Michel Temer: Derrube o sigilo das operações do BNDES com a JBS

O presidente Michel Temer tem praticado uma enorme encenação. Conhecedor do ódio público à figura dos irmãos Batista, ele tem sido aconselhado por seus lacaios a fazer de Joesley seu antagonista, assim como os petistas fizeram com Eduardo Cunha. É uma forma de ganhar tempo e criar um discurso em seu favor. Funcionou muito bem para o PT.

O registro da queixa-crime contra Joesley por reafirmar em entrevista o que já dissera em delação foi apenas mais uma etapa do plano, já devidamente anulada pelo juiz responsável (leiam sobre este vexame no post “Juiz rejeita queixa-crime de Michel Temer contra Joesley Batista“). Antes, Michel Temer e Aécio Neves já trataram de fingir indignação contra Joesley chamando-o de  bandido que está usufruindo de uma boa vida em Nova York após prejudicar o país.

Se Michel Temer quer realmente prejudicar Joesley e provar o quanto ele é bandido, há um gesto simples que ajudará e muito o país a descobrir os mais danosos crimes cometidos pelo PT: abrir as contas do BNDES. Tramita no Senado há mais de um ano o PLS 7/2016, do senador Lasier Martins (PSD/RS), que acabaria com o sigilo das operações de empréstimo do banco público. Somente de 2009 a 2015 foram mais de R$ 957 bilhões emprestados sigilosamente.

Foram os empréstimos concedidos pelo BNDES da era petista, com apoio entusiasmado de Temer e do PMDB, que levaram Joesley a ser este poderoso empresário que é recebido clandestinamente durante a madrugada por um presidente da República. Levaram também Joesley a ser um multimilionário a quem um senador de oposição e presidente de partido corre para obter, rapidamente, R$ 2 milhões.

O PLS 7/2016 está parado na Comissão de Constituição e Justiça. Embora todos do governo estufem o peito para atacar Joesley e a JBS, nada fazem de efetivo para abrirem-se as contas do banco. O fim do sigilo permitiria a todos conhecer o real prejuízo causado pelas operações, além de desvendar as misteriosas operações internacionais do banco que financiou obras em ditaduras sob o domínio do Foro de São Paulo.

Vamos lá, Michel Temer e PSDB, mostrem ao povo que vocês realmente se importam com as contas públicas e que não têm nem tiveram relações com o bandido Joesley Batista. Abram as contas do BNDES.

 

Loading...

2 comentários para “Michel Temer: Derrube o sigilo das operações do BNDES com a JBS

  1. Pedro Rocha

    Duvido que ele faça isso, pois isso afetaria Lula e ele está sendo notadamente preservado nessa briga por ser o único capaz de salvar a “nova república” e todo o seu establishment.

    Se “batedores de carteira” como Maluf e Aécio estão sendo protegidos, duvido que Lula seja preso antes da próxima eleição. Quiçá depois caso perca para o STJ/STF se salvar, mas não antes.

    Responder
  2. Gilnei Carvalho

    O que me deixa estarrecido nem é tanto a corrupção generalizada nas instituições públicas que já passou da conta. Fico isto sim, me perguntando sobre onde estão as pessoas? Sim, as pessoas, gente que estudou na universidade, que galgou o progresso de sua carreira profissional com esforço pessoal, que buscou percorrer uma carreira intelectual digna. Estas pessoas estão no segundo, terceira e quarto escalões das instituições. São ligadas a entidades de classe profissional, estudaram as normas e o código de ética profissional. Eles não têm nada a dizer? Eles não têm meios de se manifestar publicamente sobre a sua indignação com tudo que está acontecendo no país? Será que o viés imoral da política partidária contamina todos os níveis? Onde estão os técnicos do Banco Central? Não a instituição Banco Central. Esta já sabemos corrupta pela simples falta de firme posicionamento ante as relações promíscuas envolvendo o BNDES e JBS. Onde estão os técnicos do Tribunal de Contas de União? Não o presidente do TCU, indicado por padrinho político. Onde estão os profissionais da OAB? Não a OAB. Onde estão os profissionais do Conselho Federal de Contabilidade? Onde estão os profissionais do Conselho Federal de Administração? E da imprensa? Onde estão os profissionais da imprensa? Se não somos mais profissionais não podemos mais ser considerados cidadãos e aí sim estamos no lugar certo, uma nação de imorais.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *