Colunista da Folha e presidente do MTST admite que premeditou atos criminosos na Paulista

No dia de ontem, grupos ligados ao PT e organizações criminosas depredaram a Avenida Paulista, espalharam e tocaram fogo em lixo pelas ruas, além de destruírem a entrada da FIESP.

Em meio ao caso, o colunista da Folha de São Paulo, Guilherme Boulos, deu uma entrevista à Mídia Ninja – entidade também envolvida nos atos criminosos – e admitiu que o protesto tinha a intenção de vandalizar.

É um claro depoimento de confissão de crime.

Revisado por Maíra Pires @mairamadorno

2 comentários para “Colunista da Folha e presidente do MTST admite que premeditou atos criminosos na Paulista

  1. marcio r g cortes

    Os criminosos estão protegido pela LEI DO TERRORISMO: protestos feitos por movimentos sociais não são passíveis de punição.
    Enquanto isso, movimentos como o MBL, em vez de pressionar deputados e senadores no intuito de modificar esta aberração, ficam em sua GUERRINHA DE IPHONE com a esquerda caviar universitária.
    Tenham a Santa paciência

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *