Lula atinge o recorde de 49% de rejeição

O ex-presidente Lula está, hoje, praticamente inelegível. É o que se conclui da pesquisa Datafolha divulgada no dia de hoje. Lula tem hoje 49% de rejeição, mais do que o dobro de seus possíveis adversários. Marina Silva tem apenas 15% de rejeição, Aécio Neves tem 23%, Geraldo Alckmin 17%, Michel Temer 21% e José Serra 19%.

Talvez a melhor forma de calcular o efeito desta rejeição é pensar em candidatos com características eleitorais semelhantes: nome forte,conhecido por todos e anteriormente aprovado pela população. Em 2012, José Serra tinha grande rejeição do eleitorado paulistano, mesmo eleitorado que, em seu nome, elegeu um poste (Kassab), tal como os brasileiros fizeram com Lula e Dilma.

Serra perdeu a eleição de 2012 no segundo turno para Haddad, mesmo a população paulistana sendo anti-petista. Sua rejeição era de 33% em janeiro (Datafolha), 43% no final de agosto (Datafolha) e 38% em setembro (Ibope). Ou seja, em condições que de certa forma se aproximam das de Serra em 2012, Lula tem hoje uma rejeição muito maior e que tende a piorar até 2018 ou quando tivermos novas eleições presidenciais, conforme avançam as investigações e prisões de gente ao redor do ex-presidente.

Uma ressalva deve ser feita a este cenário dado como exemplo: em 2012 Serra não tinha nem mesmo 1/3 do horário eleitoral. Hoje a aliança em torno de Lula ainda lhe garantiria mais da metade do tempo de TV, o que permitiria mais tempo para diminuir a rejeição.

Ainda assim, pro dia de hoje, não há o que dizer: Lula está morto eleitoralmente.

Veja porque Lula morre mais a cada dia que passa:

 

Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *