Os salários maravilhosos no STF

O Brasil tem pela frente uma chance única de revisar todas as suas instituições, seus respectivos papéis e custos. Após descobrirmos que a elite política fez da criminalidade uma prática corriqueira e vermos, diariamente, as relações vergonhosas das cortes supremas com esta mesma classe política (leiam este, este e este post), precisamos pensar tanto na qualidade da composição das estruturas do poder quanto em seus custos.

Começamos a jogar luz a este tema quando fizemos o post “A Justiça Eleitoral vale os R$ 7 bilhões que gastamos com ela?“. Se em números absolutos a coisa toda sempre assuste, mergulhar nas minúcias nos abre a descoberta de um mundo maravilhoso de benefícios e regalias num país de miseráveis. Quando lembramos que essas pessoas legislam indevidamente sobre tudo no país, desde salários deles mesmos até as garantias de impunibilidade para políticos, a revolta aumenta muito mais.

Acreditamos ser de interesse de toda a sociedade conhecer o mundo maravilhoso dos funcionários do STF. Alguns números:

  • Excluindo-se os salários pagos aos ministros na ativa e aposentados, o STF gasta R$ 18 milhões por mês com o pagamento de salário de técnicos, analistas e contratados;
  • O STF gasta R$ 11 milhões por mês com aposentadorias e pensionistas apenas de técnicos e analistas;
  • Mais de 70 aposentados do STF receberam mais de R$ 30 mil de valor bruto no mês de julho;
  • 260 aposentados do STF receberam mais de R$ 20 mil no mesmo mês;
  • 193 técnicos ou analistas custaram mais de R$ 20 mil em julho;
  • O último concurso para Técnico Judiciário no STF foi em 2013 e anunciava um salário de R$ 4.575,16. Há no entanto 515 pessoas com este cargo na estrutura da instituição e o salário médio deles é de R$ 12.471,82;
  • O último concurso para Analista Judiciário do STF foi em 2013 e anunciava um salário de R$ 7.506,55. Há no entanto 572 pessoas com este cargo na estrutura da instituição e o salário médio deles é de R$ 18.772,98

Como é possível tamanha diferença? Através de uma prática muito comum no país, pelo qual as diversas estruturas do poder conseguem criar benefícios que vão sendo incorporados. Num sistema de compensação, as instituições em vez de combaterem essas práticas onerosas, as compartilham entre si. O que uma faz, digamos o Legislativo, a outra repete, até que passe a ser normal e natural. Na estrutura do STF esses penduricalhos têm as siglas FC e FJ, e se referem a cargos em comissão e funções comissionadas. Vejam como exemplo o hollerite abaixo, disponível no site do STF:

STF maravilhoso: comissões, auxílios e abonos para os funcionários

Vejam agora esta sortuda pensionista do STF que recebeu mais de R$ 38 mil no mês de julho:

Faça você mesmo uma consulta aos vencimentos dos mais de 1000 funcionários que servem aos nossos inquestionáveis ministros do Supremo Tribunal Federal:

1- Clique neste link http://stf.jus.br/portal/remuneracao/listarRemuneracao.asp?periodo=062017&ano=2017&mes=07&folha=1, ele o jogará já na página para consulta dos vencimentos de julho/2017;

2- Preencha as informações de mês, ano, tipo de consulta (Normal) e cliquem em “PESQUISAR”. Depois disso, selecionar “Todos” na caixa “Exibir”.

3 – A lista será exibida.

Clicando-se na opção “Suplementar” em vez da “Normal” na caixa ao lado do botão PESQUISAR visualizam-se os complementos de salário feitos por um lançamento adicional no mesmo mês.

Por fim, vejam abaixo, em nossa planilha com os dados do site, os cálculos realizados sobre os totais de analistas e técnicos do STF:

Custos dos técnicos judiciários do STF

Custos dos analistas judiciários do STF

Loading...

Um comentário para “Os salários maravilhosos no STF

  1. Leonardo

    Acho que essas planilhas estão erradas, deve ser muito mais. Eu não vejo uma solução definitiva pra todos esses absurdos, mas já dá pra começar colocando Bolsonaro lá.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *