Comportamento da defesa de Lula e OAB constrange advogado da Petrobras

Um ex-presidente Lula (PT) calvo, sem voz, abatido e com poucos apoiadores em Curitiba prestou depoimento ao juiz Sergio Moro, no último dia 10, no inquérito referente ao triplex localizado no Guarujá, cidade do litoral paulista.

Em dado momento, o juiz Sergio Moro questionou Lula sobre mensagens de executivos da OAS que tratavam de maneira sobre o triplex e o sítio em Atibaia, mais especificamente sobre as cozinhas de ambos os imóveis, que foram adquiridas de maneira conjunta pela empreiteira. Os advogados de Lula reclamaram, alegaram que o processo tratava apenas do triplex. Já o juiz Sergio Moro e o MPF alegaram que não era possível deixar de questionar o ex-presidente sobre um assunto simplesmente porque outro assunto aparecia relacionado nas mensagens.

Nem o advogado da Petrobras, o professor René Dotti, aguentou a defesa de Lula e teve que apontar o desrespeito ao juiz. Ainda reforçou a gravidade da ação, visto que a OAB estava presente no depoimento. Na segunda intervenção do advogado da Petrobras há três atos icônicos: um Lula desconsolado balançando a cabeça em desaprovação, o advogado da Petrobras indignado com a passividade da OAB, que estava permitindo o desrespeito ao juiz por meio da ‘subversão da ordem‘, e o juiz Moro dizendo ao advogado do Lula que ele não precisava ‘ficar nervoso‘.

Assista nossa edição:

Revisado por Maíra Pires @mairamacpires

Loading...

2 comentários para “Comportamento da defesa de Lula e OAB constrange advogado da Petrobras

  1. Jorge Gonçalves de Paula

    Fiquei impressionado com o treinamento do Lula, utilando em seu depoimento expressões tipicas do linguajar de advogados, tais como, ilação e leniencia.
    Quanto as carasve bocas, típicas de quem está mentindo.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *