DEM espera alcançar 40 deputados com reformulação

Deputados do DEM esperam que a reformulação do partido o transforme na “alternativa programática de centro-direita” do Brasil. Já o grupo de Rodrigo Maia (DEM) espera construir uma alternativa de centro inspirada na vitória de Macron na França, inclusive para abrigar os 14 deputados do PSB que devem se filiar no ‘novo DEM’.

É mais um capítulo da lepra que é a política partidária nacional.

No Valor:

“O DEM que quer ser o PT do campo liberal vai reformular seu estatuto e planeja voltar a ocupar governos estaduais. Três são as apostas principais para 2018: Rodrigo Maia, no Rio; o prefeito de Salvador ACM Neto, na Bahia, atualmente as duas seções mais expressivas do partido, e o senador Ronaldo Caiado, em Goiás. Um dos três, afirma o líder da bancada federal, Efraim Filho (PB), pode eventualmente ascender à disputa nacional. “O DEM tem condição de ocupar esse espaço. O PSDB ainda passa por dúvidas, não há candidatura posta, vive divisões internas”, diz. Outros nomes cotados, mas especificamente para o plano estadual, são os do ministro Mendonça Filho, em Pernambuco, do deputado federal Onyx Lorenzoni, no Rio Grande do Sul, e do senador Davi Alcolumbre, pré-candidato a governador no Amapá. (…)

E enquanto as atenções estão voltadas para a disputa com o PMDB pela filiação dos 14 dissidentes do PSB – que votaram a favor da reforma trabalhista – o DEM já acertou a chegada de um novo deputado. Trata-se de Alan Rick, egresso do PRB do Acre. É o 31º deputado titular da sigla (incluindo os licenciados) – o que representa um aumento de 43% em relação aos 21 eleitos. A bancada saída das urnas em 2014 é o fundo do poço na trajetória da agremiação que elegeu 105 parlamentares, em 1998, a maior daquela legislatura.

Caso chegue aos 40 deputados pretendidos, o DEM pulará da oitava para a quinta posição, atrás de PMDB, PT, PP e PSDB. A inflexão vem depois do fim da era PT, período em que a legenda perdeu votos e filiados, que migraram para partidos da base governista. O maior baque foi o racha que levou à fundação do PSD, pelo então prefeito, hoje ministro, Gilberto Kassab, em 2011. Até uma fusão com o PSDB era cogitada. “Foi o momento mais difícil. Mas o processo foi um filtro, deu mais coesão, unidade. Estamos colhendo os frutos da nossa coerência, depois de 14 anos de oposição ao PT, sem ficar em cima do muro e sem adesão ao fisiologismo”, diz Efraim Filho.”

 

Loading...

Um comentário para “DEM espera alcançar 40 deputados com reformulação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *