Polícia Federal pede segundo indiciamento de Lula pela Operação Zelotes

A Polícia Federal pediu um novo indiciamento de Lula na Operação Zelotes por atuar junto a uma rede criminosa que vendia Medidas Provisórias para grupos empresariais. Agora, Lula estaria envolvido na negociação da Medida Provisória 471.

Outros citados no pedido da Polícia Federal já são alvos de inquéritos na Zelotes. Segundo a PF, o ex-presidente teria praticado o crime de corrupção passiva ao participar do esquema para aprovação da MP do Refis. Até R$ 36 milhões teriam sido pagos a lobistas que agiam junto ao executivo para conseguir a prorrogação de incentivos fiscais de R$ 1,3 bilhão para montadoras instaladas nas regiões Centro-Oeste, Nordeste e Norte.

Dilma Rousseff também esteve envolvida na negociação, revisão e decreto da MP. E Gilberto Carvalho, ministro de Lula e Dilma, se reuniu com os lobistas quatro dias antes da promulagação da MP. Um dos escritórios que atuaram para viabilizar a medida fez repasses de R$ 2,4 milhões a Luís Cláudio Lula da Silva, filho do ex-presidente. A empresa dele foi aberta em 2011, ano em que a MP entrou em vigor. Segundo a PF, as negociações pela MP começaram em 2009.

O indiciamento pela PF é um passo anterior à apresentação de denúncia pelo MPF. Após o MPF apresentar, cabe à Justiça aceitar a denúncia e tornar Lula réu pela 6a vez. Chegaríamos então a 2 denúncias da Lava Jato no Paraná, uma no STF (obstrução de Justiça), uma pela Operação Janus (tráfico internacional de influência) que corre no MPF do Distrito Federal e duas pela Operação Zelotes.

A melhor forma de acompanhar o destino de Lula nos processos criminais é estar atento ao Bingo Lula Preso;

 

Revisado por Maíra Pires @mairamacpires

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *