A autoridade de um presidente frouxo

A Folha noticia que o presidente em exorcismo Michel Temer pretende fazer uma minirreforma ministerial em fevereiro. Com isso, além de reacomodar a base, também pretende se antecipar ao derretimento que a Lava-Jato pode causar ao governo. A data também leva em conta as eleições para o comando da Câmara e do Senado.

Um trecho chama a atenção:

“O Palácio do Planalto também avalia incluir nas mudanças o comando do Planejamento, hoje sob controle do ministro interino Dyogo Oliveira. O PSDB chegou a reivindicar a pasta, mas o ministro Henrique Meirelles (Fazenda) quer manter um nome técnico à frente dela, blindando-a de uma indicação política.”

O ministro Meirelles possui mais autoridade que o presidente Temer para a nomeação de outro ministro? Esse é mais um sintoma do quanto é sentida a autoridade de um presidente frouxo. Nomear ministro é prerrogativa intransferível do presidente da República. Todos os ministros devem aconselhar o presidente, mas parar por aí.

O senador Tasso Jeireissati (PSDB) é um dos nomes cotados para o Planejamento.

Revisado por Maíra Pires @mairamadorno

Loading...

3 comentários para “A autoridade de um presidente frouxo

  1. Pedro Rocha

    A ideia é deixar o Temer ocupando a cadeira para THC ou outro socialista não se apossar dela, mas considerando que ele está fazendo de tudo para proteger o sistema, estou quase reconsiderando ele de “mal menor” para “inimigo”.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *