Papa Francisco concede perdão a mulheres que abortaram e reitera que aborto é pecado contra vida inocente

O Vaticano acaba de divulgar a Carta Apostólica “Misericordia et Misera”, do Papa Francisco. Ressaltando o papel central da misericórdia no espírito católico, a carta prepara os fiéis para uma decisão de impacto: o perdão às mulheres que abortaram, sobrepondo todas as disposições em contrário anteriores.. O texto é especialmente voltado aos padres, com análise sobre a importância da confissão como missão sacerdotal.

Em virtude desta exigência, para que nenhum obstáculo exista entre o pedido de reconciliação e o perdão de Deus, concedo a partir de agora a todos os sacerdotes, em virtude do seu ministério, a faculdade de absolver a todas as pessoas que incorreram no pecado do aborto. Aquilo que eu concedera de forma limitada ao período jubilar fica agora alargado no tempo, não obstante qualquer disposição em contrário. Quero reiterar com todas as minhas forças que o aborto é um grave pecado, porque põe fim a uma vida inocente; mas, com igual força, posso e devo afirmar que não existe algum pecado que a misericórdia de Deus não possa alcançar e destruir, quando encontra um coração arrependido que pede para se reconciliar com o Pai. Portanto, cada sacerdote faça-se guia, apoio e conforto no acompanhamento dos penitentes neste caminho de especial reconciliação.

papafrancisco

Abaixo, alguns trechos importantes da Carta Apostólica, que pode ser lida na íntegra neste link.

No sacramento do Perdão, Deus mostra o caminho da conversão a Ele e convida a experimentar de novo a sua proximidade. É um perdão que pode ser obtido, começando antes de mais nada a viver a caridade.
Só Deus perdoa os pecados, mas também nos pede que estejamos prontos a perdoar aos outros, como Ele perdoa a nós: «Perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido» (Mt 6, 12). Como é triste quando ficamos fechados em nós mesmos, incapazes de perdoar! Prevalecem o ressentimento, a ira, a vingança, tornando a vida infeliz e frustrando o jubiloso compromisso pela misericórdia.

Aos sacerdotes, renovo o convite para se prepararem com grande cuidado para o ministério da Confissão, que é uma verdadeira missão sacerdotal. Agradeço-vos vivamente pelo vosso serviço e peço-vos para serdes acolhedores com todos, testemunhas da ternura paterna não obstante a gravidade do pecado, solícitos em ajudar a refletir sobre o mal cometido, claros ao apresentar os princípios morais, disponíveis para acompanhar os fiéis no caminho penitencial respeitando com paciência o seu passo, clarividentes no discernimento de cada um dos casos, generosos na concessão do perdão de Deus. Como Jesus, perante a adúltera, optou por permanecer em silêncio para a salvar da condenação à morte, assim também o sacerdote no confessionário seja magnânimo de coração, ciente de que cada penitente lhe recorda a sua própria condição pessoal: pecador mas ministro da misericórdia.

Revisado por Maíra Pires @mairamadorno

Loading...

Um comentário para “Papa Francisco concede perdão a mulheres que abortaram e reitera que aborto é pecado contra vida inocente

  1. Leonardo X

    Nunca pensei que Deus dependesse da absolvição de um padre para perdoar um penitente. O Pai sabe melhor que o padre o que se passa no coração de um pecador. Vale o mesmo para o caso de
    condenação de quem seja absolvido por um padre após uma confissão sem arrependimento. Ritos e sacramentos têm uma importância transcendental para os fiéis que se confirmam na fé e recebem
    de uma autoridade eclesiástica, diante da qual confessaram suas faltas, a consolação de que seus pecados foram perdoados. Muitos transtornos psíquicos são evitados com esse alívio. Mas Deus só não perdoa àquele que Lhe volta as costas e diz não ao Seu incondicional amor. Creio que este é o único pecado imperdoável, por respeito ao princípio do livre arbítrio.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *