Lava Jato denuncia Lula, Marisa e Palocci por benefícios à Odebrecht e propinas a parlamentares

O MPF do Paraná, que conduz a Operação Lava Jato, acabou de apresentar nova denúncia contra o ex-presidente Lula, além de sua esposa, seu advogado Roberto Teixeira e Antônio Palocci.

Caso Sérgio Moro aceite a denúncia, Lula e demais responderão por atuarem em uma sofisticada estrutura ilícita para captação de apoio parlamentar. Lula seria o chefe da quadrilha, que desviava recursos da Petrobras que chegaram ao total de R$ 75 milhões em propinas apenas em oito contratos. Os valores eram então distribuídos a parlamentares do PP, PT e PMDB em troca de apoio no Congresso, num esquema semelhante ao que se via no Mensalão.

A denúncia do MPF é a mesma a que se refere o indiciamento da Polícia Federal apresentado na semana passada (leiam PF indicia Lula, Marisa, Palocci e advogado de Lula). Esta é a segunda denúncia oferecida pelo MPF do Paraná contra Lula no âmbito da Lava Jato. Lula já é réu no inquérito que apura o tríplex do Guarujá, também na Lava Jato, em processo que corre no Supremo por envolvimento no suborno de Nestor Cerveró, e no processo derivado da Operação Janús, que corre no MPF do Distrito Federal.

O inquérito usado nesta denúncia foi aberto no dia 08 de março de 2015 a partir das investigações da cobertura vizinha à de Lula em São Bernardo do Campo, que pertenceria a um primo de José Carlos Bumlai apenas como laranja do ex-prsidente. Vale lembrar a desculpa esfarrapada dada pelo staff de Lula sobre o uso do apartamento:

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é quem paga o aluguel do apartamento vizinho ao dele, no último andar do edifício Hill House, em São Bernardo do Campo, no ABC, segundo informou o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, na tarde desta segunda-feira (7). O apartamento foi comprado em 2011 por Glaucos da Costamarques, primo do empresário José Carlos Bumlai, de acordo com reportagem do jornal “O Estado de S.Paulo” publicada nesta segunda. Compadre de Lula, Bumlai foi preso na Operação Lava Jato.

“Os pagamentos foram feitos pelo presidente Lula. Está na declaração do imposto de renda”, disse Okamotto em entrevista à rádio CBN. Okamotto afirma ainda que o imóvel foi alugado “por uma questão de segurança e para servir de base de apoio”. Okamotto não comentou sobre o fato de o apartamento ser do primo de Bumlai, mas afirmou ao jornal “O Globo” que o imóvel precisava ser de uma pessoa conhecida.

Revisada por Maíra Pires @mairamadorno

.

Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *