A imprensa esquerdista quer salvar a reputação de Fernando Haddad

A vantagem de ser um alucinado esquerdista é poder moldar e criar um mundo à parte, sob suas regras. É isso que tem feito a imprensa esquerdista em relação a Fernando Haddad. Rejeitado pela população em sua primeira eleição sem dinheiro do Petrolão, Haddad foi humilhado nas urnas e, se for um homem de palavra, agora se afastará da vida política. Mas jornalistas não querem isto de maneira alguma e, para tanto, dão destaque ao ex-prefeito toda semana como se ele fosse um relevante nome da política nacional, não alguém escorraçado do poder pelos próprios fracassos.

Desde sua derrota eleitoral, não passa uma semana sem que Haddad tenha algum destaque. Mais ainda, há um revezamento entre os veículos para entrevistá-lo ou destacar o que ele disse. Abaixo, vejam a turnê “Salva Haddad”:

Nessas entrevistas, pouco se falou do aumento no número de mendigos, da enorme presença de cocô humano nas calçadas e apenas marginalmente se falou de seu fiasco eleitoral, da sua enorme reprovação e do não cumprimento de inúmeras promessas.

O caso da Folha é ainda mais caricato. Foram tantos colunistas preocupados com o destino e o legado do pior prefeito que São Paulo já teve que chega a ser comovente. Ainda em 2017 eles seguem louvando o derrotado. Vejam alguns artigos de do jornal mais petista do país. No dia 28 foi publicado um editorial debatendo a passagem de Haddad; no dia 02, Leão Serva, colunista dedicado a temas municipais, deu sua opinião sobre o porquê de Haddad ter ido mal eleitoralmente, como se o aconselhasse; No dia 07 de janeiro, a Folha ainda abriu sua página de debates para que alguém falasse positivamente e outro negativamente sobre o legado de Haddad.

Revisado por Maíra Pires @mairamacpires

Loading...

6 comentários para “A imprensa esquerdista quer salvar a reputação de Fernando Haddad

  1. Pedro Rocha

    E por falar em imprensa “progressista”, se alguém ainda acha que liberais são nossos aliados aí vai a “pá de cal”: http://rodrigoconstantino.com/artigos/uma-parabola-sobre-o-crime-organizado-e-legalizacao-das-drogas/

    Eu já relevei muita coisa acerca do Rodrigo Constantino porque o achava um liberal “sensato”, mas essa aí veio para mostrar que eu estava errado.

    Reinaldo, Joice e agora Rodrigo: o tempo passa e as coisas vão voltando ao normal, com os liberais mostrando suas caras vermelhas e sinistras!

    Responder
  2. Alex_Rio

    Eles não se conformam que o Fernando Kit-Gay Haddad tenha perdido a eleição.
    Devem estar querendo manter o nome em evidência para a próxima eleição.

    Responder
  3. Abdre

    O sujeito é um fenômeno. Verdadeira proeza conseguir ser o pior prefeito da história de uma cidade que já foi administrada por Malu, Pitta, Marta e Erundina.
    Não é para qualquer um não.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *