Bloco carnavalesco homenageará regimes genocidas em São Paulo

Um grupo de jovens de classe média alta e jornalistas de São Paulo irá na semana que vem novamente às ruas celebrar o carnaval festejando a filosofia política que mais assassinou pessoas no mundo. Trata-se do “Bloco Soviético” que “nasceu com um grupo de twitteiros (e comunistas) que queriam levantar bandeira também nos dias de folia” segundo os próprios.

Holodomor_2

Na Ucrânia, herdeiros de vítimas do comunismo relembram o passado

Pol Pot, Stálin, Mao-Tsé Tung, Nicolau Ceausescu, Fidel Castro, Kim Il Sung e Mengistu Haile Mariam (Etiópia) são apenas alguns dos nomes de celebridades que podem ser homenageadas na fanfarra sem qualquer restrição ideológica.

O Bloco Soviético passou a fazer parte do roteiro carnavalesco oficial da cidade de São Paulo na gestão de Fernando Haddad, tendo então direito a toda a infra-estrutura para realização do evento fornecida pela prefeitura gratuitamente.

No Twitter, usuários criticaram a piada macabra fazendo um paralelo: imaginando como seria um bloquinho carnavalesco que resolvesse homenagear a ditadura militar brasileira. É o “Bloquinho Porões da Ditadura“.

Países que experimentaram o Socialismo não o querem de volta

Legado comunista (Monumento em Praga lembra as vítimas do comunismo)

Atualização: No twitter, o PT comemora.

Loading...

3 comentários para “Bloco carnavalesco homenageará regimes genocidas em São Paulo

  1. Antonio Henrique Pinheiro

    É apenas mais um sinal de como está a sociedade brasileira. Totalmente doente e com sérios problemas mentais, chegando até a uma certa dose de esquizofrenia.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *