No Rio Grande do Sul, MP e Defensoria atuam em favor de baderneiros que impedem alunos de estudar

Vejam o estado degradante a que chegaram os valores e instituições do Brasil, contaminados que estão pelo esquerdismo. Hoje, defender o direito de alunos terem aula virou algo bizarro, enquanto pessoas alheias ao corpo estudantil proibirem alunos e professores de frequentarem a escola é algo defendido e apoiado pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul e pela Defensoria Pública:

Um evento surreal!

Hoje participei, como advogada (trabalho voluntário) de pais de alunos e alunos que querem assistir aula/frequentar as escolas, de uma audiência na Vara Adjunta de Conciliação Pré-processual em Porto Alegre. O objetivo era tratar da invasão, por alguns estudantes (muitos não são estudantes dos colégios invadidos), dos estabelecimentos estaduais de ensino. O advogado dos alunos invasores (dizem “ocupantes”), é funcionário da Câmara Municipal e assessor de vereadora do Psol (aqui um adendo, este cidadão ficou irritadíssimo quando falei deste fato na audiência, pois ocultava isto)! Do outro lado da mesa, o secretário da educação e dois procuradores. Sentadas duas senhoras representando o MP do Estado e a Defensoria.

Os alunos invasores (muitos nem eram alunos) passaram a fazer suas reivindicações: lanchinho de boa qualidade, refrigeração em sala de aula, recuperação dos estabelecimentos e o principal: salário melhor para os professores com o afastamento completo da PL 44 (visa uma parceria público/privada para a educação) e da PL190/2015 que pretende acabar com a doutrinação ideológica nas escolas. Lindinho né? Ou seja o blá, blá, blá de melhorias é basicamente fumaça para o uso ideológico destes jovens. Pior, o MP e a Defensoria representados respectivamente por duas senhoras, estavam muito contrariadas com minha posição.

Pedia a atuação do MP como fiscal da lei, para permitir que os alunos que querem aulas, pudessem frequentar os colégios. Qual a reação delas? Contrariadíssimas. Disseram que a decisão do MP era não interferir! Como alguém ousava solicitar que protegessem o legítimo direito dos alunos de ter acesso a educação? Ao final da audiência não resolveram nada. A senhora MP colocou o MP a disposição dos invasores para uma nova tratativa de conciliação, com atendimento de exigências. Neste ínterim, os alunos que querem aulas perdem o ano letivo. Em nome do que? Do uso covarde de jovens títeres por estes partidos totalitários e da omissão das instituições que deveriam atuar. O pior? As pessoas das instituições envolvidas na audiência participavam como se aquela loucura fosse normal. Os alunos ameaçavam “radicalizar a luta” se não fossem atendidos, ao que a senhora MP e a senhor Defensoria convidavam para uma reunião para dar continuidade as tratativas. Quanto ao secretário, educadíssimo, apresentando uma proposta, sendo destratado com exigências e exigências, direitos e mais direitos, sem nenhum dever por parte dos invasores. E os alunos que querem assistir as aulas? Ora, são bons alunos, daí não devem ser levados em consideração. Resumo: Cidadania não está ao alcance de quem cumpre e quer o cumprimento da lei. Vamos ter de mobilizar a sociedade, já que as instituições não querem proteger os alunos que querem estudar.

Existem ainda detalhes sórdidos, onde o advogado dos invasores exigia que o executivo se intrometesse no legislativo para “obrigar” os deputados a retiraram as PLs que referi. Alguém pode achar que vão encontrar termo de acordo? Com a palavra a senhora MP e a senhora Defensoria. Secretário? Governador?

Revisado por Maíra Adorno @mairamadorno

2 comentários para “No Rio Grande do Sul, MP e Defensoria atuam em favor de baderneiros que impedem alunos de estudar

  1. Maria

    Os jovens que querem estudar e nao ideologizados ainda sao maioria ; por isso devem-se manter firmes em suas reivindicacoes, porque, apesar da encenacao dos militantes, os esquerdistas que aparelham postos na administracao respeitam apenas os persistentes.

    Responder
  2. Erik

    Usam esses moleques idiotizados, mas com a “certeza jovem da eterna razão em tudo” para destruir ainda mais a educação. É lamentável que o país careça de gente com escrúpulos para dar um fim a essa baderna!!!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *