Íntegra da entrevista de Bolsonaro para a Folha

A Folha de São Paulo é uma Ferrari da imprensa brasileira dirigida por quem não tirou a habilitação. Na última década, o jornal fez a péssima escolha de investir em blogs e colunas em detrimento do jornalismo, sendo que muitas notícias de destaque no jornal são da autoria de agências de notícias contratadas. A qualidade do jornalismo da casa acabou, por conta dessas escolhas, indo para o subsolo. Isso sem contar o partidarismo disfarçado. O ‘pluralismo‘ parece ser a dúvida sobre qual tom de vermelho o jornal deve usar em cada dia da semana.

Aqui é possível conferir os colunistas e blogueiros da Folha. Das centenas de autores, só Luiz Felipe Pondé e João Pereira Coutinho são conservadores. Esse é o jornal cujo mote é a opinião plural.

O jornalista abaixo não teve maturidade para entrevistar o deputado Jair Bolsonaro, que está visivelmente p. da vida com a sinuca armada pela Folha.

Exemplos: o deputado mostra que o jornalista confundiu (ou misturou) processos distintos da vida militar de Bolsonaro na entrevista. O jornalista não admite o erro e segue no confronto. Qual o sentido de insistir em uma premissa falsa para conduzir a entrevista quando os dados estão na mesa? O deputado reclama que as matérias da Folha não fizeram a devida separação entre as acusações. O jornalista segue misturando datas e eventos. Por qual motivo? Não gostar de Bolsonaro permite que o jornalista manipule informação? É uma questão pessoal para prejudicar o político que o jornalista não gosta? O deputado fala sobre as quatro perícias. O jornalista desconsidera as informações e segue nas acusações.

Logo no começo da entrevista o deputado Bolsonaro consegue desestabilizar emocionalmente o jornalista, isso é visível. Agora, isso é motivo para o profissional transformar a questão em uma guerra pessoal em que o interesse deixa de ser a busca pela verdade?

O deputado Jair Bolsonaro lembra que a Folha obteve na Justiça o direito de acessar os inquéritos de Dilma no STM e decidiu não publicar as informações. A mesma Folha publicou informações truncadas sobre o processo contra Bolsonaro. Nesse trecho da entrevista, o jornalista perde qualquer senso do ridículo, simplesmente mente e diz que a Folha tratou do tema. Não tratou e as informações são sigilosas até hoje.

O melhor que a Folha pode fazer pela liberdade de informação é digitalizar e disponibilizar na íntegra os arquivos contra Dilma e Bolsonaro, não trechos selecionados, o que só ocorreu com Bolsonaro. Todo o resto é manipulação da informação.

Você pode assistir a entrevista abaixo na íntegra (vale a pena clicar no vídeo para ler os comentários no Youtube):

Revisado por Maíra Pires @mairamacpires

Loading...

5 comentários para “Íntegra da entrevista de Bolsonaro para a Folha

  1. Paula

    Quem ainda está a luz da ignorância deve assistir esta entrevista e de vez ter a certeza de que Bolsonaro tem que ser o nosso presidente em 2018 2019 2020 2021… Que vergonha este gordinho desinformado, me deu um pouco de pena. Alguém sabe o nome do gordinho que diz que é jornalista? Bolsonaro Presidente Urgente

    Responder
  2. danir

    O reporter é tão cretino e ignorante, que não percebe que a insistência só dá argumentos para comprovar a facciosidade contar o Bolsonaro. O cara é um comunista desclassificado, trabalhando para forças do mal. A forma com que se expressa é maldosa. Uma lástima.

    Responder

Deixe uma resposta para danir Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *