Com manobra de Serra-FHC-Aécio, Alckmin considera que foi ‘expulso’ do PSDB

O governador Geraldo Alckmin foi o maior vencedor das últimas eleições municipais. E, nessa semana, teve seu candidato Ricardo Tripoli eleito líder da bancada na Câmara dos Deputados contra Jutahy, apoiado por Serra, e Marcus Pestana, apoiado por Aécio.

O governador, portanto, tinha todas as condições políticas de conquistar mais espaço na executiva nacional do PSDB, que teria sua próxima eleição em maio de 2017, inclusive elegendo um aliado como presidente do partido.

Em uma manobra que envolveu Aécio Neves, José Serra, FHC, Aloysio Nunes e outras lideranças tucanas, a executiva nacional do PSDB prorrogou  o próprio mandato, que é bienal,  até 2018.

De acordo com a Folha, o governador Geraldo Alckmin considera que sofreu uma ‘expulsão branca’ do PSDB.

Geraldo Alckmin se referiu à prorrogação do mandato de Aécio Neves na presidência do PSDB como uma “expulsão branca” — a recondução do senador seria uma forma de forçar o governador paulista a deixar o ninho tucano rumo ao PSB.

Aecistas duvidam que Alckmin abandone o partido para entrar em outro tão ou mais dividido que o PSDB.

Leia também:

Fusão entre PPS e PSB, o novo partido de Alckmin

Revisado por Maíra Pires @mairamadorno

Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *