Não há nenhuma chance do impeachment de Temer progredir. Infelizmente.

Começam a se espalhar opiniões por aí que apontam um “risco-PT” ou “risco-esquerda” que aumentaria se fizéssemos o que é óbvio: condenar a ação abominável de Geddel Vieira e do governo Temer em favor de um empreendimento imobiliário na Bahia, pressionando o ministro da Cultura. Alega-se que insistir no tema é fazer o jogo da esquerda, do PT, e que isso aumenta a instabilidade do governo Temer, o que poderia gerar um impeachment que fortaleceria a esquerda caída e geraria um governo espertão dos tucanos, provavelmente sob a figura de FHC.

De tantos erros desse ponto de vista, é gritante a suposição de que Temer corre algum risco de impeachment. Oras, quem assumiria a presidência com coragem, falta de brios e história para liderar a classe política numa artimanha criminosa como as iniciativas de anistia ao caixa 2 e barragem dos projetos contra a corrupção e pelo fim do foro privilegiado? Michel Temer é útil ao PT, ao PSDB, ao PMDB e toda a classe política. Ele jamais cairá. Só alguém como ele seria capaz de liderar a ação contra a Lava Jato e todas as investigações contra as autoridades.

Como se não bastasse essa capacidade nefasta de Michel Temer, é de se ressaltar a figura grotesca de Rodrigo Maia. O deputado do DEM-RJ é hoje o que Eduardo Cunha era para Dilma até janeiro, fevereiro de 2015. Nenhum pedido de impeachment vai avançar com ele por vários motivos:

  • Ele não está comprometido com esquemas do governo vigente, nunca foi beneficiado por esses esquemas, por isso não carrega nenhum segredo para chantagear e ser chantageado por Michel Temer. Por que daria seguimento a um processo contra o governo que lhe deu o cargo de sua vida?;
  • Rodrigo Maia reconhece que é uma figura nula, incapaz de liderar espontaneamente a classe política ou virar líder popular, razão pela qual está hoje muito além do que sua capacidade jamais sonharia. Como não sonha com vôos maiores, não precisa agradar a população fingindo-se o que não é, como Cunha vestiu a fantasia de “anti-petista” na véspera de sua queda;
  • Não há nenhuma hipótese do PMDB usar Rodrigo Maia como contraponto e bode expiatório para enganar a opinião pública, jornalistas e sua militância, da mesma forma que o PT fez com Cunha. Porque o PMDB não tem militância e não tem jornalistas adestrados, somente os pagos mesmo;

Quem quiser defender a imoralidade do governo Temer, que se assuma como semelhante, não invente subterfúgios.

temer_e_rodrigomaia

Revisado por Maíra Pires @mairamadorno

Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *