Alckmin fatura politicamente sobre o nada da “Segunda sem carne”

Assim que surgiram as notícias sobre o projeto “Segunda-feira sem carne”, alertamos aqui para o exagero e as mentiras do alarde. O projeto não afetaria restaurantes comuns, apenas quem VENDE refeições em órgãos públicos (cantinas terceirizadas, por exemplo) e a lei não havia sido aprovada pelo plenário da ALESP, apenas recebera aval em uma reunião de comissões mistas quanto à sua admissibilidade. Releiam em nosso post “FAKE NEWS: Não será proibido aos restaurantes de São Paulo servir carnes às segundas-feiras“.

Alguns sites e jornais foram honestos e passaram as informações verdadeiras no corpo de suas reportagens mas a maioria fez questão de deixar as chamadas incorretas ou induzindo ao erro. O burburinho cresceu tanto até que o próprio governador de São Paulo e presidenciável tucano, Geraldo Alckmin, veio a campo faturar. Toda a imprensa repercute nos últimos dias a notícia de que Alckmin vetará o projeto pois ele ‘cercea a liberdade‘ e ‘subestima a capacidade de julgamento das pessoas‘.

Numa época de recesso e férias, o jornalismo serviu de palanque para o ‘Santo’, que nos últimos dias tem mandado recados pontuais tanto para a população mais politizada, ou que acompanha notícias de política na internet, quanto para os grandes financiadores da política. Para uns anunciou que pretende privatizar “estatais petistas”, destacando a TV Brasil, para os outros disse que seu apoio à reforma da Previdência de Michel Temer é integral. Tudo pacote vazio: como governador do maior e mais rico Estado brasileiro por mais de 10 anos, Alckmin não privatizou a TV Cultura e até agora não apresentou sua alternativa previdenciária – em abril de 2017 o governo reformulou a proposta, abrindo para que estados apresentassem suas versões alternativas referentes aos servidores estaduais até 6 meses após a promulgação da nova lei.

Tanta divulgação gratuita no caso da “Segunda-Feira sem carne” mesmo em órgãos petistas nos faz pensar que a esquerda brasileira já escolheu seu adversário ideal. Alguém com o nome sujo (pois cunhado é parente), sem nenhum apelo popular e membro de um partido comprometido com corruptos e o governo Temer.

Loading...

2 comentários para “Alckmin fatura politicamente sobre o nada da “Segunda sem carne”

  1. Cláudio

    Faturou politicamente porque? você não acha que é desumano tirar proteínas de crianças carentes que muitas das vezes sua refeição é só na escola? carne vermelha é rica em ferro e vitaminas do complexo B podendo prevenir anemias e outras doenças.

    Responder
  2. Aqui no Rio Grande do Norte tá "lacrado".

    Os policiais Militares não vão comer carne nenhum dia da semana. PS: Já que a fatima B. não lacra no assunto, sugiro: É só os PMs MENTIREM “negando” que são PMs (trabalhadores honestos). Devem falar que são políticos ou jornalistas, ai nunca serão presos, e ainda vão receber bolsa e/ou apoio lá no serginhogosma.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *