguês” usual. Absorver a direita numa onda de protestos esquerdistas só para depois culpá-la de todas as violências ocorridas no processo é, para um planejador comunista, não apenas coisa banal, mas até obrigação. A turma do Foro está preparadíssima para usar a massa conservadora e patriota e depois jogá-la fora como se fosse um pedaço de papel higiênico, dizendo que com isso salvou o país de uma anarquia que arriscava levá-lo a uma “ditadura teocrática e fascista”.”
    Enquanto muitos celebram a retirada do MPL, e a expulsão do PT e PSTU dos protestos, isso ocorre justamente quando a violência passa por escalada preocupante e ameaça sair de controle. Ou seja, quando chegar o caos geral, e a própria classe média demandar o Exército nas ruas para restaurar a ordem, as esquerdas radicais não terão mais associação com isso tudo, e estarão do lado do governo, que não se esqueçam, é do PT, apoiando a defesa da “liberdade” contra esses “fascistas de direita”.
    Tomem cuidado!!!”

    Responder
  2. hiky

    Tem petista comemorando com essas manifestações, mas eles estão se enganando…
    Pois ontem ocorreram manifestações em São Bernardo do Campo, com verdadeiras batalhas campais, isto é um fato relevante, pois a região é berço do PT.
    Sinal de que nem na terra do Lula, a população está satisfeita com a gestão petista.
    Detalhe, o atual prefeito da cidade é do PT.

    Responder
  3. Alexandre

    Tenho acompanhado as postagens aqui do site sobre estes protestos e, talvez por ceticismo e pessimismo quase ontológicos, acho que tem muito wishful thinking nas “previsões”. Parece que ninguém atentou ainda para o fato de que, se a internet tem mesmo um poder nestas manifestações, ela tem uma “ideologia” muito clara, aquela chamada progressista, que está ancorada, se não em um pensamento de “esquerda” (PT incluso), em todo uma crença na qual o Estado deve prover tudo e a todos, que é preferível ter ESTE Estado cobrando rios de imposto para financiar bolsas e bolsas a correr o risco de ter de volta o neoliberalismo-malvado-imperialista-que-vai-privatizar-as-universidades-públicas. Boa parte das pessoas que estão nas ruas acredita nisto, infelizmente elas ainda não começaram a ligar as coisas. No ano que vem, votarão nos líderes do MPL que se candidatarão pelo PSOL…
    Mas se eu fosse fazer uma aposta, diria que: tudo isto vai arrefecer e continuará na mesma.

    Responder
  4. Hiky

    Gostaria de acrescentar mais algumas observações:
    -O governo Dilma também saiu perdendo, a imagem daquele país maravilhoso que eles faziam acabou, no mínimo saiu bem arranhado;
    -Como nenhum político lá em Brasília é idiota, o apoio ao PT está em risco, o instinto de sobrevivência fala mais alto, a maioria irá querer ficar ao lado das manifestações, pelo menos na aparência, ou seja, daqui pra frente o governo Dilma terá mais dificuldades de manipular os “nobres” deputados e senadores que estão no Congresso Nacional;
    -Haddad virou o bode expiatório do PT (Lula jamais admitirá que outros passaram na frente dele na condução das massas, principalmente o pequeno MPL).
    -Aécio Neves e Eduardo Campos perderam também, ninguém prestou atenção neles.
    -Outros grupos estão presentes nas manifestações, existe o risco do movimento Passe Livre ser passado pra trás por outros movimentos mais hábeis.
    -O PT desesperadamente convocou a militância pra sair nas ruas levantar a bandeira política deles, isto é, a reforma política, mas felizmente não existe tempo hábil, antes disso tem a Copa do Mundo e a reeleição de Dilma que corre perigo.
    -Por causa da Copa das Confederações os estádios viraram alvos das manifestações, imagina na Copa do Mundo, o risco é grande de aparecerem outros movimentos aproveitando da situação.
    -Geraldo Alckmim foi rápido em perceber o erro cometido pela polícia em reprimir as manifestações, foi esperto em ficar longe da mídia o máximo possível, por enquanto perdeu menos que Haddad o seu capital político (que se dane o custo dos subsídios nos transportes, a questão ficou pequena diante deste novo cenário político);
    -Não dá pra ter manifestações quase todos os dias, a economia não aguenta, ainda mais com a crise atual.
    -O momento é relevante para o Brasil, talvez decisivo para o futuro deste país, pois pode caminhar pra um cenário melhor ou muito pior, mas uma coisa é certa, as coisas passaram a andar mais rápido, os políticos precisam acompanhar o movimento imposto pelas ruas;
    -Mais do que nunca a eleição de 2014 será decisiva para o Brasil, a reforma política com certeza será a pauta depois das eleições;
    Enfim, a situação é incerta, alguns como o bloguista Reinaldo Azevedo da Veja estão mais pessimistas, pelo andar da carruagem, é pra ficar preocupado sim.
    Dá pra prever algum cenário futuro ?
    Seria bom uma análise a respeito neste blog, isto é, uma discussão sobre isso.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *