A “Reforma Política” do PT, sem censura

Já foi dito aqui o quanto as manifestações pegaram o Governo Federal de surpresa, deixando-o acuado. A resposta do staff de Dilma foi jogar no colo de toda a classe política a responsabilidade de mudar tudo que tá aí. Ao chamar todos os Governadores e Prefeitos das principais capitais e propôr um pacto das esferas do Poder Executivo a pressionar o Poder Legislativo e convocar a população para tomar medidas supostamente para o bem comum, inventou-se esse bicho sem pé nem cabeça da Constituinte exclusiva para a Reforma Política.

O que não se deve esquecer é que o PT já tinha essa Reforma Política planejada há tempos, pelo menos 2011. Os protestos e a prostração diante da pressão popular apenas fizeram com que algum gênio do planejamento político tenha pensado que agora é hora do tudo ou nada. Abaixo vão imagens da “cartilha” petista para uma Reforma Política aos seus moldes. Não dá para imaginar que algo muito diferente disso sairia de uma Constituinte exclusiva sob o cabresto da República Monetária Petista. Vejam as imagens, ainda disponíveis no site do PT da Bahia e, curiosamente, excluídas do site do PT Nacional.

Como o PT quer moldar a representação política

Como o PT quer moldar a representação política

Financiamento 100% estatal de campanhas. Vem aí imposto para bancá-las?

Financiamento 100% estatal de campanhas. Vem aí imposto para bancá-las?

Teremos Plebiscito para debater Maioridade Penal? Prisão Perpétua?

Teremos Plebiscito para debater Maioridade Penal? Prisão Perpétua?

"A política precisa mudar", mas pra quê esse pincel vermelho rapaz?

“A política precisa mudar”, mas pra quê esse pincel vermelho rapaz?

Uma nova política moldada pelo Partido que comanda nossa política há 10 anos? Estranho... O que mais querem?

Uma nova política moldada pelo Partido que comanda nossa política há 10 anos? Estranho… O que mais querem?

 

4 comentários para “A “Reforma Política” do PT, sem censura

  1. Robson

    O jornal Folha de São Paulo já saiu defendendo a nova constituinte em seu site….
    Veja abaixo o argumento do jornal publicado hoje:
    “Em teoria, nada impede de termos uma PEC convocando eleições para uma nova constituinte. Foi, aliás, esse o processo através do qual saímos da ditadura e fizemos a atual Constituição. Durante a vigência da constituição anterior, aprovamos uma PEC (Emenda Constitucional 26, em novembro de 1985) que criou uma Assembleia Nacional Constituinte para formular uma nova constituição.
    Seria perigoso para a democracia se os eleitores não pudessem nunca mais ter uma nova constituinte, exceto se pegassem em armas. Seriam as gerações passadas trancafiando a vontade das gerações futuras”.
    Link da matéria completa:
    http://direito.folha.uol.com.br/1/post/2013/06/podemos-convocar-constituinte-por-plebiscito.html

    Responder
    • @mos_axz

      Mas cara, exceto o escrito no art. 60 § 4º (forma federativa de Estado; o voto direto, secreto, universal e periódico; a separação dos Poderes; os direitos e garantias individuais) é possível mudar a constituição completamente, para isso basta fazer Proposta de Emenda Constituicional. Se a falha for algo tão óbvio assim, ela será aprovada facilmente. O processo de emenda à constituição DEVE ser complexo e burocrático, pois não se trata de uma lei ordinária que é específica e qualquer coisa é só revogar, estamos falando do livro que norteia tudo no Brasil.

      O motivo pelo qual fazer uma constituição do zero só ocorre em revoluções é porque é muito perigoso essa mudança. Lembre-se de Hans Kelsen, os princípios do povo não são bons ou maus. Uma nova constituinte é começar tudo do zero e decidir o que é certo e errado a partir de agora.

      Além disso, se formos mudar de constituição a cada geração, pra cada nova ideologia, pra cada linha de pensamento nova, sai mais fácil dividir o Brasil em 26 países e cada um escolhe onde vai morar.

      Responder
  2. Luciano

    O troço já estava até registrado em cartório: registrado no 9º Oficial de Registro de Títulos e Documentos – São Paulo/SP, sob o número de registro 1176930

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *