Crime dentro do crime dentro do crime

O Brasil é provavelmente o campeão mundial de crimes grotescos. Apesar disso, há uma forte militância de esquerda no país a dizer que devemos punir menos os criminosos e que punir criminosos com encarceramento só piora as coisas. Pior, vêem uma certa licença poética nos atos criminosos pelo fato de serem cometidos por grupos que eles escolhem fingir que defendem.

Dito tudo isso, leiam a notícia de que presos em Governador Valadares fizeram um motim, agrediram e mataram outros presidiários (como costuma ocorrer nesses protestos) no site do jornal “Estado de Minas“. A novidade é que o presídio tinha uma ala feminina, os marginais foram até lá libertá-las e, para não perder a viagem, estupraram algumas.

O Ministério Público de Minas Gerais apura denúncias de que presas teriam sido estupradas por detentos durante rebelião no Presídio de Governador Valadares, no Vale do Rio Doce, que terminou com duas mortes e cinco internos atirados do telhado, na semana passada. Segundo relatos investigados pelas promotorias de Direitos Humanos e de Execuções Penais, durante o motim os rebelados alcançaram a ala da penitenciária onde ficam as detentas, quebraram as grades e as soltaram. Muitas não queriam sair, mas foram obrigadas. Os relatos de estupro foram feitos por vítimas e por familiares ao MP, à Defensoria Pública – responsável por prestar assistência jurídica a pessoas carentes –, e a entidades ligadas à proteção dos direitos dos presos. A Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) sustenta que não houve estupro, e sim “sexo consensual entre detentas e detentos também rebelados no Presídio de Governador Valadares, que seriam namorados ou companheiros”. “A Seds não recebeu nenhuma denúncia formal de estupro/violência sexual ou relato verbal por parte das detentas, nem por parte dos defensores públicos que as ouviram, nem do Ministério Público”, informou a secretaria, por meio de nota.

Os amotinados devem ser punidos por agredirem e matarem os outros presos. Devem também ter a pena aumentada pelos estragos causados ao presídio. E os que estupraram, deveriam ter a maior punição possível. Mas vá pedir a opinião de algum esquerdista sobre o que deveria ser feito…

Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *