CNJ não vai auxiliar FGV em estudo sobre eficiência do Supremo

A Fundação Getúlio Vargas publicou um estudo intitulado ‘O Supremo Em Números‘ que escancarou a ineficiência e a impunidade em nossa Suprema Corte. Os ministros, vaidosos, não gostaram. Eles realmente acham que trabalham demais.

Um dos dados que mais chamaram a atenção foi o referente à condenações de quem tem foro privilegiado. Das ações penais no STF de quem tem o foro, 68% prescrevem ou caem para instâncias inferiores. Já as condenações chegam a míseros 0,74% dos casos.

A jornalista Vera Magalhães, no Estadão, noticia que sensíveis às críticas, os autores do estudo resolveram atualizar os dados e pediram auxílio do CNJ, presidido por Cármen Lúcia, presidente do STF. Ouviram um ‘não’ como resposta.

Ineficientes e vaidosos.

 

 

 

Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *