Em 2002, Olavo de Carvalho denunciou o abuso sexual de crianças pela ONU

Olavo tem razão.

A notícia de que soldados da ONU têm molestado crianças em troca de ajuda humanitária está chocando o mundo civilizado. Aqui no Brasil, o escândalo repercutiu no IG, BBC Brasil, UOL, G1 e outros veículos.

Porém, em 2002, o professor Olavo de Carvalho já tinha denunciado a prática, além de ter citado a fonte primária das revelações.

Confira um trecho de sua coluna no Jornal da Tarde:

Mas seria injusto dizer que a comunidade gay é recordista de pedófilos per capita. Por enquanto a taça parece estar com aquela classe auto-incumbida de velar, em lugar do antigo clero, pela proteção e formação moral das crianças do mundo: os assistentes sociais da ONU.

Só em 2001 chegaram a 400, segundo dados da própria secretaria-geral da entidade, as queixas apresentadas por famílias de refugiados da África Ocidental contra esses molestadores multinacionais de crianças. Quatrocentos episódios num ano, numa única comunidade, configuram inequivocamente um caso de pedofilia em massa. E com o detalhe especialmente repugnante: as vítimas não foram colhidas nas ruas ou nas escolas, mas entre as massas de miseráveis, famintos e doentes que, no extremo do desespero, se entregaram nas mãos desses monstros confiando na sua promessa de socorro.

Isso, sim, é um escândalo de proporções mundiais, um crime contra a Humanidade no sentido mais estrito em que esta expressão foi definida em Nuremberg.

Mas os assistentes sociais da ONU são intocáveis. São o novo clero, incumbido de espalhar no mundo o evangelho “politicamente correto” da Humanidade de amanhã. Denunciá-los seria promover o desmanche imediato da ideologia “humanista” que inspira os ataques da mídia internacional ao clero católico.

Por isso a imprensa mundial se cala, desviando as atenções do público para casos seletivamente escolhidos onde figure, como emblema do crime, a palavra “padre”.

Afinal, a Igreja não existe para arcar, como o próprio Cristo, com os pecados do mundo?”

Loading...

4 comentários para “Em 2002, Olavo de Carvalho denunciou o abuso sexual de crianças pela ONU

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *