A Justiça Eleitoral vale os R$ 7 bilhões que gastamos com ela?

O Tribunal Superior Eleitoral dá continuidade, hoje, ao mais importante julgamento de sua história. Este órgão é o máximo representante no poder judiciário de um monstro inventado no Brasil e que custará, em 2017, mais de R$ 7 bilhões segundo o Projeto de Lei Orçamentária Anual em vigor.

A estrutura que custa esta fortuna vai justificar sua existência? Só para efeito de comparação, o orçamento anual para 2017 da prefeitura de Porto Alegre é de R$ 6,9 bilhões (leiam aqui), enquanto o de Salvador foi de R$ 6,7 bilhões (aqui). Tomado isoladamente, o TSE custa anualmente R$ 1,4 bilhões.

Nunca antes em nossa história se viu uma campanha financiada com tanto dinheiro roubado dos brasileiros. Nunca existiu no mundo tamanho volume de provas de falcatruas eleitorais colhidas junto a delatores, documentos de empresas-fantasma e caixas paralelos de estatais.

Adiar o julgamento indefinidamente será o atestado de incompetência de um órgão gigantesco. Não condenar a campanha de Dilma e Temer em 2014 será a comprovação de que seus julgamentos não são técnicos, mas políticos.

Leia também:

 

Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *