ESPN afasta apresentadora negra “conservadora” após divulgar diretrizes políticas do canal

A ESPN tirou do ar a apresentadora Sage Steele um dia após divulgar suas novas diretrizes editoriais. Em seu lugar entra Michelle Beadle que costuma usar suas redes sociais para criticar Donald Trump e defender pontos de vista esquerdistas. Sage Steele agora será direcionada para um novo programa, ainda sem data para estréia. Enquanto isso, ela deixa de participar do “NBA Countdown” e passa a trabalhar com matérias e programas sobre golfe.

No início deste ano, Sage Steele usou sua conta no Instagram para criticar manifestantes anti-Trump que a fizeram perder um vôo, o que gerou perseguições dos esquerdistas. Já em novembro do ano passado, Steele criticou um dos muitos jogadores da NFL que se ajoelhavam durante o hino nacional em atitude de protesto (abaixo). Essas atitudes bastaram para carimbar em sua testa a marca de “conservadora”.

Hey @MikeEvans13_ look up definition of the word DEMOCRACY & remember this pic while kneeling/exercising your right to protest #perspective pic.twitter.com/kGruy3wEDe

— Sage Steele (@sagesteele) 14 de novembro de 2016

 

As novas diretrizes do canal davam a entender que, apesar de reconhecerem a importância e os riscos da mistura entre esporte e política, permitiriam o contraditória e não perseguiriam ninguém. A política da empresa pode ser lida aqui. Durou pouco a ilusão.

Sage Steele – Punida por suas opiniões

Leiam mais sobre Sage Steele nesta reportagem da Fox News: http://www.foxnews.com/entertainment/2017/04/05/who-is-sage-steele.html

Revisado por Maíra Pires @mairamacpires

3 comentários para “ESPN afasta apresentadora negra “conservadora” após divulgar diretrizes políticas do canal

  1. Fernando Monteiro

    Quem disse que empresas de comunicação não têm ideologia? Jornalismo e/ou jornalista independente!? Ah! Ah! Ah! Santa ingenuidade!

    Responder
    • Manoel Francisco Gomes

      Onde está dito que jornalistas e jornais/emissoras não têm ideologia ? É normal. Entretanto, um jornalista pode ter ideologia e ser independente, na medida em que pensa por conta própria e não se sujeita a ser massa de manobra de qualquer grupo, inclusive da empresa que o(a) contrata. A jornalista foi deslocada para uma função menos importante justamente por isso.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *