Contra aliança do PSC com candidato comunista, Bolsonaro apóia candidata do PTC em São Paulo

O PSC está rachado.

O partido que teria Jair Bolsonaro para puxar votos e fazer crescer suas bancadas municipais já não pode contar com este apoio na eleição da principal capital do país, São Paulo. Jair Bolsonaro se rebelou contra alianças do PSC em algumas cidades do país, especialmente aquela em torno do candidato escolhido pelo comunista Flávio Dino, governador do Maranhão, na capital São Luis. O comunista conseguiu usar a força da máquina por lá para aprovar um projeto que implantava na rede pública a ideologia de gênero.

psc_coligacao_pcdob

Em São Luiís, PSC se alia ao PC do B em coligação de candidato do PDT

Jair Bolsonaro e seu filho Eduardo Bolsonaro autorizaram a jovem advogada Daniela Bruzarrosco a utilizar suas imagens em peças de campanha em São Paulo, além de gravarem um vídeo.

O rompimento dos dois deputados federais na capital paulista ocorre na mesma semana em que apenas eles do PSC votaram pela cassação de Eduardo Cunha (leiam o post “Lista de deputados que votaram pró-Cunha“). Dos outros 5 deputados do partido, 2 votaram pela absolvição (Marco Feliciano e Júlia Marinho), 1 se absteve (André Moura) e 2 se ausentaram (Gilberto Nascimento e Takayama).

O PSC nacional fez pressão para que os Bolsonaro declarassem apoio a Gilberto Nascimento Júnior para a Câmara Municipal, filho do deputado federal Gilberto Nascimento que votou pela absolvição de Cunha. Além de contrariar o pedido do partido nas eleições legislativas, eles também o fizeram em relação à eleição municipal, uma vez que o PTC de Daniela Bruzarrosco apóia João Dória(PSDB) para prefeito, enquanto o PSC está na coligação de Celso Russomanno (PRB)

Candidata do PSC exibe peça de campanha com Jair Bolsonaro em seu Facebook

Candidata do PTC exibe peça de campanha com Jair Bolsonaro em seu Facebook

O PSC tem um acordo informal com Jair Bolsonaro: se antes da convenção nacional do partido o deputado tiver 10% das intenções de voto, a candidatura presidencial é dele. Caso contrário, a agremiação é livre para lançar ou não o deputado à presidência.

Leiam também:

Revisado por Maíra Pires @mairamadorno

Loading...

10 comentários para “Contra aliança do PSC com candidato comunista, Bolsonaro apóia candidata do PTC em São Paulo

  1. tarcisio

    Não foi deputado do PSC que ferrou os aposentados por invalidez na relatoria da MP 767. Os petitos não olham nem os laudos apresentados. Sisplemente cortam beneficio e os aposentados tem que entrarem na justiça.temos que agradecer o deputado pelo desservico

    Responder
  2. danir

    Procurando usar do bom senso, eu vejo poucas opções para o paulistano. Na minha opinião o candidato do PSDB, embora com uma série de restrições, é a melhor opção. Eu sei que parece triste, mas quem em sã consciência votaria em Marta Suplicy, Luiza Erundina, Haddad, João Bico, Levy Fidelix, Ricardo Young, Celso Russomano, Henrique Áreas, Altino ou Major Olimpio? Ou são esquerdistas contumazes, da pior qualidade, associados ao pt de alguma forma, ou são candidatos de partidos sem expressão e sem quadros administrativos, o que os coloca dependentes de outras agremiações. São Paulo não merece isto. A não ser que o paulistano deseje, num ato de imolação masoquista passar por outra experiência tipo Haddad, Erundina ou similares. Embora com resalvas, o PSDB, é o partido que tem os melhores quadros políticos, e mesmo se não botarmos a mão no fogo por um “protegido” do Alckmin, ainda assim a qualidade do que pode oferecer é melhor do que o que os outros podem sobrepor. O que temos que fazer, é estar vigilantes, botar a boca no trombone sempre que necessário e apoiar um partido de direita, no estilo meritocratico, formando lideranças para as próximas eleições. Votar em branco ou nulo, significa dar votos pro inimigo, ou (novamente) alguem imagina que aquela história da anulação da aleição funciona desta maneira (mais de 50% anula a eleição)?. Sugiro que pesquisem um pouco mais ( http://www.tre-df.jus.br/imprensa/noticias-tre-df/2014/Agosto/votos-nulos-e-brancos-nao-anulam-o-pleito ) para não fazerem besteira. É o que eu penso e procuro passar para quem ainda está em dúvida. Quanto aos Bolsonaro, podem ter uma série de defeitos ou inconsistências, mas suas atitudes são coerentes e até onde se sabe são pessoas íntegras.

    Responder
    • Bittencourt

      Gente, vocês deveriam levar em consideração o Major Olimpio como candidato da direita, ele sempre fez oposição ao foro de São Paulo mesmo em partidos de esquerda.
      O próprio Bolsonaro era do PP base aliada do PT, Major Olimpio sempre fez oposição ao Foro não é justo julgar ele como esquerdista só por causa de partido.
      Lembrando que o pai de João Dória foi exilado do Brasil nos tempos do regime militar por apoiar o comunista João Goulart. Considerar João Dória uma opção mais a direita do que o Major Olimpio é ignorância!

      Responder
  3. Bruno

    Ja existe um.partido de direita. Esse partido é o partido militar brasileiro, o qual tem pouquíssimo espaço. É um partido com idéias magníficas, que apesar de ser um partido basicamente composto por militares, não vê apenas o.lado dos militares. Um partido com ideologia conservadora sim, mas não extremo.

    Responder
    • Policarpo

      Quando das discussões para criar esse partido, discordei do nome PMB por considerá-lo impróprio, já que vincularia o partido, pelo menos no imaginário do eleitor, a uma classe específica. Cheguei a sugerir o nome POP (partido da ordem e do progresso), uma sigla bastante conhecida e com forte apelo popular (cultura pop, música pop, etc). Tal sugestão sequer foi discutida. O nome PMB é uma pedra no caminho desse partido.

      Responder
  4. Diogo Loreto

    Ideologia política acima de interesses políticos sombrios, essa atitude na minha opinião é exemplo para políticos de direita e de esquerda. Parabéns Bolsonaro!

    Responder
  5. Alexandre Sampaio

    São Paulo, 16 de setembro de 2.016

    Prezados Reaças,

    Vejo com espanto, muitas pessoas declararem voto no tal major Olimpio, pensado, talvez, que o mesmo seja conservador. Aqui um breve relato das filiações políticas do candidato: 2.006 – Partido Verde; 2.010 – PDT; 2.015 – Partido da Mulher Brasileira e 2.016 – Solidariedade. Como é fácil constatar, nenhuma dessas agremiações possuem perfil conservador. PV e PDT são satélites petistas; PMB é uma piada sem graça com os contribuintes brasileiros, que sustentam esses partidos de merda através do fundo partidário, e o SD é uma cissão do PDT, após a briga do indefectível Paulinho da Força com brizolistas. Muitos vão alegar: Mas o Bolsonaro esta no PSC. Sim, o PSC também não é conservador coisa alguma. Nenhum partido rasileiro de fato é conservador. Mas Bolsonaro é conservador! E necessita de uma legenda para candidatar-se, tendo em vista que a legislação eleitoral não permite que as pessoas candidatem-se sem serem filiadas a partidos políticos. Gritar contra Lula, Haddad e Alckmin é fácil. Mas não sei se o tal Olimpio é conservador mesmo. Afinal de constas, um oficial da PM filiado a partidos COMUNISTAS que tem por escopo a EXTINÇÃO da Polícia Militar, soa-me como uma contradição em si.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *