A lição Feliciano

Os grupos sociais organizados são parte da realidade das democracias. Quanto mais maduros e livres os regimes políticos, mais constantes no noticiário serão suas reivindicações. Essa é a razão pela qual não vemos movimentos sociais significativos nas teocracias islâmicas ou na história das ditaduras comunista, regimes de esquerda e ditaduras militares.

Importa aqui dizer que é legítimo que grupos com suas reivindicações façam seus protestos e lutem por suas causas. O problema no Brasil é que, como quase tudo, boa parte dos movimentos foi sequestrada pelo grupo político que está no poder. Assim, a reivindicação só é promovida e levada adiante SE e QUANDO o interesse político desse grupo for satisfeito. Hà inúmeros exemplos espalhados por aí, inclusive bem recentemente…

Há um caso em que isto mostrou-se de forma gritante: o dos protestos contra o pastor Marco Feliciano após esse assumir a presidência da Comissão de Direitos Humanos. Lembram? Quantos protestos, não? Quanta indignação nas redes sociais, quantos discursos de intelectuais, artistas e formadores de opinião… Olhando de longe, tem-se a impressão que Marco Feliciano não só renunciou à presidência como abandonou seu mandato. O que teria acontecido? O Google Trends, ferramenta do Google que analisa o quanto um tema foi buscado e comentado, ajuda a entender. Vejam a figura 1, mostrando o quanto o Pastor foi destaque nas redes historicamente:

Google Trends 1:

Feliciano_Trends_1Como visto, de março para abril o pastor foi muito comentado e buscado na rede. Porém, subitamente, caiu o interesse. O que teria acontecido? Vamos então dar um zoom no período crítico, o mês de Abril:

Google Trends 2 

Feliciano_Trends_2

O que teria acontecido para, no dia 10/04, iniciar uma curva descendente? Simples, no dia 10 a internet recebia a repercussão televisiva e dos jornais diários do ato de Feliciano no dia anterior, 9/04. Tentem se lembrar:

VejaOnline: “Marco Feliciano diz que só deixa comissão se Genoíno sair da CCJ“;

Exame: “Feliciano diz que renúncia depende de saída de mensaleiros“;

Blog do Camarotti: “Feliciano diz que renuncia se petistas condenados renunciarem“.

Ou seja, a militância virtual e mentirosa partiu para cima de Feliciano até quando foi possível colher ganhos políticos para o PT. Tão logo Feliciano construiu uma saída, um atendimento à reivindicação dos manifestantes condicionada a uma humilhação ao PT, essa turma se dissipou e as reclamações acabaram como num passe de mágica. O outro pico de destaque a Feliciano houve um dia após o pastor comparecer ao programa do Ratinho. Mas o desinteresse dos grupos organizados já era irreversível, a inteligência do pastor não somente garantiu maior paz a seu mandato como expôs a dependência, que muito provavelmente tem a ver até mesmo com sustentação financeira, dessa gente que se vende como militante de causas, em vez de militantes partidários, como são.

Uma pena. Não há dúvidas que tudo estaria melhor se o pastor Feliciano estivesse fora da presidência da Comissão de Direitos Humanos desde que os mensaleiros estivessem fora da mais importante comissão da Câmara, a de Constituição e Justiça. Também seria bem melhor se esses grupos organizados não fossem tão descaradamente falsos e submissos a essa agenda partidária.

5 comentários para “A lição Feliciano

  1. livrexpress

    Seria ótimo que os mensaleiros, bandidos condenados, estivessem fora da mais importante comissão da Câmara, a de Constituição e Justiça.

    E é ótimo que o deputado Marco Feliciano PERMANEÇA na presidência da Comissão de Direitos Humanos, impedindo que ela continue a ser monopolizada por um lobby gayzista habituado a utilizar sua retórica coitadista para saquear cofres públicos e avançar seu autoritarismo em cima da sociedade distraída.

    Responder
  2. Philipe

    Acho que uma outra coisa que contribuiu muito foram as mensagens dizendo que Feliciano estava ficando feliz com o marketing indireto causado pelas campanhas do “não me representa”. Muita gente caiu na real que não só ele não iria sair da cadeira como estava se beneficiando com os ataques. Tanto que logo que começou a queda de popularidade das campanhas anti-Felicianistas ele andou fazendo umas merdas, suspeito que tentando voltar os holofotes todos para ele novamente.

    Responder
  3. Anonymous

    Feliciano, um simples boi de piranha.

    Pros maiores cretinos evitarem se tornarem alvos de protestos basta orquestrarem protestos contra cretinos menores.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *