Fábrica de cachaça e construção de puxadinhos em presídio de Pernambuco

A reportagem de hoje no Jornal Nacional que mostra presidiários vivendo uma vida plena de conforto e alegria num presídio pernambucano deveria ser digna de prender todos os responsáveis pela área de segurança no estado. A presidente deveria ser convocada a falar sobre o assunto com urgência. Leiam um trecho:

Festa com jogo de luzes e música eletrônica. Os presos se divertem dentro de uma cela do presídio Antônio Luiz Lins de Barros, no Recife. Um outro grupo prefere o vídeo game. Algumas celas têm aparelhos de TV, ventiladores, frigobar e até freezer. Com a faca na mão, o preso prepara a comida.

Em uma cela foi instalada uma fábrica de cachaça artesanal. A produção é farta, o comércio se multiplica. São dezenas de pequenas vendas com comida e material de limpeza.

A profissão mais comum é a de barbeiro, mas tem também quem conserte relógios. As brigas são frequentes. As imagens também mostram o consumo de maconha.

Dentro de presídio, detentos preparam a massa para construir um puxadinho.

Dentro de presídio, detentos preparam a massa para construir um puxadinho.

A reportagem completa está neste link.

Mas como sabemos, no Brasil combater criminalidade não é prioridade. Estas cenas que envergonham e mostram o quanto nosso país é um caos institucional vão ser esquecidas para que jornalistas e intelectuais voltem a debater problemas imaginários que encontram eco em suas redomas afastadas da vida real.

 

Loading...

3 comentários para “Fábrica de cachaça e construção de puxadinhos em presídio de Pernambuco

  1. Renato

    “A presidente deveria ser convocada a falar sobre o assunto com urgência”, Hahaha. Muito burro esse Da Cia. Mais uma vez mostra sua falta de conhecimento. Vai ler a constituição, pelo menos. Não sabe que somos uma república federativa? Volte pra escola antes de vomitar suas bobagens por aqui.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *